Dicas para uma propaganda cooperada efetiva

Ontem recebi correspondência de um leitor com dúvidas sobre propaganda cooperada, sendo que a principal delas é como ter controle sistemático para assegurar a prestação de contas ao cooperado e receber sua contrapartida.
É muito comum ocorrer um certo desequilíbrio na relação entre compradores da empresa e fornecedores. Nem sempre os papéis no processo de propaganda são claros e exclusivos. Na maioria das vezes, os diretores da empresa conversam sobre as linhas gerais do processo e deixam a seus subordinados o fluxo de realização das ações e o processo de prestação de contas e recebimento da verba.
A princípio, as melhores dicas que posso dar para que o processo de propaganda cooperada flua bem são:
1) É preciso estabelecer claramente a forma de cada fornecedor conceder a propaganda cooperada: abatimento prévio de um percentual na compra sujeito a futura comprovação da utilização desta verba; ou autorização para produção e veiculação das peças com consequente reembolso após comprovação física e/ou documental da campanha;
b) Deve-se sistematizar o processo, sendo que em alguns casos é recomendável a  contratação de pessoa exclusiva para este fluxo caso o calendário de ações cooperadas seja intenso e frequente;
c) Se o fornecedor não é organizado em seu processo de propaganda cooperada, será necessário que você cobre de cada um uma sistematização do processo, para que haja a concessão e a cobrança que cada negociação requer, deixando claro a seus funcionários como agir com cada parceiro comercial;
d) Equilibrar a proximidade entre compradores e fornecedores no momento de negociação e manter relativo “distanciamento” no processo de cobrança da verba.
Explicando melhor este último, acredito que muitos compradores podem já ter estabelecido uma relação de cumplicidade com os fornecedores a partir de amizades muito próximas, seja por muita identificação um com o outro ou até mesmo extrapolando o relacionamento ao ambiente social fora da empresa. É necessário que saibam ajustar isto, pois o desequilíbrio pode ser nocivo tanto à sua empresa quanto a seu parceiro comercial.
De qualquer forma, o gestor da organização deve acompanhar mais de perto esta área sensível do marketing da empresa, principalmente neste momento de volume menor de negócios que estamos vivenciando.
Anúncios

Você conhece o Ricarvão?

Mudar-me para Belo Horizonte me proporcionou novas vivências e, principalmente, ter contato com marcas de produtos que até então não conhecia. Afinal, muitas marcas são regionais e não chegavam ao Distrito Federal.

Uma delas é um carvão vegetal de nome curioso, provavelmente pelo fato do nome do fundador da empresa se chamar Ricardo.

O nome do produto é Ricarvão, um trocadilho bem-humorado envolvendo o lendário personagem Ricardão, presente no anedotário nacional.

Recentemente, postei o produto no Facebook e convidei os leitores a elaborarem um slogan para o produto. Vejam as pérolas:

“O carvão que não te deixa na mão” – Adriana Moura

“Porque a carne é fraca!” – Robson Santo

“Bota fogo como ninguém!” – Deca Furtado

“Ricarvão, mandando brasa!” – Luciana Curvelo Volpato.

E você, qual slogan criaria para este produto?

Ministério da Saúde entra no universo dos games para falar com jovens

Com o conceito “É nessa fase que você fica mais forte”, a campanha estreia com o filme em uma linguagem que mistura o mundo real com o mundo dos games, em 8 Bits e 3D, para contar a história da aventura de dois jovens que fogem dos vírus para encontrar uma unidade de saúde e se vacinarem.

A locução é do embaixador da campanha, o famoso Youtuber dos games, Zangado. Adolescentes poderão assumir o controle da aventura ao baixar o jogo para mobile, Detona Vírus, onde enfrentarão vilões dentro do corpo humano, recebendo a cada nova fase, conteúdos importantes sobre à saúde e a importância de tomarem as vacinas.

Como o principal ponto de contato entre os jovens e o Ministério da Saúde serão as plataformas digitais, teremos a Websérie com 4 episódios na linguagem Minecraft no canal do também Youtuber Fê Batista e uma ativação com os principais atletas de E-sport do país, competindo entre si no Detona Vírus.

A campanha é assinada pela agência brasiliense Fields360.

O que é demarketing?

negativo

O que fazer se a demanda atual por um produto for demasiadamente intensa e a capacidade produtiva não é capaz de acompanha-la? A resposta para esta pergunta é o demarketing.

A estratégia de demarketing é usada visando reduzir a demanda excessiva e inesperada. Neste caso, a missão do gestor de marketing é desestimular os consumidores, provocando uma redução da demanda de forma temporária, enquanto ajusta-se o nível de produção à procura pelo produto. Cabe destacar que, neste momento, é imperativo aumentar o preço do produto como elemento de ajuste.

Não estamos falando em destruir a demanda, mas sim ajusta-la à capacidade produtiva da organização.  Cebe esclarecer que não se constitui em demarketing as campanhas contra fumos, drogas e demais atos ou atitudes nocivas.

Adams óbvio: criatividade x objetividade

Adams_Obvio

Adams Óbvio foi publicado, pela primeira vez, na forma de conto, no “Saturday Evening Post”, em abril de 1916. Seu autor é Robert R. Updegraff.

Apesar de ser a história de um publicitário, foi logo considerado uma idéia embrionária para se obter  sucesso incomum no mundo dos negócios e das profissões.

A Editora Harpers & Brothers lançou o conto na forma de livro em setembro do mesmo ano em que foi publicado no “Post”. No Brasil, ela foi usada no lançamento do cigarro Free, da empresa Souza Cruz, encartado nos anos 80 como um livreto nas principais revistas. O livro foi um sucesso.

Quer ter acesso ao seu conteúdo? Clique no link abaixo e divirta-se com sua história.

Adams_Óbvio_RobertR.Updegraff

Nivea continua investindo no marketing cultural. Agora é a vez do rock!

nivea

Uma das formas de aproximar uma marca de seu público é o marketing cultural. É o que faz a Nivea, empresa nacional de cosméticos, que anualmente tem promovido shows de música popular brasileira para posicionar-se no mercado.

Neste ano, as cantoras Pitty e Paula Toller, o cantor Nando Reis e a banda Os Paralamas do Sucesso foram escolhidos para a edição 2016 do projeto Nivea Viva, que desta vez não homenageará um artista, mas um gênero: o rock brasileiro.

A turnê apresentará os maiores hits do rock nacional, fazendo um passeio pela história do gênero no país.

A turnê tem início em Porto Alegre (3/4) e segue para Rio de Janeiro (10/4), Recife (30/4), Fortaleza (15/5), Salvador (22/5), Brasília (5/6) e São Paulo (26/6). Os locais das apresentações ainda não foram confirmados.

O projeto homenageia um artista a cada ano e reúne músicos nacionais para turnê ao redor do país, sempre com shows gratuitos. Em 2015, o homenageado foi Tim Maia, com turnê de Criolo e Ivete Sangalo, que rendeu inclusive um disco de estúdio com a dupla.

Também já foram tema de turnê Tom Jobim (2013), Elis Regina (2012) e o próprio samba (2014).

A direção musical este ano é de Liminha, com direção geral de Monique Gardenberg.

Grupo Habib’s distribui broches e cartazes para manifestantes

 

Woman holding a blank poster

Em engajamento inédito de uma empresa em manifestações políticas, O Grupo Habib’s, dono das redes de restaurantes Habib’s e Ragazzo, se posicionou a favor das manifestações contra o governo federal e a corrupção, ocorridos hoje, 13/03, em todo país.

Na tarde da última quinta-feira, 10/03, a empresa enviou às redações de várias publicações brasileiras um kit com cartazes contra a corrupção e uma carta. No texto, o grupo afirma que mudaria a identidade visual das lojas Ragazzo e Habib’s para verde e amarelo no dia das manifestações. A empresa distribuiu 150 mil cartazes e broches com palavras de ordem para os manifestantes.

“A rede tomou a decisão de apoiar a manifestação por conta da deterioração da economia brasileira e do caos político do país”, afirma Alberto Saraiva, 62 anos, fundador e presidente do Habib’s. “Tivemos muitas conquistas sociais e econômicas, mas estamos perdendo todas e precisamos protestar.”

Saraiva foi às ruas neste domingo.

Apesar dos indicadores negativos em vários setores da economia, o Habib’s não passa por um mau momento. Segundo Saraiva, a empresa fez alguns ajustes de custos, elaborou promoções no cardápio e até manteve os preços, apesar da alta nos alimentos. “Eu não estou sofrendo nos negócios, mas fico indignado pelo povo e por amigos empresários que estão passando um grave aperto”, afirma.

No final de 2014, o Habib’s foi alvo de uma operação de fiscais e autoridades das Secretarias de Fazenda de alguns estados brasileiros.

Chamada de Flex Food, a operação apurava supostas fraudes em unidades franqueadas da marca, como subfaturamento das notas de entrada, venda sem documentação fiscal e classificação de produtos em desacordo com a legislação.

Questionado sobre o assunto, Saraiva diz: “Os processos resultantes da operação foram arquivados pela justiça.”

Ele afirma que o empresariado também deve respeitar as leis, como qualquer cidadão ou político. “Ser empreendedor não é fácil, mas eu tenho convicções. E ensino essas convicções para meus filhos e aplico na minha empresa. Pois eu quero ter uma empresa que dure para sempre”, diz.

Perícia em marketing: dicas para se desenvolver na área

perícia

Em post publicado em 16 /02/16,  “Já pensou em ser perito de marketing?”,  relatei o contato que tive com uma nova área: a perícia em marketing.

Alguns leitores manifestaram interesse maior em conhecer esta área tão incipiente ainda no País e decidi oferecer alguns subsídios.

Inicialmente, para ser um perito, como a própria nomenclatura sugere, o profissional deve ter ampla experiência na área, com formação em nível superior. Tempo de serviço e curso superior, portanto, são requisitos essenciais. A formação superior deve ser em áreas correlatas a Marketing, como Administração, Comunicação e Economia, entre outras.

Além disso, o profissional deve ter uma formação focada nesta área. No caso da perícia em marketing, cursos de pós-graduação em áreas como Branding, Comunicação, Inteligência Competitiva e Economia, por exemplo, podem contar pontos para quem deseja ser reconhecido como especialista no segmento.

Possuir um mestrado ou doutorado em área relacionada a Marketing pode ser, também, fundamental para pesar na balança na hora da escolha do profissional. Sugiro pós-graduação em áreas como Administração, Comunicação e Economia, tendo como objeto de pesquisa, a perícia em marketing.

Além de estar habilitado em termos profissionais e de formação, é importante que o futuro perito de marketing habilite-se junto aos tribunais, se necessário até visitando juízes e desembargadores para apresentar sua expertise.

Ressalto que de nada adianta cumprir os requisitos acima se o profissional não possuir conduta ilibada, estando com seu nome “limpo” no mercado e sem histórico de processos judiciais, uma vez que a sociedade deve reconhecer no profissional uma pessoa honrada.

E você, já pensou em ser perito de marketing?

Bar com barbearia ou barbearia com bar?

As barbearias não são mais as mesmas. Na verdade, estão melhores. Veja o exemplo da Barbearia Corleone, do empresário criativo Bruno van Enck, que por acaso namora uma cantora carioca chamada Annita (conhecem?).
Em um espaço inspirado nas barbearias novaiorquinas típicas de filmes da máfia dos anos 40, os profissionais não só cortam cabelo e barba de seus clientes.
Enquanto aguarda, o freguês pode degustar uma cerveja supergelada dentre os 450 rótulos oferecidos pelo estabelecimento, enquanto assiste partidas de futebol, entre outras atrações.
Superlegal, não acham?

Já pensou em ser perito de marketing?

perito2

Em 2001, ano em que comecei como professor na Universidade Católica de Brasília, pude entrar em contato com profissionais ímpares no mercado. Um deles é Rossana Pavanelli, diretora da Hoje/EMP Consultoria, empresa dedicada a pesquisa, consultoria e avaliação.

Na época, Rossana já comandava a empresa e dedicava-se, também, à atividade docente em instituições de graduação e pós-graduação do DF. Porém, o que mais me chamou a atenção foi ela me contar que era perita de marketing. Rossana colocava seu conhecimento à disposição da justiça sempre que seus pareceres eram solicitados para dirimir dúvidas em um pendência envolvendo empresa e profissionais de marketing. Esta atividade exige um bom relacionamento com pessoas do judiciário para que se entre no seleto grupo de peritos.

Restrito ou não, o certo é que este é um caminho para profissionais de marketing desempenharem seu trabalho com o que tem de melhor: seu conhecimento. Para se ter uma idéia, dependendo da complexidade da pendência, um parecer de um perito de marketing pode custar até R$ 200 mil.

E aí, que tal ser um perito de marketing?