Lembranças do fundo do baú

Hoje tirei do baú esta foto com duas pessoas maravilhosas que conheci, apaixonadas pela fotografia, pela pesquisa e pela missão de ensinar.

Um deles é André Luiz Carvalho, amigo que fiz durante o tempo em que fui professor na Universidade Católica de Brasília. Neste período, chegamos a levar 68 alunos para uma excursão à agências e fornecedores da cidade de São Paulo. André é professor de fotografia e foi diretor do curso de Comunicação Social da UCB. Hoje mora em Mariana e leciona na Universidade de Ouro Preto.

A outra figura ilustre é Bernardete Brasiliense, com quem tive a oportunidade de conviver na faculdade Facitec e, posteriormente, na própria UCB. Sempre bem-humorada, Berna, como a chamávamos, era muito querida pelos alunos e colegas.

A fotografia abaixo foi tirada em uma reunião que fizemos na casa de Bernadete, com muito churrasco, música e amizade.

Bons tempos!

Use sua monografia para conseguir emprego

Quando cursava o MBA em Marketing na Fundação Getúlio Vargas, em Brasília, decidi que queria trabalhar em marketing hospitalar. Acreditava que seria uma área promissora, uma vez que as instituições privadas de saúde careciam de direcinamento estratégico em seus mercados. Ao final do curso, elaborei uma monografia intitulada “A importância do Endomarketing nas instituições privadas de saúde”.

Confesso que o trabalho não saiu lá grande coisa, uma vez que tive meu tempo atropelado por um novo emprego no Taguatinga Shopping. Tirei nota 8 no trabalho, orientado pela professora Luciana Mourão Cerqueira e Silva (hoje na Universidade Salgado de Oliveira). Adicionei o título de meu trabalho em meu curriculum e o enviei a diversas instituições de saúde. Uma delas, o Hospital Santa Luzia, estava estruturando seu departamento de comunicação e marketing e chamou-me para uma entrevista, onde fui questionado sobre minha monografia e dada a oportunidade para “vender meu peixe”.

Passei por três etapas da seleção, mas não levei a vaga. Mas ficou a lição e desde lá venho recomendando aos meus orientados de trabalho de conclusão de curso que sejam criteriosos na definição de seus temas, pois estes podem devem ter relação direta com os objetivos profissionais deles.

A mesma recomendação serve para você, caro leitor. Você deu ou tem dado atenção ao desdobramento da escolha de seu tema para monografia? Lembre-se que ela pode ajudar a alavancar sua carreira.

Não encare a monografia como apenas um complicado exercício, mas sim, a possibilidade de criar interesse dos empregadores por seu nome. Pense nisso!

Em outubro tem curso de live marketing WTF. Programe-se!

WTF

Quer conhecer mais sobre live marketing? A galera da Katavento Online vai promover, no dia 24 de outubro, de 9 às 18 h, no UniCEUB (Asa Norte), o Curso de Live Marketing WTF,  que será apresentado pelo facilitador João Riva, diretor sócio da DuoVozz Inteligência.

Riva já atuou na Direção de Marketing do Grupo Runner e no Trade do Grupo Schincariol. Com vivência em agências de comunicação planejando para grandes clientes tem passagem pelo Banco de Eventos Dabster, Grupo Fischer América, entre outros. É co-autor dos livros “Marketing Promocional – Um Olhar Descomplicado” e “Trade Marketing – Ponto de Vista Expandidos”. Além disso, é palestrante e colunista de diversos portais e impressos especializados, e também membro do “Grupo de Pesquisa e Evolução de Mercado” da AMPRO (Associação de Marketing Promocional). Por fim, é professor de pós-graduação/MBA na FIA, Fundação Instituto de Administração e na FAAP, Fundação Armando Álvares Penteado.

Será um evento voltado aos profissionais com pouco ou nenhum conhecimento do setor de Live Marketing, estudantes das mais diversas áreas da Comunicação, além de profissionais do mercado que procurem olhar de forma ainda mais estratégica para suas campanhas de atração de clientes às lojas e fechamento de vendas.

No site  www.kataventoonline.com.br o público pode fazer as inscrições e encontrar os valores e formas de pagamento.

Programa-se e aproveite para conhecer ainda mais este tema que está crescendo no mercado publicitário brasileiro. Recomendo!

Enfim, professor no Uniceub!

Aula_no_Uniceub

Na última quarta-feira, 11/03, um programa diferente me reavivou o gosto por ser professor. Após 1h30 de longo trajeto no trânsito chuvoso que parou Brasília, estive na Pós-Graduação de Marketing e Cadeia de Valor, no Uniceub, coordenado pela professora Joana Bicalho, onde pude, durante 3h45, explanar sobre os segmentos do marketing para uma turma superinteressada.
Esta atividade representou para mim algo muito especial, pois em 13 anos de carreira como docente universitário, jamais havia tido a oportunidade de ministrar uma aula na instituição que me formou e cujo nome sempre tive orgulho em carregar no currículo, embora a UCB tenha sido a casa que me acolheu e da qual eu e minha família guardamos boas lembranças.
Obrigado, prof. Joana, pela experiência. Agradeço também a participação entusiasmada dos alunos Renato Baldu, Cris de Andrade, Claudiana Sesana, Cristiane Cassimiro, Sérgio Tavares e minha ex-aluna da UCB, Natalia Raso, entre outros.
Espero nos vermos em outra oportunidade, na “melhor instituição que forma empreendedores!”. Valeu, turma!

O que é marketing esportivo?

MarketingEsportivo

Marketing esportivo é o processo de elaborar e implementar atividades de produção, formação de preço, promoção e distribuição de um produto esportivo para satisfazer as necessidades ou desejos de consumidores e realizar os objetivos da empresa (Pitts & Stolar).

Desdobramento natural do patrocínio, o marketing esportivo representa a associação da marca de uma empresa a uma agremiação, de forma a alavancar os negócios e posicionar a imagem do patrocinador. Um bom exemplo de como esta filosofia é praticada está na equipe de basquete do Uniceub, em Brasília, que patrocina a equipe do Instituto Viver Basquetebol (IVB). Este time originalmente chamava-se Universo e constituía-se em estratégia de entrada da Universidade Salgado de Oliveira na Capital Federal. Embora a estratégia tenha sido vitoriosa para a Universo, a instituição de ensino superior desistiu de abrir unidades do Distrito Federal. O legado da equipe criada em 2000 foi absorvido pelo Centro Universitário de Brasília, rebatizando a equipe para Uniceub/BRB/Brasília.

A estratégia do Uniceub foi acertada, pois a equipe conquistou o tricampeonato do Novo Basquete Brasil (NBB),  a quarta conquista do IVB em seis finais consecutivas, conquista a hegemonia nacional na modalidade. Os ganhos de imagem para a universidade foram inúmeros, tanto em mídia quanto em posicionamento de imagem, sem falar na influência indireta no aumento de matrículas da instituição. Cabe lembrar que a boa gestão empresarial e de marketing do Uniceub contribui sobremaneira para a sinergia de esforços em prol dos resultados esperados.

 

 

 

Curso grátis da FGV: Como gastar conscientemente

Cursos grátis FGV

A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a ser membro do OpenCourseWare Consortium – OCWC –, um consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo, pela internet.

Entre os novos cursos oferecidos pela instituição está o “Como gastar conscientemente”, muito recomendado em tempos de contenção de despesas, em função das atuais incertezas econômicas.

O propósito da disciplina é orientá-lo sobre os objetivos da administração do dinheiro, melhores opções de compra e discutir a felicidade pelo consumo. O curso é ministrado pelo prof. Fabio Gallo Garcia.

Inscrições no site de cursos grátis da FGV.

 

Quer aprender espanhol de graça?

busuu

Ao pesquisar cursos de espanhol gratuitos na internet, deparei-me com um ambiente interessante para o aprendizado deste idioma.

Trata-se do Busuu, uma startup que oferece o aprendizado gratuito de diversos idiomas. As aulas são formatadas de forma a permitir a compreensão da pronúncia e do significado das palavras, ajudando no ensino do idioma.

O site tem recursos mais sofisticados que são acessados mediante pagamento, mas a parte básica já auxilia bastante. Vale a pena conferir!

FGV Brasília promove ciclo de palestras gratuito

O FGV Management Brasília promove mais uma edição do Ciclo de Palestras, série de eventos que reúne especialistas, acadêmicos, lideranças e referências no mercado, como Luís Carlos Ewald, Marcos Henrique Facó, Daniel Plá, Paulo Ferracioli e Sérgio Niskier, entre outros. Serão 10 palestras, além de um seminário de abertura com o vice-diretor da área de educação executiva da FGV, Stavros Xanthopoylos, que falará sobre o futuro da educação continuada no mundo digital.

As palestras acontecem nos meses de março e abril, sempre a partir das 19h30min, no auditório do FGV Management Brasília (L2 Norte, Quadra 602). Ao final de cada sessão, serão concedidos certificados aos participantes. As vagas são limitadas. Para mais informações e inscrições, acesse: http://mgm-brasilia.fgv.br/eventos

(Fonrte: Acontece Brasília)

Concorrência desafia mercado de ensino universitário

A recente crise econômica envolvendo a UniverCidade e a Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro, está mobilizando a sociedade a tal ponto que o Governo Federal cogita em encampar as instituições para assegurar sua continuidade.

A alternativa encontrada no momento é a transferência assistida, onde o Ministério da Educação irá monitorar o processo de transferência dos alunos das universidades para outras instituições de ensino superior, visando assegurar a manutenção do valor das mensalidades e garantir o acesso do estudante ao seu curso.

Por trás da crise econômica destas universidades não está apenas a má gestão. O fato é que as instituições de ensino presencial estão recebendo a concorrência agressiva e, sob o ponto de vista legal, desleal dos cursos universitários virtuais.

Por um lado, cursos tradicionalmente procurados, como engenharia e medicina, continuam gerando boa demanda de alunos presenciais, assegurando a sobrevida das instituições clássicas. Entretanto, por outro, os baixos valores das mensalidades de cursos virtuais tem atraído um contingente cada vez maior de estudantes.

As exigências do MEC para se abrir um curso virtual não são tantas quanto para as instituições presenciais. Tal fato também tem estimulado um número cada vez maior de empresários que se aventuram naquele segmento.

A solução para as instituições presenciais tem sido também adotar seus cursos virtuais, mas para isso é necessário que os gestores tenham a sensibilidade de adaptar adequadamente a metodologia de ensino e rever seus custos sem prejudicar o projeto pedagógico e a remuneração do principal prestador de serviço neste processo, que é o professor. Neste contexto, o marketing teria o nobre papel  de reforçar a qualidade de ensino e posicionar adequadamente a marca das instituições junto à clientela..

O Distrito Federal, onde resido, vem registrando anualmente o fechamento de universidades, bem como agora o Rio de Janeiro e outros estados. Caso os gestores não se adaptem a estes novos tempos, este fato irá se repetir cada vez mais, para alegria dos cursos virtuais e tristeza dos profissionais das presenciais que perderão seus empregos.

Programa gratuito da Febraban ajuda planejamento financeiro

Jimbo1

Jimbo é o nome de um software gratuito de planejamento financeiro. Disponível no sitem Meu Bolso em Dia, o aplicativo foi desenvolvido com apoio da Febraban – Federação Brasileira de Bancos e possui uma interface fácil e amigável, permitindo lançamentos de receitas e despesas, além de oferecer a geração de relatórios e gráficos para que o usuário obtenha uma experiência muito útil à gestão de seu dinheiro.

Atualmente, venho utilizando este software e estou satisfeito com a proposta do aplicativo. Não espere gráficos ou relatórios sofisticados, mas as informações por ele geradas são muito úteis para a família e para microempresas. Recomendo!

Educação: o futuro das exportações

Cartilha A Nossa Ilha

Cartilha A Nossa Ilha

Quando criança, vivenciei um programa do Governo Federal intitulada “Contribuinte do Futuro”, um projeto de educação fiscal da Receita Federal que buscava sensibilizar o público infantil para a importância do pagamento de impostos como elemento de cidadania e crescimento do país.

De 1971 a 1980, o programa atingiu 40 milhões de livros distribuídos e 50 mil escolas e contava com amplo apoio do Ministério da Educação. Como parte do programa, eram distribuídas cartilhas educativas e promovido um concurso de redação com boa premiação para os melhores autores. Lembro-me de que, na sétima série do ensino fundamental, elaborei uma entusiasmada redação, mas que infelizmente não foi selecionada pela comissão julgadora.

Sempre fui um entusiasta daquele projeto, que não tem mais o mesmo nome, mas ainda continua sendo executado em outro formato, intitulado Turma do Leãozinho, com personagens de histórias em quadrinhos própria e website de grande interatividade. Acredito no poder deste tipo de educação para a geração de resultados a longo prazo, embora as atuais políticas governamentais privilegiem aquelas que geram resultados e curto e médio prazos.

Na minha concepção, acredito que um programa semelhante poderia ser desenvolvido por alguma das entidades envolvidas no comércio exterior – MDIC, Apex-Brasil, ABDI, AEB, entre outros -, seja por iniciativa individual ou coordenada entre aquelas e o Ministério da Educação. Tal como a Turma do Leãozinho, poderia ser criado um personagem que criasse empatia das crianças com a internacionalização e exportação de produtos, de forma a demonstrar a importância de tais processos para o crescimento do país, para a geração de empregos e até para a promoção do Brasil.Palestras poderia ser ministradas em todo país por agentes daqueles órgãos, bem como poderiam ser promovidos concursos de redação e vídeos para estimular a reflexão e o engajamento do público infantil à causa exportadora.

Esta modalidade de educação comercial poderá contribuir consideravelmente para a evolução da cultura empreendedora de nosso povo, que já é ativo em negócios no mercado externo mas pode ser mais ainda no mercado internacional. Como afirma Cecília Lopes da Rocha Bastos, “é na mente da criança que se pode plantar o futuro”.

Afonso Galvão é o novo reitor da UCB

AfonsoNa noite de ontem, 26 de junho de 2013, tomou posse o novo reitor da Universidade Católica de Brasília, Afonso Celso Tanus Galvão, que terá o apoio do professor Jorge Hamilton Sampaio, como Pró-Reitor Acadêmico, e o professor Vanjivaldo da Silva, Pró-Reitor de Administração.

Graduado em Psicologia em Londres e em música pela Universidade de Brasília, Afonso Galvão concluiu cursos de Mestrado e Doutorado em Psicologia Educacional na Inglaterra, Atualmente é professor adjunto II do Núcleo Permanente do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação da UCB, tendo ocupado cargos de diretor na instituição e desempenhado consultorias para diversos organismos governamentais e internacionais, possuindo bom trânsito junto a entidades de fomento à pesquisa.

Embora eu não faça mais parte do quadro docente da empresa, tenho acompanhado as mudanças desenhadas para a instituição.

A principal preocupação que detectei no discurso do novo reitor é a consolidação da pesquisa como diferencial da única universidade particular do Distrito Federal.

Preocupado com a identidade da instituição frente ao aumento da concorrência no mercado universitário, Afonso Galvão aponta o investimento na pesquisa, tanto por parte de docentes, quanto pelos alunos, como o principal diferencial a pontuar aquela IES. “Estamos assumindo a expectativa de oferecer uma Instituição Universitária do mais alto nível, uma Instituição Universitária que seja permeada pela pesquisa em todos os seus segmentos, uma Instituição que exija não somente professores autores, mas alunos, estudantes autores”, afirmou o Reitor.

O caminho traçado pelo novo dirigente é racional, uma vez que a Universidade deve se destacar pelo que faz de melhor. Embora algumas medidas me preocupem, como a demissão semestral de docentes na instituição, devo concordar com a proposta do reitor, pois está antenada com o projeto pedagógico e a excelência sempre buscada pela UCB.

Resta agora verificar se a força de seu discurso se consolidará em números positivos de crescimento, a exemplo do que ocorreu na gestão do Pe. Romualdo Degasperi no período 2007-2011, quando a instituição chegou a registrar 23.000 alunos matriculados.

Os tempos são outros, os resultados poderão não ser tão grandiosos, mas o desafio é o mesmo: manter a UCB como a principal instituição de ensino superior  privado da Região Centro-Oeste.  O caminho é investir em pesquisa e na valorização de seus quadros docente e administrativo, um caminho plenamente possível!

Dictionarist: uma ferramenta versátil para tradução

Dictionarist é uma ideia exclusiva para web, pois permite é um dicionário que permite o acesso a uma palavra com o mesmo significado em várias línguas.

Usar este serviço on-line é bastante simples. Basta procurar o termo e esperar até que o Dictionarist conclua a busca. Serão exibidos resultados para todas as línguas nas quais o programa encontrar correspondentes em seu banco de dados – mas sem uma ordem definida.

Outra boa ferramenta do Dictionarist é a possibilidade de escutar a pronúncia das palavras. Ao lado de cada palavra buscada, aparece um ícone em forma de autofalante: clique nele e escute a pronúncia.

Dictionarist permite buscas em português, inglês, francês, alemão, chinês (tradicional e simplificado), coreano, grego, albanês, russo, italiano, turco, espanhol, holandês e japonês. Porém, o banco de dados do programa ainda é insuficiente e com pronúncias de sotaque duvidoso.

Mesmo assim, vale a pena conhecer esta ferramenta que pode ser útil até para a atividade de branding, especificamente na área de naming.

A necessidade de uma pós-graduação

A grande competição no mercado está levando a um aquecimento na demanda por cursos de pós-graduação.

De um lado, gestores governamentais procuram os cursos para engordar seus contracheques, reforçados por um plano de carreira que valoriza a qualificação profissional. Por outro, profissionais da iniciativa privada vêem nos MBAs e similares um requisito para sua sobrevivência no mercado. Se der para fazer um mestrado ou doutorado, melhor ainda para seus curriculum e conta bancária.

Mais importante que simplesmente buscar um curso de pós-graduação é escolher bem o curso para que ele acrescente à sua carreira e demonstre evolução em seus conhecimentos contemporâneos.

O recomendável, hoje, é fazer uma pós-graduação a cada 5 anos, pois importantes mudanças acontecem no mercado e requerem uma nova habilidade dos profissionais. Até um tempo atrás, bastava uma pós-graduação em marketing para um egresso de cursos de publicidade ou administração valorizasse seu currículo. Hoje, além da pós em marketing, é necessário outra em inteligência competitiva e, na sequência, marketing digital e até recursos humanos.

O importante é não estacionar em seu currículo, principalmente tendo a opção de cursar opções de pós-graduação à distância, uma opção econômica e flexível.