Deborah cresceu e virou cantora e fotógrafa

Deborah Anderson

A filha de Jon Anderson com seu livro de fotografias

Ontem falei sobre uma das mais belas músicas que ouvi, Deborah, de Jon Anderson com arranjos de Vangelis.

A música foi composta para homenagear a filha de Jon Anderson, cantor da banda de rock Yes e parceiro do arranjador Vangelis nos anos 80 em diversos álbuns.

Pois não é que o tempo passou e Deborah Anderson cresceu? Hoje ela é cantora e fotógrafa.

Recentemente, Deborah dirigiu este vídeo da nova música de seu pai, intitulada “Makes Me Happy”.

Assista e encante-se!

Anúncios

Deborah: uma das mais belas canções de todos os tempos

Uma das mais belas músicas que ouvi foi Déborah, composta por Jon Anderson com arranjos de Vangelis, para homenagear sua filha.

Com uma letra inspirada, a música é uma carta de Anderson falando sobre o amor que tem por sua filha.

Os arranjos de Vangelis são  um capítulo à parte. O famoso tecladista grego empresa talento, criatividade e muita sensibilidade a uma letra que já é, por si só, uma preciosidade. Juntos, então, marcam uma música das mais belas já compostas!

Ouça, veja a letra e deleite-se!

 

Como você tem escalado “seu Everest”?

Há 3 anos venho imergindo no pop rock francês e descoberto muitos artistas bons de letra e bons de música.

Um deles é o rapper Soprano, que neste ano lançou o single “Mon Everest”, tendo como convidada a cantora a Marina Kaye.

A canção fala da luta de Soprano para vencer na vida, com passagens como

“Tudo é possível quando você sabe quem você é.
Tudo é possível quando assume quem você é.
Agora olhe para mim e contemple meu sacrifício no topo do meu Everest”.

A música vale pelo talento da letra de Soprano e a bela voz de Marina Kaye no refrão:

“Eu fiz minha escalada na vida, escondendo, e lutando pelo que que quero.
Eu não tinha ninguém ao meu lado, apenas o meu pão, a minha fome e minhas lágrimas.
Eu sei, eu sei, eu sei
Eu sei, eu sei, eu tenho que lutar, lutar
Lutar, lutar por quem eu sou
E eu vou.”

Aprecie e diga o que você achou da música e do clipe.

Nivea continua investindo no marketing cultural. Agora é a vez do rock!

nivea

Uma das formas de aproximar uma marca de seu público é o marketing cultural. É o que faz a Nivea, empresa nacional de cosméticos, que anualmente tem promovido shows de música popular brasileira para posicionar-se no mercado.

Neste ano, as cantoras Pitty e Paula Toller, o cantor Nando Reis e a banda Os Paralamas do Sucesso foram escolhidos para a edição 2016 do projeto Nivea Viva, que desta vez não homenageará um artista, mas um gênero: o rock brasileiro.

A turnê apresentará os maiores hits do rock nacional, fazendo um passeio pela história do gênero no país.

A turnê tem início em Porto Alegre (3/4) e segue para Rio de Janeiro (10/4), Recife (30/4), Fortaleza (15/5), Salvador (22/5), Brasília (5/6) e São Paulo (26/6). Os locais das apresentações ainda não foram confirmados.

O projeto homenageia um artista a cada ano e reúne músicos nacionais para turnê ao redor do país, sempre com shows gratuitos. Em 2015, o homenageado foi Tim Maia, com turnê de Criolo e Ivete Sangalo, que rendeu inclusive um disco de estúdio com a dupla.

Também já foram tema de turnê Tom Jobim (2013), Elis Regina (2012) e o próprio samba (2014).

A direção musical este ano é de Liminha, com direção geral de Monique Gardenberg.

Pat Metheny, muito prazer musical!

Você já ouviu trechos de suas músicas em comerciais ou em reportagens de TV.

Seu nome é Patrick Bruce Metheny, músico natural de Lee’s Summit, Estado do Missouri, Estados Unidos, nascido em 1954 e que aos 8 anos se iniciava ao trompete, trocando-o pela guitarra aos 12.  Sou fã confesso deste guitarrista de jazz-fusion desde meus 15 anos.

O que tenho de idade Metheny tem de carreira. O músico possui um estilo próprio de executar seu instrumento, do qual tira improvisos com virtuose e melodia. É impossível não gostar de suas músicas, pois seus acordes soam familiares e agradáveis aos ouvidos até de quem não aprecia jazz.

Idolatrado por músicos de jazz e rock, o guitarrista e violonista já gravou dezenas de álbuns tanto em versão solo quanto com sua banda, o Pat Metheny Group, onde, ao lado do tecladista Lyle Mays, provocam uma miríade de timbres que nos deixa em dúvida se determinado som é de guitarra, de teclado ou de trompete.

No vídeo abaixo, o músico interpreta “And I Love Her”, dos Beatles, com seu estilo inconfundível.

Ouça o som de Pat Metheny e aprecie sem moderação!.

 

Ainda há espaço para o vinil?

Dias atrás, estive na Livraria Cultura e, surpreendentemente, deparei-me com versões em vinil de discos como o remasterizado Triller, de Michael Jackson, que completou 25 anos em 2008, e um atualíssimo álbum da cantora Amy Winehouse. Lá estavam eles, há 56 reais de minhas mãos. Não os levei, mas fiquei contente em ver que a indústria fonográfica ainda oferece este formato, pois meu toca-discos continua em pleno uso em minha residência, embora utilize bastante os CDs e arquivos MP3.

Acredito que ainda há espaço para o vinil, até porque é uma mídia de certa forma exclusiva e não pirateável fisicamente. No Brasil, a prensagem de discos já foi aposentada, mas no Exterior ainda há um bom número de títulos disponíveis no mercado.

A foto abaixo mostra um modelo de toca-discos que contém player de Cd acoplado, como adaptação aos novos tempos. A verdade é que o vinil ainda tem vez, porém de forma cada vez mais nostálgica!

E você, ainda gosta de ouvir músicas em vinil?

toca-discos

Jean Michel Jarre se reinventa com “Electronica”

A dinâmica dos novos tempos vem exigindo dos artistas modernos uma permanente reinvenção. Este é o caso do tecladista e arranjador francês Jean Michel Jarre, um dos pioneiros da música eletrônica nos anos 70 e que vem, década após década, surpreendendo e se adaptando à cena musical do momento.

Decidido a dar uma nova roupagem à sua música, Jarre convidou diversos artistas com quem se identifica para produzir o novo álbum intitulado “Electronica”, onde apresenta o resulta de uma pesquisa produzida com gente do quilate de Vince Clarke, Armin van Buuren, Pete Townshend, Moby, Tangerine Dream, John Carpenter, Little Boots e muitos outros.

Assista o trailer e confira a qualidade do resultado. Você vai se surpreender!

 

Lykke Li: Inspiração para as redes sociais

Lykke Zachrisson é uma cantora sueca de apenas 28 anos que está fazendo sucesso com a música “I Follow You”. Filha de mãe pintora e pai músico, morou em Portugal por 5 anos.

Convivendo com culturas diferentes (Portugal, Nepal, marrocos e Índia), mudou-se para Nova York, onde gravou músicas com Kanye West e Santigold. Hoje ela vive em Estocolmo, saboreando o sucesso de “Possibility”, incluída na trilha sonora de “Lua Nova”, da saga Crepúsculo.

No vídeo abaixo, você aprecia a música atual de trabalho da cantora nas rádios. Pelo refrão da música, o hit poderia ser utilizado em campanhas publicitárias do Facebook ou do Twitter, não acham?

Beldent Random Music Festival: uma nova experiência em show

Imagine um festival onde você aprecia as bandas da mesma forma que escuta música? Esta é a proposta do Beldent Random Music Festival.

Neste show, um conjunto de holofotes multimídias escolhe, aleatoriamente, um palco, de onde sairá uma banda, que tocará uma sequëncia de músicas. Logo em seguida, os holofotes giram de novo e outro palco é escolhido, com outra banda. A movimentação do público é intensa, pois todos precisam correr de um lado para outro para ver a apresentação da melhor forma. É aí que está a diversão.

Este show aconteceu em 29 de setembro do ano passado e foi um verdadeiro sucesso. Assista ao vídeo abaixo e entenda melhor a proposta deste festival maluco e divertido.

Mulher, sou forte mas não chego ao seus pés!

 

“Dizem que a mulher é o sexo frágil
Mas que mentira absurda
Eu que faço parte da rotina de uma delas
Sei que a força está com elas

Vejam como é forte a que eu conheço
Sua sapiência não tem preço
Satisfaz meu ego se fingindo submissa
Mas no fundo me enfeitiça

Quando eu chego em casa à noitinha
Quero uma mulher só minha
Mas pra quem deu luz não tem mais jeito
Porque um filho quer seu peito
O outro já reclama a sua mão
E o outro quer o amor que ela tiver
Quatro homens dependentes e carentes
Da força da mulher

Mulher, mulher
Do barro de que você foi gerada
Me veio inspiração
Pra decantar você nessa canção

Mulher, mulher
Na escola em que você foi ensinada
Jamais tirei um dez
Sou forte mas não chego aos seus pés”

(Erasmo Carlos)

Salve o Mundo

Hoje é o Dia Mundial da Paz e nada mais justo que comecemos o ano com este dia especial, onde refletimos sobre como fazer deste mundo um lugar melhor para vivermos. A música Heal the World, de Michael Jackson, traz uma bela mensagem. O ídolo se foi, mas a esperança de paz ainda fica!

Onde as crianças brincam?

Em tempos de ecologicamente correto, uma música de Cat Stevens (hoje convertido Yusuf Islam) aborda temas bem atuais. Nesta versão ao vivo você pode apreciar a música, acompanhando a letra em português abaixo. Que tal?

Bem eu acho que está bem, construir aviões gigantes.

Ou dar uma volta num trem cósmico.
No verão brincar em caça-níqueis.
Pegar o que você quiser se você quiser, porque você pode pegar qualquer coisa.
Eu sei que percorremos um longo caminho,
Mudando dia a dia,
Mas diga-me, onde brincam as crianças?

Bem você rodou nas estradas sobre a grama verde.
Para suas carretas bombando petróleo.
E vocês os fizeram longos, e vocês os fizeram duros.
Mas só vão em frente, e parece que vocês não conseguem pará-los.
Eu sei que percorremos um longo caminho,
Mudando dia a dia,
Mas diga-me, onde brincam as crianças?

Quando vocês quebram o céu, feridas preenchem o ar.
Vocês continuarão construindo mais alto
até não haver mais espaço lá em cima?
Vocês nos farão rir, vocês nos farão chorar?
Você nos dirão quando viver, vocês nos dirão quando morrer?
Eu sei que percorremos um longo caminho,
Mudando dia a dia,
Mas diga-me, onde brincam as crianças?