A breve história de quase tudo

 

Hoje assisti, no You Tube, a uma interessante animação denominada “A Brief History of Pretty Much Everything”. O video apresenta, de forma simples, a história do mundo e do homem.  Não consegui identificar o autor, mas compartilho a experiência com você, caro leitor, e convido-o a assitir ao vídeo.

Anúncios

Merchandising em filmes é estratégia cada vez mais eficaz para posicionamento

Eurobo

Já se foi o tempo em que um computador denominado Hal dominava uma nave espacial e colocava o poder humano sobre as máquinas em cheque. O computador, na época, era um merchandising da IBM, multinacional superpoderosa. Os autores do merchandising no filme, um taboo para a época, utilizaram o nome como mensagem subliminar, uma vez que as letras alfabéticas subsequentes de cada componente do nome convergia para o nome da multinacional.

Vieram os anos 80 e filmes como Blade Runner passaram a estampar marcas de forma futurista, transformando o merchandising em nova fonte de receita para os estúdios e uma estratégia de marketing que passou a ser considerada por grandes marcas.

Na década atual, o merchandising faz parte da trama e até do nome dos personagens. No filme Eu, Robô, estrelado por Will Smith, o mocinho contracena com um humanóide cibernético mais avançado do que os fabricados em série. O nome do robô era simplesmente… Sony! Genial, não?

A estratégia de inserir merchandising em filmes consolida a idéia já disseminada de que as marcas devem estar não apenas em blocos publicitários, mas dentro do conteúdo, de forma a “invadir” de forma mais fácil e eficaz a mente do consumidor.

Por que a estréia de filmes passou para as quintas-feiras?

cinema

Uma das principais mudanças ocorridas recentemente no mercado de entretenimento foi um acordo entre exibidores e distribuidores de filmes visando antecipar as estreias para as quintas-feiras.

Tradicionalmente, os novos filmes eram exibidos em primeira mão às sextas-feiras, por permitir uma sequência de três dias de grande público e gerar bom retorno já nos primeiros dias de exibição. A mesma estratégia, porém, era utilizada por produtores de espetáculos musicais e teatrais, estabelecendo uma concorrência pelo mesmo público e pela atenção da mídia, uma vez que lazer é a principal pauta na imprensa às sextas-feiras.

Ao transferirem a estréia das películas para as quintas-feiras, distribuidores e exibidores podem obter maior visibilidade na mídia, antecipando sua divulgação à dos demais espetáculos artísticos.

Do ponto de vista estratégico, a decisão é perfeita, mas cria um novo arranjo na agenda de famílias e casais que apreciam a sétima arte, nada que uma programação antecipada não resolva.

A importância de Paulo Goulart para a publicidade

paulo-goulart

O Brasil perdeu hoje mais um de seus grandes atores: Paulo Goulart. Casado há décadas com a atriz Nicete Bruno e patriarca de uma família de artistas, como Beth Goulart, Paulo desempenhava papéis de grande carga dramática em novelas e peças de teatro.

Acompanho o desempenho deste profissional desde criança e passei a admirar suas atuações, seu caráter, e, principalmente, sua voz metálica e segura. Cresci desejando virar publicitário inspirado por comerciais por ele protagonizados, os quais apresentavam um desempenho digno dos melhores profissionais da dramaturgia.

Goulart não era requisitado apenas por autores de teatro ou de televisão. Sua personalidade e sua voz eram disputados por agências de publicidade que desejavam transmitir credibilidade aos produtos que anunciava. Invariavelmente, Goulart entregava o que dele esperavam.

Um dos comerciais clássicos na  publicidade brasileira é um alusivo ao Dia dos Pais, patrocinado pelo Banco Itaú e criado pela agência DM9DDB. A peça foi mereciamente premiada em festivais nacionais de propaganda.

A publicidade brasileira só tem a agradecer a este ator cuja carreira atravessou diversas gerações, que hoje o reverenciam. Obrigado, Paulo Goulart!

Um dos comerciais clássicos

De volta ao começo

Este é o nome do filme produzido pela rede Chipotle Mexican Grill. Em uma animação leve e criativa, o comercial demonstra a qualidade da criação dos animais que fornecem carne para aquela rede de churrascarias. Esta peça foi premiada no Festival de Publicidade de Cannes.

Desenho animado retrata as últimas 5 décadas de História do Brasil

“Um drama épico que atravessa episódios marcantes da história do Brasil.” É assim que a produtora Gullane apresenta o longa-metragem de animação Uma história de amor e fúria.

O filme atravessa toda a história do país, começando antes mesmo da chegada dos navegantes portugueses. O protagonista, um guerreiro índio da tribo dos tupinambás, recebe a missão de lutar contra Anhangá, o deus da morte. Para tanto, se torna imortal e acaba testemunhando momentos marcantes da formação da nossa nação, como a Balaiada (1838-1841), revolta popular ocorrida no Maranhão, e a resistência armada contra a ditadura militar, na década de 1970.

O desfecho leva os personagens até o distante futuro, passado no ano de 2080, num Rio de Janeiro distópico, dominado por milícias. Dirigido por Luiz Bolognesi (roteirista de filmes comoBicho de sete cabeças), o desenho animado traz em seu elenco vozes de nomes consagrados: Selton Mello, Rodrigo Santoro e Camila Pitanga puxam a lista.

A estréia está prevista para sexta-feira, nos cinemas.

Disney divulga Paperman, curta que concorre ao Oscar

Está disponível, desde a semana passada, o curta de animação `Paperman´ da Disney, em alta resolução na internet. A animação conta uma história de amor passada em Nova York, em meados do século 20, cheia de mistério, romance e graciosidade.

O curta está sendo exibido antes do longa-metragem nas sessões de ‘Detona Ralph´ e está concorrendo a Melhor Curta-metragem de Animação no Oscar 2013.

Assista e divirta-se!