Ministério da Saúde entra no universo dos games para falar com jovens

Com o conceito “É nessa fase que você fica mais forte”, a campanha estreia com o filme em uma linguagem que mistura o mundo real com o mundo dos games, em 8 Bits e 3D, para contar a história da aventura de dois jovens que fogem dos vírus para encontrar uma unidade de saúde e se vacinarem.

A locução é do embaixador da campanha, o famoso Youtuber dos games, Zangado. Adolescentes poderão assumir o controle da aventura ao baixar o jogo para mobile, Detona Vírus, onde enfrentarão vilões dentro do corpo humano, recebendo a cada nova fase, conteúdos importantes sobre à saúde e a importância de tomarem as vacinas.

Como o principal ponto de contato entre os jovens e o Ministério da Saúde serão as plataformas digitais, teremos a Websérie com 4 episódios na linguagem Minecraft no canal do também Youtuber Fê Batista e uma ativação com os principais atletas de E-sport do país, competindo entre si no Detona Vírus.

A campanha é assinada pela agência brasiliense Fields360.

Você sabe o que é astroturfing?

astroturfing

Astroturfing é o ato de camuflar (“mascarar”) os patrocinadores de uma mensagem ou organização (ex: política, publicitária, religiosa ou de relações públicas), visando fazer parecer que ela tenha surgido ou seja apoiada por membros de movimentos populares espontâneos da sociedade, estes também conhecidos em inglês por grassroots. É uma tática que visa dar credibilidade a declarações ou organizações sem, no entanto, fornecer informações a respeito da conexão financeira de sua fonte.

O termo astroturfing deriva-se de uma marca de grama sintética similar a um gramado natural.  É um neologismo com a expressão inglesa “grasroots”, que, em português, seria o equivalente a “raízes da grama” e que significa movimentos espontâneos de uma comunidade. A implicação por trás do uso do termo astroturfing é de que não existem movimentos grassroots “verdadeiros” ou “falsos”, mas sim de apoio “falso” ou “artificial”, ainda que alguns de seus praticantes defendam a sua prática.

Na Internet, praticantes de astroturfing usam software com o objetivo de disfarçar as suas reais identidades. Às vezes, uma única pessoa opera vários perfis que passam a impressão de que existe um amplo apoio em favor de suas agendas.

Alguns estudos sugerem que essa atividade é capaz de alterar a maneira de pensar do público e de criar dúvidas o suficiente para inibir ações.

Perícia em marketing: dicas para se desenvolver na área

perícia

Em post publicado em 16 /02/16,  “Já pensou em ser perito de marketing?”,  relatei o contato que tive com uma nova área: a perícia em marketing.

Alguns leitores manifestaram interesse maior em conhecer esta área tão incipiente ainda no País e decidi oferecer alguns subsídios.

Inicialmente, para ser um perito, como a própria nomenclatura sugere, o profissional deve ter ampla experiência na área, com formação em nível superior. Tempo de serviço e curso superior, portanto, são requisitos essenciais. A formação superior deve ser em áreas correlatas a Marketing, como Administração, Comunicação e Economia, entre outras.

Além disso, o profissional deve ter uma formação focada nesta área. No caso da perícia em marketing, cursos de pós-graduação em áreas como Branding, Comunicação, Inteligência Competitiva e Economia, por exemplo, podem contar pontos para quem deseja ser reconhecido como especialista no segmento.

Possuir um mestrado ou doutorado em área relacionada a Marketing pode ser, também, fundamental para pesar na balança na hora da escolha do profissional. Sugiro pós-graduação em áreas como Administração, Comunicação e Economia, tendo como objeto de pesquisa, a perícia em marketing.

Além de estar habilitado em termos profissionais e de formação, é importante que o futuro perito de marketing habilite-se junto aos tribunais, se necessário até visitando juízes e desembargadores para apresentar sua expertise.

Ressalto que de nada adianta cumprir os requisitos acima se o profissional não possuir conduta ilibada, estando com seu nome “limpo” no mercado e sem histórico de processos judiciais, uma vez que a sociedade deve reconhecer no profissional uma pessoa honrada.

E você, já pensou em ser perito de marketing?

Linda Huber e seus desenhos a lápis

Utilizando apenas um lápis, ela desenha maravilhas.

Ela é Linda Huber, estadunidense do Brooklin (NY), 51 anos. Linda revela que gasta de 20 a 80 horas para realizar cada trabalho, a partir de fotografias. Tanto tempo dedicado a uma obra só poderia produzir um trabalho de muita precisão. Suas obras são utilizadas em publicidade, livros e websites.

“Eu não desenho o que vejo, mas o que conheço!”, revela Linda.

A qualidade das obras tem a ver com o nome da designer, não?

Internet: terra de todos ou “terra de ninguém”?

Ao ser concebida, a internet apresentou-se como um espaço de compartilhamento de conteúdo e de socialização, mas há quem esteja se apropriando indevidamente de conteúdos de terceiros para obter fama, formação ou dinheiro. E quem produz o conteúdo, como fica neste contexto?

Pena que tantos enxerguem a web como uma “terra de ninguém” e desenvolvam negócios que em nada valorizam quem se dedica a criar os conteúdos. A base da economia criativa é o respeito à cadeia de valor. É preciso regular os direitos autorais e a remuneração das obras na internet!

Particularmente, creio que a solução passa por 3 medidas:

a) Gerar contrapartidas obrigatórias de empresas formais que se apropriam dos conteúdos (Facebook, Google e serviços de armazenamento e compartilhamento na nuvem, como OneDrive, Dropbox e Google Drive, entre outros), obrigando-os a criar uma forma de reconhecer e proteger o produtor original do conteúdo;

b) Estabelecer um marco jurídico para pessoas que se apropriam de conteúdos de terceiros, exigindo que peçam autorização dos autores e responsabilizando-as em caso de apropriação indébita; e

c) Estimular empreendedores a criar negócios que se proponham a exatamente monitorar o uso indevido da produção de um determinado autor, a exemplo do que faziam, por exemplo, as editoras gráficas e as editoras musicais, por exemplo.

Tais medidas podem  parecer soluções utópicas, mas é preciso pensar em soluções para um uso indevido da web que está prejudicando autores e beneficiando quem exagera na apropriação e compartilhamento de conteúdo.

Creio que alguma instituição poderia patrocinar um grupo de pesquisadores para o tema, se é que talvez já não exista. Mentes brilhantes podem conceber soluções práticas para esta questão que vem transformando a web no império do “control-c, control-v”.

Por que youtubers fazem sucesso?

Se você já se fez esta pergunta, talvez o youtuber Cauê Moura tenha a resposta.

5 anos e 100 milhões de acessos depois, o apresentador reflete, com seu estilo bem-humorado, sobre seu sucesso e também o de outros profissionais que vivem de suas produções na principal rede social de vídeos da atualidade.

Para simplificar, podemos afirmar que os youtubers fazem sucesso por que seu público, formado a maioria por crianças e adolescentes, se identifica plenamente com eles, adotando-os como uma das rotinas de suas vidas. Para eles, assistir um vídeo de Cauê Moura, Julio Cocielo ou Kefera representa sintonizar com alguém que retrata o seu mundo e que assume o papel de companheiro, com seu conteúdo e com sua personalidade.

Estamos em um novo momento na comunicação e vale a pena compreendê-lo.

Como combater o mosquito Aedes Aegypti?

Dengue

Enquanto esperávamos que o combate ao mosquito transmissor da dengue surtisse efeito, eis que ele amplia seu raio de ação, trazendo outras duas doenças .

A melhor forma de se proteger do mosquito é evitar que ele se desenvolva, ou seja, eliminar os focos de larvas. O uso de inseticidas, por exemplo, não é uma boa forma de eliminar o Aedes aegypti adulto, já que estas substâncias estão gerando mosquitos resistentes. Além disso, o uso de inseticidas causa sérios danos à natureza. As contra indicações são as mesmas no caso de uso em larvas.

Assim, a melhor maneira de combater o mosquito adulto é eliminar as águas paradas, ou seja, os criadouros do mosquito. Não havendo água parada, as fêmeas não têm um lugar adequado para que seus ovos se desenvolvam e assim, a população de mosquitos adultos vai sendo reduzida até não representar mais perigo.

Porém, existe uma série de medidas que, embora não impeçam totalmente, dificultam a transmissão da dengue, chikungunya e zika, pelo menos a dificulta. São estas:

a) O uso de espirais ou vaporizadores elétricos: devem ser colo
cados ao amanhecer e/ou no final da tarde, antes do pôr-do-sol, horários em que os mosquitos mais picam.
b) Mosquiteiros: Devem ser usados principalmente nas casas com crianças, cobrindo as camas e outras áreas de repouso, tanto durante o dia quanto à noite.
c) Repelentes: Podem ser aplicados no corpo, mas devem ser adotadas precauções quando utilizados em crianças pequenas e idosos, em virtude da maior sensibilidade da pele.
d) Telas: Usadas em portas e janelas, são eficazes contra a entrada de mosquitos nas casas.
e) Ar condicionado: O uso do ar condicionado inibe o mosquito, pois baixa a temperatura e a umidade do ar, mas não o mata. Ele tem mais dificuldade para detectar onde estará a possível vítima de sua picada. Estes aparelhos apenas espantam o mosquito que poderá voltar em outro momento quando eles estiverem desligados.

Outubro Rosa da Marechal Brasília encerra-se hoje

Hoje encerra-se o mês de outubro e, com ele, a participação da Marechal Brasília no movimento Outubro Rosa, dedicado à conscientização da população para a prevenção do câncer de mama.

As iniciativas da empresa foram verdadeiro sucesso e, para agradecer à população, produzi este vídeo simples, com imagens colhidas no embarque do Ônibus Rosa na Universidade Católica de Brasília.

Ônibus Rosa da Marechal Brasília vira brinde aos passageiros

Na semana passada, discuti com Fábio Luciano, gestor da área de Excelência Operacional da Viação Marechal Brasília, onde trabalho, a idéia de elaborarmos uma miniatura em papel do ônibus rosa, que tanto tem atraído a atenção das pessoas nos últimos dias. Fábio ficou entusiasmado com a idéia e parti para a concepção da peça.

No dia seguinte, já elaborei a arte do ônibus, com muito cuidado com os detalhes. Em seguida, apresentei e a diretoria da empresa aprovou a idéia e o orçamento de produção.

Nesta semana, recebemos 2.000 exemplares da peça e a distribuimos para passageiros e funcionários. Ontem, acompanhei pessoalmente a distribuição pelos cobradores de cada viagem do ônibus rosa e pude ver a satisfação dos usuários ao receber a peça já cortada e com os vincos, esperando apenas a sua dobra para virar uma peça de papelmodelismo.

A peça foi mais um toque criativo que a Marechal Brasília deu ao movimento Outubro Rosa. Fiquei muito feliz por criá-la e executá-la.

CAM01079

Marechal Brasília lança campanha Outubro Rosa

No dia 14 de outubro de 2015, a Viação Marechal Brasília lançou sua adesão ao movimento Outubro Rosa, destinado a conscientizar a população feminina a se prevenir contra o câncer de mama.

Com ação de assessoria de imprensa, lançamos a campanha utilizando o ônibus rosa como elemento de impacto e ilustrativo. Como local escolhido, marcamos com 5 equipes de TV locais entrevistas entre a Estação Rodoviária de Brasília e o Conjunto Nacional, shopping tradicional da cidade.

Acompanhei as entrevistas, que foram dadas pela coordenadora do projeto, minha colega Rana Zelaya, que no vídeo abaixo fala sobre a campanha a repórter da Rede Globo.

Ficou pronto!

No dia 13 de outubro, o ônibus 443383 da Marechal Brasília enfim estava com sua nova cor.

Ao sair da garagem, chamou a atenção dos funcionários, pois muitos ainda não sabiam que estávamos envelopando o veículo nos últimos 3 dias.

Agora, era só apresentar a novidade à população através da imprensa. Mas isto já estava providenciado por nossa assessoria.

Envelopando o ônibus rosa

Os dias escolhidos para envelopar o ônibus articulado da Marechal Brasília foram 10, 11 e 12/10/15.

O trabalho é complexo, pois aplicar o adesivo uniformemente, sem “bolhas”, exige os 3 Ts: talento, técnica e tranquilidade. E isto a equipe da SpeedPress demonstrou.

Acompanhei o trabalho da equipe e posso constatar a complexidade que é uma proposta aparentemente tão simples como adesivar um veículo.

No vídeo abaixo, apresento um pouco dos bastidores da atividade.

Promoção de vendas constrói marcas?

promo

A discussão é antiga: promoção de vendas constrói marcas?

Na minha opinião, creio que a resposta é “depende”.  Depende da agressividade da estratégia de promoção de vendas escolhida e da freqüência com que se utiliza esta ferramenta. Ao longo do planejamento de marketing, utilizar ações de promoção de vendas é até salutar. Mas utilizada em excesso, pode chegar a afetar a própria credibilidade da empresa.

Lembro-me que, na minha infância, assistia freqüentemente a comerciais de uma loja de varejo de Taguatinga, denominada Lojas Map, que tinha como símbolo um leão. Toda semana, veiculavam a informação de que estavam em promoção. De tanto anunciarem suas promoções, as Lojas Map perderam a credibilidade e viraram motivo de piadas. As Lojas Map, hoje, estão apenas na memória de quem viveu esta época.