Agora ou nunca!

Hoje tive contato com um video interessante sobre motivação, denominado “Aqui e Agora”.

Aproveito para compartilhá-lo com os queridos leitores.

Anúncios

Como você tem escalado “seu Everest”?

Há 3 anos venho imergindo no pop rock francês e descoberto muitos artistas bons de letra e bons de música.

Um deles é o rapper Soprano, que neste ano lançou o single “Mon Everest”, tendo como convidada a cantora a Marina Kaye.

A canção fala da luta de Soprano para vencer na vida, com passagens como

“Tudo é possível quando você sabe quem você é.
Tudo é possível quando assume quem você é.
Agora olhe para mim e contemple meu sacrifício no topo do meu Everest”.

A música vale pelo talento da letra de Soprano e a bela voz de Marina Kaye no refrão:

“Eu fiz minha escalada na vida, escondendo, e lutando pelo que que quero.
Eu não tinha ninguém ao meu lado, apenas o meu pão, a minha fome e minhas lágrimas.
Eu sei, eu sei, eu sei
Eu sei, eu sei, eu tenho que lutar, lutar
Lutar, lutar por quem eu sou
E eu vou.”

Aprecie e diga o que você achou da música e do clipe.

Ministério da Saúde entra no universo dos games para falar com jovens

Com o conceito “É nessa fase que você fica mais forte”, a campanha estreia com o filme em uma linguagem que mistura o mundo real com o mundo dos games, em 8 Bits e 3D, para contar a história da aventura de dois jovens que fogem dos vírus para encontrar uma unidade de saúde e se vacinarem.

A locução é do embaixador da campanha, o famoso Youtuber dos games, Zangado. Adolescentes poderão assumir o controle da aventura ao baixar o jogo para mobile, Detona Vírus, onde enfrentarão vilões dentro do corpo humano, recebendo a cada nova fase, conteúdos importantes sobre à saúde e a importância de tomarem as vacinas.

Como o principal ponto de contato entre os jovens e o Ministério da Saúde serão as plataformas digitais, teremos a Websérie com 4 episódios na linguagem Minecraft no canal do também Youtuber Fê Batista e uma ativação com os principais atletas de E-sport do país, competindo entre si no Detona Vírus.

A campanha é assinada pela agência brasiliense Fields360.

Grupo Habib’s distribui broches e cartazes para manifestantes

 

Woman holding a blank poster

Em engajamento inédito de uma empresa em manifestações políticas, O Grupo Habib’s, dono das redes de restaurantes Habib’s e Ragazzo, se posicionou a favor das manifestações contra o governo federal e a corrupção, ocorridos hoje, 13/03, em todo país.

Na tarde da última quinta-feira, 10/03, a empresa enviou às redações de várias publicações brasileiras um kit com cartazes contra a corrupção e uma carta. No texto, o grupo afirma que mudaria a identidade visual das lojas Ragazzo e Habib’s para verde e amarelo no dia das manifestações. A empresa distribuiu 150 mil cartazes e broches com palavras de ordem para os manifestantes.

“A rede tomou a decisão de apoiar a manifestação por conta da deterioração da economia brasileira e do caos político do país”, afirma Alberto Saraiva, 62 anos, fundador e presidente do Habib’s. “Tivemos muitas conquistas sociais e econômicas, mas estamos perdendo todas e precisamos protestar.”

Saraiva foi às ruas neste domingo.

Apesar dos indicadores negativos em vários setores da economia, o Habib’s não passa por um mau momento. Segundo Saraiva, a empresa fez alguns ajustes de custos, elaborou promoções no cardápio e até manteve os preços, apesar da alta nos alimentos. “Eu não estou sofrendo nos negócios, mas fico indignado pelo povo e por amigos empresários que estão passando um grave aperto”, afirma.

No final de 2014, o Habib’s foi alvo de uma operação de fiscais e autoridades das Secretarias de Fazenda de alguns estados brasileiros.

Chamada de Flex Food, a operação apurava supostas fraudes em unidades franqueadas da marca, como subfaturamento das notas de entrada, venda sem documentação fiscal e classificação de produtos em desacordo com a legislação.

Questionado sobre o assunto, Saraiva diz: “Os processos resultantes da operação foram arquivados pela justiça.”

Ele afirma que o empresariado também deve respeitar as leis, como qualquer cidadão ou político. “Ser empreendedor não é fácil, mas eu tenho convicções. E ensino essas convicções para meus filhos e aplico na minha empresa. Pois eu quero ter uma empresa que dure para sempre”, diz.

Use sua monografia para conseguir emprego

Quando cursava o MBA em Marketing na Fundação Getúlio Vargas, em Brasília, decidi que queria trabalhar em marketing hospitalar. Acreditava que seria uma área promissora, uma vez que as instituições privadas de saúde careciam de direcinamento estratégico em seus mercados. Ao final do curso, elaborei uma monografia intitulada “A importância do Endomarketing nas instituições privadas de saúde”.

Confesso que o trabalho não saiu lá grande coisa, uma vez que tive meu tempo atropelado por um novo emprego no Taguatinga Shopping. Tirei nota 8 no trabalho, orientado pela professora Luciana Mourão Cerqueira e Silva (hoje na Universidade Salgado de Oliveira). Adicionei o título de meu trabalho em meu curriculum e o enviei a diversas instituições de saúde. Uma delas, o Hospital Santa Luzia, estava estruturando seu departamento de comunicação e marketing e chamou-me para uma entrevista, onde fui questionado sobre minha monografia e dada a oportunidade para “vender meu peixe”.

Passei por três etapas da seleção, mas não levei a vaga. Mas ficou a lição e desde lá venho recomendando aos meus orientados de trabalho de conclusão de curso que sejam criteriosos na definição de seus temas, pois estes podem devem ter relação direta com os objetivos profissionais deles.

A mesma recomendação serve para você, caro leitor. Você deu ou tem dado atenção ao desdobramento da escolha de seu tema para monografia? Lembre-se que ela pode ajudar a alavancar sua carreira.

Não encare a monografia como apenas um complicado exercício, mas sim, a possibilidade de criar interesse dos empregadores por seu nome. Pense nisso!

Sonho de empreender motiva britânico a visitar 30 países provando pizza

Se fazer benchmarking é um dos segredos para obter sucesso nos negócios, o britânico Phil Duncan, de 28 anos, levou esta regra ao extremo. O viajante já passou pelos cinco continentes e visitou 30 países provando a pizza de cada localidade. Para ele, a pior de todas foi a que comeu na Argentina.

Tudo começou quando Phil tinha apenas 5 anos e comeu uma baguete de pizza na Disney de Paris, na França. Ele se apaixonou pelo sabor e, mais tarde, se propôs um desafio: conhecer 30 países antes dos 30 anos e comer pizza em todos eles.

Para compartilhar a experiência, Phil possui uma conta no Instagram na qual posta fotos comendo suas pizzas ao redor do mundo.O perfil já possui mais de 15 mil seguidores.

O sonho do britânico é abrir sua própria pizzaria. Ele conta que aproveita as viagens não apenas para comer, mas também para aprender a preparar a iguaria. Experiência, ao que parece, ele já acumulou.

Jean Michel Jarre se reinventa com “Electronica”

A dinâmica dos novos tempos vem exigindo dos artistas modernos uma permanente reinvenção. Este é o caso do tecladista e arranjador francês Jean Michel Jarre, um dos pioneiros da música eletrônica nos anos 70 e que vem, década após década, surpreendendo e se adaptando à cena musical do momento.

Decidido a dar uma nova roupagem à sua música, Jarre convidou diversos artistas com quem se identifica para produzir o novo álbum intitulado “Electronica”, onde apresenta o resulta de uma pesquisa produzida com gente do quilate de Vince Clarke, Armin van Buuren, Pete Townshend, Moby, Tangerine Dream, John Carpenter, Little Boots e muitos outros.

Assista o trailer e confira a qualidade do resultado. Você vai se surpreender!

 

Marechal Brasília lança campanha Outubro Rosa

No dia 14 de outubro de 2015, a Viação Marechal Brasília lançou sua adesão ao movimento Outubro Rosa, destinado a conscientizar a população feminina a se prevenir contra o câncer de mama.

Com ação de assessoria de imprensa, lançamos a campanha utilizando o ônibus rosa como elemento de impacto e ilustrativo. Como local escolhido, marcamos com 5 equipes de TV locais entrevistas entre a Estação Rodoviária de Brasília e o Conjunto Nacional, shopping tradicional da cidade.

Acompanhei as entrevistas, que foram dadas pela coordenadora do projeto, minha colega Rana Zelaya, que no vídeo abaixo fala sobre a campanha a repórter da Rede Globo.

Ficou pronto!

No dia 13 de outubro, o ônibus 443383 da Marechal Brasília enfim estava com sua nova cor.

Ao sair da garagem, chamou a atenção dos funcionários, pois muitos ainda não sabiam que estávamos envelopando o veículo nos últimos 3 dias.

Agora, era só apresentar a novidade à população através da imprensa. Mas isto já estava providenciado por nossa assessoria.

11 direitos que o consumidor pensa que tem mas não tem

Veja algumas situações em que o consumidor acredita ter direitos, mas a legislação diz o contrário:

1. A troca de produtos não vale para qualquer situação, mas apenas quando há defeito. Por isso, se vai presentear alguém, é sempre bom negociar com o lojista para garantir troca caso a cor não agrade ou o tamanho seja inadequado.

2. A troca não é imediata em caso de defeito. Depois que o produto saiu da loja, em caso de defeito, o Código de Defesa do Consumidor estabelece prazo de 30 dias para reparo. Só depois disso, se o prazo de conserto não for cumprido ou o defeito persistir, é possível trocar por um novo produto ou pedir o dinheiro de volta. Algumas lojas, por liberalidade, fixam um prazo para troca no próprio estabelecimento, em caso de problemas.

3. O prazo de arrependimento da compra, de sete dias, não vale em qualquer situação. Só é válido para compra feita fora do estabelecimento, ou seja, pela internet, a domicílio ou pelo telefone, quando não é possível ver o produto de perto.

4. O comércio não é obrigado a aceitar cheque ou cartão, mas essa informação deve constar em destaque no estabelecimento.

5. Atenção ao comprar produtos de pessoa física, pois nesse caso não há as garantias do Código: a relação de consumo só é estabelecida entre o consumidor e uma pessoa jurídica. Em caso de problemas, será difícil solucioná-los.

6. A devolução em dobro quando há cobrança indevida não é em relação ao valor total pago, mas sim em relação à diferença paga a mais.

7. Quando há dois preços no mesmo produto, vale o menor. Mas quando é claro que houve falha na exposição do valor e não má fé, o consumidor pode não ter direito de adquirir uma TV por R$ 5,00, por exemplo.

8. Há quem ache que a dívida expirou por ser antiga e que o nome não irá aparecer mais no Serasa ou SPC. A dívida pode constar no cadastro de inadimplentes por cinco anos, mas o débito pode ser cobrado normalmente.

9. Por ter plano de saúde, há consumidor que acha ter direito a todo tipo de tratamento, mas é preciso ver a cobertura do contrato e o rol de procedimentos obrigatórios fixado pela Agência Nacional de Saúde.

10. Em caso de sinistro, o segurado precisa acionar o seguro imediatamente e seguir todos os trâmites da empresa. Não vale chamar qualquer guincho para tomar as primeiras providências.

11. Quando há danos a eletrodomésticos por oscilação da energia em decorrência de temporais, não adianta mandar consertar os equipamentos e achar que depois terá ressarcimento da empresa de energia. Para garantir o direito é preciso fazer vários orçamentos e aguardar a aprovação da concessionária de energia após formalizar o pedido de ressarcimento. Ou seja, é preciso tempo e paciência.

Fonte: O Estado de São Paulo

O que é marketing social

marketingsocial

Um dos conceitos mais difundidos atualmente no ambiente mercadológico é o de marketing social, graças à preocupação cada vez maior das empresas em empreender ações de responsabilidade social.

Marketing social, segundo Kotler, é a tecnologia de gestão da mudança social, associada ao projeto, implantação e controle de programas voltados para o aumento da disposição de aceitação de uma idéia ou prática social em um ou mais grupos de adotantes escolhidos como alvo”.

As  ações de marketing social visam mobilizar um público-alvo a tomar uma atitude que o favoreça ou à comunidade onde vivem, de forma sempre monitorada e mensurada.

Como exemplo, podemos citar uma das ações de marketing social de maior êxito é a empreendida pelo Ministério da Saúde em relação à prevenção contra AIDS, as quais tem obtido grande adesão e redução da contaminação pela doença. Esta campanha já conta mais de 30 anos de realização, com bons resultados.

Curso grátis da FGV: Como gastar conscientemente

Cursos grátis FGV

A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a ser membro do OpenCourseWare Consortium – OCWC –, um consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos sem custo, pela internet.

Entre os novos cursos oferecidos pela instituição está o “Como gastar conscientemente”, muito recomendado em tempos de contenção de despesas, em função das atuais incertezas econômicas.

O propósito da disciplina é orientá-lo sobre os objetivos da administração do dinheiro, melhores opções de compra e discutir a felicidade pelo consumo. O curso é ministrado pelo prof. Fabio Gallo Garcia.

Inscrições no site de cursos grátis da FGV.

 

Como melhorar a produtividade

Um dos maiores problemas das organizações modernas é obter a produtividade esperada de seus funcionários. Para um empreendedor, então, gerenciar seu tempo adequado vale dinheiro. Para contribuir com este tema, a CBN, com seu programa Mundo Corporativo, nos trz uma entrevista muito útil com Christian Barbosa, uma das maiores autoridades em produtividade no Brasil. Já tendo atuado junto a inúmeras empresas de grande porte, Christian nos oferece aqui dias práticas para sermos mais produtivos.