A uma porta do seu destino

A rede ferroviária da França, SNCF (Société Nationale des Chemins de fer Français), opera uma das melhores redes de comboios do mundo  e quis provar que chega  a muitos lugares. Para isso, em parceria com a TBWA Paris, criou uma ação que tenta mostrar que qualquer uma das principais cidades europeias está ao alcance do “abrir uma porta”.

Em algumas ruas da cidade de Paris foram colocadas misteriosas portas ligadas a praças de diversas capitais da Europa. Abrindo cada uma dessas portas, fica-se de frente a uma tela onde se pode ver, em tempo real, o que está acontecendo naquela cidade específica. Pode-se jogar com um mímico em Milão, ter seus retratos desenhados em Bruxelas, dançar com um grupo de hip-hop em Barcelona, compartilhar um romântico passeio de barco no Lago de Genebra, ou mesmo participar de um grupo de jovens alemães em um passeio de bicicleta em Stuttgart, na Alemanha.

Essas experiências interativas e divertidas procuram mostrar a todos que a Europa toda está logo ali, atrás da porta! Não é legal?!!!

O que é marketing de serviços

mktserv

Marketing de serviços é o conjunto de atividades que objetivam a análise, o planejamento, a implementação e o controle de programas destinados a obter e servir a demanda por produtos e serviços, de forma adequada, atendendo desejos e necessidades dos consumidores e/ou usuários com satisfação, qualidade e lucratividade.

O século XXI é considerado o “século dos serviços” e quem conseguir desenhar processos de serviços eficazes e comunicar de forma eficiente esta oferta com certeza terá meio caminho andado para o sucesso em seu negócio.

Érico Rocha e o pai da Fórmula de Lançamento

Não costumo entrar no coro de fórmulas mágicas que prometem muito dinheiro em pouco tempo e com pouco trabalho, especialmente alternativas onde poucos ganham muito sobre o trabalho suado de muitos, como marketing de rede, por exemplo.

Entretanto, nesta semana tive contato com uma metodologia de vendas implementada no Brasil pelo brasiliense e empresário digital Érico Rocha, do Ignição Digital. Trata-se da Fórmula de Lançamento, receita com a qual ele teve contato nos Estados Unidos, em um treinamento chamado Product Launch Formula, criado pelo empreendedor Jeff Walker.

A Fórmula de Lançamento é uma receita para fazer dinheiro, com metodologia própria, cuja execução, normalmente, oferece um rápido retorno mediante diversas estratégias. O curso para aprender o método custa em torno de R$ 4 mil reais e as vagas são muito disputadas.

Para que você também tenha contato com esta alternativa, pluguei abaixo um vídeo recente, onde Érico entrevista o próprio criador da Fórmula de Lançamento, Jeff Walker.

Não tenho elementos para julgar esta metodologia, mas tenho lido bastante e gostado das dicas desta dupla. À medida em que tiver contato com esta prática, prometo relatar minha experiência neste blog. Assista e aproveite!

Restaurantes precisam valorizar funcionários

Ao conviver com a operação de uma rede de franquias, pude constatar a importância de os gestores valorizarem seu quadro funcional.

Ao frequentarmos um restaurante como clientes, não imaginamos o esforço logístico necessário para que os pratos deliciosos cheguem à nossa mesa. Pagar a conta é apenas a ponta de um processo complexo que começa na seleção adequada de insumos e a seleção do pessoal que atuará nos bastidores, especialmente na cozinha.

A maioria dos funcionários que trabalham em restaurantes possuem deficiências em sua formação, pois a maioria possui apenas o ensino fundamental, o que buscam compensar com trabalho duro para receberem um salário que não reflete necessariamente seu esforço e dedicação.

Aos gestores dos restaurantes, cabe qualificar melhor seus funcionários e valorizá-los, seja com melhor remuneração ou simplesmente transformando o ambiente de trabalho em um espaço de amizade, companheirismo e qualidade de vida. Afinal, onde está escrito que o funcionário de uma cozinha não pode sentar-se em algum momento?

Alguns caminhos são possíveis aos gestores para que ofereçam melhor qualidade de vida aos funcionários, como um plano odontológico, cesta básica, folga em um dia do final de semana, vestiários confortáveis e ventilados. Enfim, itens básicos que requerem pouco custo e uma certa racionalidade na distribuição de tarefas.

Ao negligenciar este preceito, muitos empresários se verão diante de uma dificuldade crescente em contratar funcionários, pois há grande rotatividade neste meio, principalmente onde falta as condições minimamente dignas para o trabalho de garçons, cozinheiros, atendentes e auxiliares.

Promoção comercial é o desafio do empresário brasileiro no exterior

No período de 2001 a 2007 atuei como Gerente do Portal do Exportador, principal portal brasileiro de Comércio Exterior. Através de um serviço denominado Fala o Exportador, cuja equipe já respondeu mais de 20.000 questões sobre vendas externas, pude acompanhar as necessidades da comunidade exportadora. A principal delas era como promover o produto no exterior. De fato, a promoção comercial é um dos desafios para os empresários e para o Governo brasileiro. A maioria dos exportadores, normalmente, empreende uma viagem para o mercado de interesse e procura estabelecer parcerias com revendedores que o ajudem a ofertar seu produto. Empresas de grande porte, normalmente, possuem profissionais de marketing e comércio exterior que viabilizam sua promoção. Porém, para os empreendedores de pequeno e médio porte, os custos tornam-se inviáveis, pois a promoção ideal exige ações de propaganda, merchandising no ponto-de-venda, e-commerce e participação em eventos de seu segmento. No âmbio do Governo Federal, os primeiros passos dados foram a implantação dos sites BrazilTradeNet, do Ministério das Relações Exteriores (MRE), e Portal do Exportador, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). As ferramentas disponibilizadas oferecem alternativas para promoção on-line. Com certeza, um bom auxílio inicial para alavancar as vendas externas da comunidade exportadora.

Concorrência desafia mercado de ensino universitário

A recente crise econômica envolvendo a UniverCidade e a Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro, está mobilizando a sociedade a tal ponto que o Governo Federal cogita em encampar as instituições para assegurar sua continuidade.

A alternativa encontrada no momento é a transferência assistida, onde o Ministério da Educação irá monitorar o processo de transferência dos alunos das universidades para outras instituições de ensino superior, visando assegurar a manutenção do valor das mensalidades e garantir o acesso do estudante ao seu curso.

Por trás da crise econômica destas universidades não está apenas a má gestão. O fato é que as instituições de ensino presencial estão recebendo a concorrência agressiva e, sob o ponto de vista legal, desleal dos cursos universitários virtuais.

Por um lado, cursos tradicionalmente procurados, como engenharia e medicina, continuam gerando boa demanda de alunos presenciais, assegurando a sobrevida das instituições clássicas. Entretanto, por outro, os baixos valores das mensalidades de cursos virtuais tem atraído um contingente cada vez maior de estudantes.

As exigências do MEC para se abrir um curso virtual não são tantas quanto para as instituições presenciais. Tal fato também tem estimulado um número cada vez maior de empresários que se aventuram naquele segmento.

A solução para as instituições presenciais tem sido também adotar seus cursos virtuais, mas para isso é necessário que os gestores tenham a sensibilidade de adaptar adequadamente a metodologia de ensino e rever seus custos sem prejudicar o projeto pedagógico e a remuneração do principal prestador de serviço neste processo, que é o professor. Neste contexto, o marketing teria o nobre papel  de reforçar a qualidade de ensino e posicionar adequadamente a marca das instituições junto à clientela..

O Distrito Federal, onde resido, vem registrando anualmente o fechamento de universidades, bem como agora o Rio de Janeiro e outros estados. Caso os gestores não se adaptem a estes novos tempos, este fato irá se repetir cada vez mais, para alegria dos cursos virtuais e tristeza dos profissionais das presenciais que perderão seus empregos.

Como contratar uma empresa de design gráfico

Por que as empresas precisam de design gráfico?
O design gráfico é um termo genérico  que define a ação de ordenar estética e formalmente textos e imagens sobre variados suportes, sempre  com o objetivo de comunicar algo.

Uma logomarca – que sintetiza a identidade de uma empresa – é um
trabalho de design gráfico. O rótulo  de uma embalagem também., assim
como as placas de sinalização de um prédio, uma revista, um cartaz.
Em todos esses exemplos há imagens ou textos que foram articulados de
forma pensada; há uma ideia veiculada visualmente.

Para ajudar empresários a escolherem adequadamente o fornecedor de serviços de design gráfico, o comitê de Branding da Associação Brasileira de Anunciantes – ABA, elaborou um manual intitulado “Como contratar uma empresa de design gráfico”.

De forma didática e completa, o manual apresenta a metodologia adequada para escolher  boas empresas ou profissionais de design gráfico. Interessou? Clique aqui e baixe a publicação. Com certeza ela lhe será muito útil

Novo serviço informa o Serasa de fornecedor para o consumidor

Antes apenas as empresas analisavam os clientes para qualquer transação comercial. Agora o consumidor está em igualdade para negociar, pois a Serasa Experian lançou lançando o serviço “Você Consulta Empresa”, onde o consumidor poderá consultar o CNPJ de empresas e prestadores em todo território nacional, minimizando riscos na hora de adquirir produtos e serviços.

O novo serviço oferece as seguintes informações: Identificação/Localização; informações cadastrais, anotações negativas, protestos, ações judiciais, cheques sem fundo, falências, participação societária e faturamento presumido. O custo de cada consulta é de R$ 29,90.

O lançamento deste serviço vai evitar, com certeza, muitos transtornos aos consumidores de produtos como pacotes de viagens, apartamentos e outros.

Satisfação do consumidor: o paradigma do século de serviços

Prestar um bom atendimento e monitorar a qualidade do atendimento é o novo desafio que empresas modernas necessitam enfrentar.

Em pleno século XXI, não deixa de ser expressiva a quantidade de empresas que não aprimoram seus serviços. Se investigarmos as razões deste fato, chegaremos à conclusão de que ora falta vontade, ora falta infra-estrutura tecnológica, ora faltam recursos humanos adequados para executar a política de qualidade da empresa.

O pecado destas empresas não está em deixar isto acontecer, mas, sim, não se movimentarem na direção de alcançar a satisfação do consumidor. Como? Pesquisando junto ao consumidor e buscando executar melhorias baseadas na percepção deste.

Um exemplo do que explano é o fato de necessitar de um atendimento da Claro TV há algumas semanas e, mesmo após sucessivos agendamentos, não ter nenhum posicionamento de qualidade da operadora sobre meu problema. Por quatro vezes a operadora agendou e fiquei esperando em minha residência. A única alternativa oferecida pela companhia e reagendar a visita, sucessivamente. Desisti.

Ao preocuparem-se com os dividendos de suas ações, os acionistas das empresas de serviços deveriam virar-se para o nível de retenção de clientes e verificar que muito precisa ser feito para fidelizar sua carteira e ampliar as vendas.

A satisfação do consumidor é o novo paradigma do século XXI, considerado o promissor século da área de prestação de serviços. Quem se movimentar nesta direção vai ganhar o jogo.

Só a propaganda coloca Messi na seleção brasileira!

A empresa de telefonia celular UniverCell resolveu inovar em suas campanhas publicitárias na Índia e já cria um buzz na web. Com o slogan “mantenha seu número, mude sua operadora”, a companhia resolveu mudar a nacionalidade de três jogadores e ‘deu’ um belo presente ao técnico Mano Menezes. Na campanha, Lionel Messi aparece vestido com o tradicional número 10 às costas, mas trocou as cores da Argentina pelas da seleção brasileira.
Se ‘ganhou’ um excelente reforço, o Brasil também ‘perdeu’ uma opção para o ataque, já que, na campanha, Luis Fabiano veste o número 9 nas cores da Espanha. O curioso é que o centroavante, atualmente no São Paulo, nunca teve uma oportunidade com Mano Menezes como técnico da seleção.
Já a Argentina perde Messi, mas ganha em troca outro excelente nome: Cristiano Ronaldo ‘deixa’ Portugal e leva a sua camisa 7 para as cores azul e branca.

Compra no McDonald’s dará direito a voucher para voar na Azul

A Azul Linhas Aéreas e o McDonald’s firmaram parceria para oferecer cupons de desconto em passagens aéreas da companhia para os clientes da rede de fast food. A partir desta quinta-feira, os clientes que comprarem uma McOferta ganharão um carimbo em uma cartela promocional da Azul. Após três carimbos, eles poderão trocá-la por um desconto de 50 reais para usar nas compras de passagens aéreas.

Foram distribuídas 5 milhões de cartelas em toda a rede McDonald’s e a promoção vale o dia até 1º de abril ou o término das cartelas. Para receber o voucher, o cliente das empresas deve enviar a cartela com os três carimbos pelos Correios. O código de desconto, válido até 30 de novembro para qualquer voo da Azul, será enviado por e-mail em até 20 dias. (fonte: Estadão)

Substituição na Via Embratel

O mercado de TV por assinatura foi marcado em 2011 pelo surgimento da OI TV, a partir da nova regulamentação que permite a oferta daquele produto pelas empresas telefônicas.

Já o ano de 2012 começa com a informação de que a Via Embratel, cuja marca até hoje não foi muito assimilada pelo target, será substituída pelo lançamento da Claro TV.

Provavelmente, a estratégia de lançamento da nova empresa (ou nova marca, apenas) ocorrerá com novas ofertas. Vamos aguardar!