Para que divulgar minha empresa se não consigo vender mais do que vendo?

Esta pergunta me foi formulada recentemente por um empresário ao se justificar por que não possuía um website para seu negócio. Como sempre faço, inicialmente concordei com seu ponto de vista, mas provoquei-lhe uma reflexão sobre seu planejamento estratégico e a função da comunicação para o empreendimento.

Concordo, do ponto de vista negocial, que ao trabalhar no limite de sua comercialização, o empresário passe a se concentrar na administração da empresa e deixe para segundo plano o processo comunicacional junto ao seu público-alvo. Abandonar a comunicação, entretanto, prejudica a valorização da marca e seu posicionamento junto ao target. É aí que quero chegar.

Uma organização que desfruta de permanente êxito comercial deve aproveitá-lo para a construção de sua marca. Perceba que obter sucesso na comercialização não significa tornar-se o número um em vendas. A competitividade, normalmente, é grande nos mercados atrativos e, em muitas ocasiões, o sucesso da comercialização de toda produção da empresa pode não revelar crescimento no mercado, mas sim uma limitação nas possibilidades de crescimento. Como, então, crescer no mercado sem construir uma marca sólida?

A única explicação para aquela postura do empresário é a acomodação com o patamar alcançado. Esta atitude, por si só, é compreensível, porém toda empresa que se acomoda no mercado cria abertura para o crescimento de outra às suas custas, o que ocorre gradualmente e só é percebido tardiamente por quem optou pela estagnação.

A Comunicação não serve apenas aos propósitos de venda, mas à formação de um bom conceito da empresa e de seus produtos no mercado, revertendo para a valorização de sua(s) marca(s). Ainda que não esteja nos planos da organização a venda pela internet, a comunicação via website, blog, e-mail e outras ferramentas básicas pode contribuir substancialmente para uma melhor percepção dela pelo mercado.

 

Blog do Elias completa 6 anos

200 mil acessos. 1.197 posts. 400 comentários.

Este é o balanço inicial que faço pelos 6 anos que o Blog do Elias completa neste mês de fevereiro. Sem badalação, inspirado pela família e incentivado por amigos, abri este espaço em 2008 para compartilhar conhecimento e reflexões sobre marketing, comunicação e negócios. A experiência foi muito rica.

Aos poucos, habituei-me a postar todos os dias, até que aprendi a usar a postagem agendada, o que facilitou a publicação de minhas idéias. A interação com os usuários foi maravilhosa. Conheci outros blogueiros e descobri que muita gente legal gostava de ler meus textos, o que me motivou bastante.

Utilizei este espaço para exaltar boas idéias, indignar-me contra incoerências e injustiças e, principalmente, disseminar as boas práticas. Também abordei temas pessoais, como o nascimento de meus netinhos, aniversários e formaturas de minhas filhas e outros fatos importantes. Até sobre casamento abordei. Aliás, neste ano, eu e Gilcéia completamos Bodas de Ouro. Que felicidade!

Agradeço especialmente às colegas professoras Rosana Pavarino e Lila Ribeiro, e ao aluno Luiz Henrique Quemel, blogueiros que me incentivaram a perseverar neste espaço. Em tempos de Facebook e Twitter, o blog parece uma mídia ultrapassada, mas estou procurando novos caminhos para mantê-lo ativo e atualizado, ao mesmo tempo em que enveredo por novas plataformas.

Agradeço a você, leitor, por prestigiar este espaço de idéias. Continue com a gente!

Nos próximos dias trarei novidades. Aguardem!

Chegamos ao milésimo post!

Enfim, alcançamos, hoje, o milésimo post do Blog do Elias. Quis Deus que este fato ocorresse exatamente no Dia Mundial da Propaganda, 04 de dezembro. Parece que foi ontem que inaugurei este espaço reflexivo na web. Os números não são gigantescos mas retratam a dedicação que pude dar a este filhote: 1.000 posts, 362 comentários, 156.000 acessos. Para marcar a data, gostaria de pontuar alguns momentos importantes.

Meu primeiro texto foi uma reflexão sobre marketing: “Promoção de vendas constrói marcas?“. Sempre me preocupei em discutir algumas questões que me incomodavam ou movimentavam o mercado. Abordei  histórias saborosas da propaganda brasileira, como “O teste da bomba” e personagens relevantes como Neil Ferreira, o criador do Leão do Imposto de Renda. Nestes quase 5 anos, procurei sempre retratar o universo do marketing em posts didáticos (“Você já pensou em ser um gerente de produto?) e também preocupado com a empregabilidade (“Marketing não é só para publicitários e administradores!”). Por falar em empregabilidade, sempre procurei abordar novas profissões (“Já pensou em ser historiador de empresas?“).

Neste período, não deixei de abordar algumas questões pessoais, relembrando lugares (“Minha Monte Carmelo“) e pessoas (“Tio Tito e a Internet“). Comuniquei a morte (“Morre Liberato, o tio da pipoca da UCB) e celebrei a vida (“O sorriso do avô de Alice”).  Abordei a alegria de testemunhar uma filha iniciando a vida universitária (“Parabéns, Môle!”) ou então a formatura de outra (“Da alegria de ser pai“). Orgulhoso, exaltei o amor de minha vida (“20 anos de paixão”). Falei de ídolos (“Vai-se o ídolo. Fica a marca!“), de amigos (“Amigo é coisa pra se guardar…“) e de pessoas exemplares (“Luciano Seixas, a Voz do Brasil“).

Sempre procurei trazer coisas novas, abordando até autores que não encontramos sequer na Internet (“Iannis Kiourannis e a poesia grega“). Preocupei-me em oferecer serviço aos leitores (“Como saber se o preço de uma máquina de lavar é justo?“), bem como abordar boas práticas em Brasília (“Ferramentas de promoção são úteis em marketing de serviços“).

Neste post eu poderia fazer uma grande seleção de posts que considero importantes nesta caminhada, mas deixo a navegação por conta dos leitores que dedicarem um tempo a esta tarefa. A lista acima já dá um bom panorama de minha pretensão neste espaço que já é um hábito em minha vida.

A todos os leitores fieís ou eventuais, meu muito obrigado pelo prestígio, pelos comentários e pela força. Prometo procurar melhorar este site cada vez mais!

A influência dos blogs na formação de opinião do consumidor

É cada vez mais comum que os consumidores busquem nos mais diversos blogs informações sobre os produtos que desejam consumir. Em muitas ocasiões, acabam contratando aqueles que são bem recomendados pelos blogueiros. Acredito que, embora isto realmente ocorra, a influência dos blogs é relativa, pois a confiabilidade do blogueiro deve ser significativa junto ao seu público. Quando a opinião daquele é fundamentada, os leitores tendem a confiar mais. O tempo de experiência do blogueiro com seu público também conta muito para sua credibilidade.

A publicidade espontânea gerada pelo blogueiro pode ser considerada marketing digital? Acredito que pode ser considerada marketing digital se for uma tática estruturada por uma empresa de marketing que atenda aos interesses dos fornecedores e se relacione bem com os blogueiros. Uma empresa experiente em marketing digital certamente saberá lidar sutilmente com estes influenciadores da opinião pública para que consigam atingir os fins para seus anunciantes.

Deve-se observar, porém, que os blogueiros tendem a recomendar o que experimentaram ou ouviram dos relatos de experiências de pessoas próximas. Evidentemente que um blogueiro pode “manipular” suas opiniões para atender a barganhas comerciais que lhe tragam vantagens, mas estará colocando sua reputação em risco. A tentação financeira pode ser grande, pois há empresas que procuram os donos de blog tanto para influenciá-los quanto para negociar com eles explicitamente o seu apoio ao produto da organização.

A internet consolidou-se como fonte de informações e é natural que as pessoas busquem informações da forma mais imediata, que é acessando rapidamente sites em seu computador, sem depender fisicamente de ninguém para se informar. Mas não creio que este nível de confiança das pessoas nos blogs aumente, pois muitos usuários de web já perceberam que é possível fraudar opiniões na internet, principalmente com ações de seeding, do qual falarei nas próximas semanas.

Por fim, é importante que as empresas monitores a opinião dos usuários de web sobre seus produtos e serviços, pois comentários negativos podem se multiplicar na rede e atingir fatalmente uma determinada marca. Dependendo do segmento ao qual a empresa pertence, o “estrago” pode ser considerável e rápido. Portanto, cuide bem de sua marca na web.

Blog corporativo é uma prática mercadológica irreversível

A comunicação mais eficaz proporcionada pelo advento da internet fez com que as corporações se apropriassem de suas ferramentas, como as redes sociais, comunidades, e-mail e websites. Com o blog, as empresas passaram a contar com mais um instrumento eficaz de relacionamento com seu público.

Cada vez mais as empresas estão se valendo de blogs para a criação de mais um canal de relacionamento com seus clientes, até por que ele se constitui em um bom complemento para os websites e as mensagens veiculadas em redes sociais, pois é possível oferecer informações pormenorizadas sobre um determinado tema de interesse.  Bons exemplos de empresas que utilizam adequadamente são o Magazine Luiza, com o Blog da Lu e o Blog da Bullet. Entre as vantagens de se ter um blog corporativo estão:

  • Colocar o diretor da empresa e seus profissionais como líderes de tendências, experts no assunto, projetando a  imagem da empresa;
  • Humanizar a empresa, oferecendo-lhe uma identidade;
  • Melhorar o relacionamento com seus clientes;
  • Oferecer suporte interno ou externo para seus produtos ou serviços;
  • Promover a marca da corporação;
  • Fonte de informação sobre a empresa, invertendo a relação Empresa-Imprensa;
  • Construir relacionamento com possíveis parceiros e interessados em potencial;
  • Manter contato com clientes e parceiros por meio de um canal acessível;
  • Promover um produto ou receber ajuda para desenvolver novos produtos;
  • Recrutar funcionários;
  • Aumentar o tráfego de seu website.

Aqui vão 4 dicas para deixar seu blog corporativo mais interessante e atrair novos seguidores:

  • Criar conteúdo relevante, evitando a simples divulgação de produtos e serviços; adicione matérias sobre acontecimentos do setor, novidades, cases e informações úteis.
  • Tenha foco e consistência – Trace os objetivos para o blog, pois isto ajuda a torná-lo útil e atraente.
  •  Tenha personalidade –  A linguagem, a identidade visual, os porta-vozes de suas matérias são algumas características que o tornarão único. Deixe que as pessoas conheçam mais sobre quem faz parte de sua empresa e estimule a interatividade.
  • Conteúdo exclusivo – Notícias exclusivas são um grande diferencial na internet. Quanto mais notícias exclusivas, mais audiência seu blog terá.

De volta às aulas

Estive de férias nas três últimas semanas, razão pela qual postei poucos comentários neste blog. Pausa para a família para programar o próximo semestre. Hoje retomo a rotina das aulas. São 10 turmas me esperando. Em agosto, completo 10 anos de Universidade Católica de Brasília. Estou animado com este semestre. Volto também à rotina do blog. Até amanhã!

Blog do Elias completa 100.000 acessos!

Hoje é um dia especial. Ao ler a estatística na coluna ao lado, o prezado leitor verificará que já alcançamos 100.000 acessos. Em 3 anos blogando de forma freqüente, jamais esperava alcançar esta cifra, até porque não faça qualquer propaganda do blog. Acredito que os temas aqui discutidos são, ao mesmo tempo, divertidos, informativos e relevantes. Tenho tido cuidado em selecionar os temas e compartilhar com meus 100 leitores diários, pois faço o blog como gostaria que o fizessem para mim. Mas é você, leitor, o verdadeiro responsável pelo êxito deste projeto. Para ter uma noção dos resultados, aqui vão alguns números: 100.000 acessos (1.131 em 2008, 30.457 em 2009, 54.437 em 2010 e 14.152 nos 4 primeiros meses de 2011); 680 posts, 258 comentários, 60 categorias e 73 links permanentes com conteúdo relevante sobre comunicação, gente, entretenimento e negócios. A todos os queridos leitores do blog, meu muito obrigado!

Como lidar com especuladores de domínios

Em post anterior, relatei que uma das atividades que pode ser rentável na web é registrar domínios diversos para especular com a venda dos mesmos para pessoas interessadas em utilizá-los futuramente. Agora vou dizer como lidar com especuladores que utilizam um domínio que lhe interessa.

Em primeiro lugar, é bom saber que para empresas legalmente registradas e com marcas notórias (como McDonald’s, Petrobrás etc.) a Justiça pode ser o caminho ideal, uma vez que muitas empresas obtiveram a posse do registro a partir de decisões em alçadas judiciais.

Em segundo lugar, para nós, pobres mortais, que nos frustramos ao ver que um determinado domínio que pretendíamos já está registrado, sugiro entrar, inicialmente, em contato com o proprietário do domínio e analisar a possibilidade de o mesmo abrir mão do mesmo. Caso este queira especular, cobrando-lhe um valor absurdo, rejeite a proposta e incremente o seu ambiente na web com informações atualizadas e conteúdo relevante. Como exemplo, cito o domínio “blogdoelias.com.br”. Ao digitá-lo no campo das URLs, o internauta não acessará meu blog, mas sim, um ambiente eternamente em construção, pois, ao que parece, o dono apenas deseja especular. Mas, para mim, isto não é problema, pois ao digitar “Blog do Elias” no Google, o link para meu blog é o segundo a aparecer na lista. Isto ocorre porque já editei mais de 600 posts neste blog, oferecendo conteúdo relevante para as pesquisas do mecanismo de busca Google. É assim que muitos amigos me localizam. Mas monitoro permanentemente o registro “blogdoelias.com.br”, pois sei que um dia o proprietário irá desistir do mesmo, pois anualmente ele necessita pagar uma taxa para manter o domínio.

Por último, sugiro que estude um domínio alternativo, com as extensões .com, .net ou .pro, por exemplo, também disponíveis para registro.

O blog volta à programação normal

Nos últimos dias, além da semana intensa de provas na UCB, estive envolvido emocionalmente com a morte de Mariana de Oliveira, a Mainha da Torre de TV. Estive acompanhando parcialmente o luto da família em relação a esta pessoa querida, a qual abordei em meu último post. Os sentimentos de amizade e admiração que tenho em relação a ela e sua família me fizeram prestar-lhe uma homenagem mantendo o post em destaque no blog nos últimos dias. Agora, retomo o ritmo com meus temas usuais. Que Deus esteja com ela e que nos abençôe a cada dia!

Twitter faz cinco anos com status de ferramenta de cidadania

“O Twitter, a plataforma de miniblogs que revolucionou o mundo virtual e ganhou uma importância social incomparável, fará cinco anos na próxima semana. Um dos criadores do site, Jack Dorsey, publicou seu primeiro “tweet” em 21 de março de 2006, onde se lia “só arrumando meu twttr”. Foi Dorsey que propôs a ideia de criar o Twitter quando trabalhava com Biz Stone e Evan Williams, da companhia de podcasting Odeo. Desde então, o Twitter foi amplamente utilizado como um fórum para dividir informações de todo tipo, de seu restaurante favorito até denúncias às violações aos direitos civis e convocações a movimentos de revolução. “Apesar de termos nos divertido muito sempre, acho que, no fundo, havia a ideia de que algo importante sairia dali”, explicou Stone sobre os primeiros dias do site. “Mesmo assim, não dissemos isso em voz alta nem conversamos sobre o assunto”, acrescentou o co-fundador do Twitter. “Nós estávamos apenas começando”. Williams, Dorsey e Stone pensavam que seria divertido construir um serviço que permitisse às pessoas publicar mensagens de texto curtas para dividir seus pensamentos, ‘insights’ e novidades com outras pessoas. A empresa com sede em San Francisco virou tendência depois de ser lançada na feira de tecnologia South By South West no Texas em 2007. “South By South West abriu os nossos olhos para o fato de que tínhamos, possivelmente, criado um novo jeito de as pessoas se comunicarem em tempo real.” Inicialmente concebido como uma plataforma para dizer ao mundo o que alguém comeu de café da manhã, o Twitter tornou-se respeitado ao ser utilizado em desastres como o terremoto no Japão e uma ferramenta de organização para defensores da democracia. Stone acredita ser vital para o Twitter permanecer politicamente neutro, como uma plataforma tecnológica focada na comunicação aberta. Ele viu a utilização do Twitter por revolucionários nos países árabes como uma prova de que, com as ferramentas certas, as pessoas podem se unir para o bem. “Uma das coisas que disse à nossa equipe na ocasião foi que o Twitter seria um êxito, não necessariamente uma vitória tecnológica, mas uma vitória de humanidade”, disse Stone. “Se tivermos sucesso, não será por conta dos algorítimos e de nossas máquinas, será pelo que as pessoas acabaram fazendo com essa ferramenta, isso é que nos torna um sucesso ou não.” Mais de 200 milhões de pessoas usam o Twitter, publicando mais de 140 milhões de mensagens de texto de 140 caracteres ou menos diariamente. Esse limite de caracteres foi escolhido para se equiparar às mensagens de celular. (Fonte: Brasil Econômico – 14/03/11)

De volta às aulas, de volta ao blog

Hoje retomo minhas atividades docentes na Universidade Católica de Brasília. Neste semestre, estarei ministrando Marketing I, Marketing Especializado, Marketing de Varejo, Políticas e Legislação em Comunicação e Empreendorismo. São 10 turmas (7 presenciais e 3 virtuais). Depois de quase 2 meses de férias, é hora de retomar a lousa com muita disposição e entusiasmo. Tempo também de retomar os posts no blog. Amanhã tem mais!

De volta às aulas

Ontem foi dia de voltar às aulas, após 3 semanas de recesso na UCB. Aproveitei o tempo para descansar e curtir mais a família. A partir de hoje, volto a postar diariamente neste blog. Nos últimos 3 dias, estive participando do Congresso Nacional de Educação Católica, em Brasília. Nos próximos dias, estarei falando um pouco sobre as lições importantes que ficaram deste evento para a carreira docente.