Esquadrilha francesa homenageia Asterix

Quando eu era criança, uma de minhas leituras preferidas era a revista do Asterix, personagem do desenhista francês Uderzo. Acompanhado de seu amigo Obelix, Asterix sempre conseguia liquidar com os soldados inimigos tomando uma poção mágica. O traço sofisticado de Uderzo e a criatividade das histórias me encantavam e, sem dúvida, encantaram muitas gerações de fãs dos quadrinhos.

Recentemente, para homenagear os 50 anos do personagem, a esquadrilha da fumaça da França resolveu surpreender o autor, ainda vivo, com uma apresentação exclusiva.

O resultado você confere no vídeo a seguir. Que tal?

Como você tem escalado “seu Everest”?

Há 3 anos venho imergindo no pop rock francês e descoberto muitos artistas bons de letra e bons de música.

Um deles é o rapper Soprano, que neste ano lançou o single “Mon Everest”, tendo como convidada a cantora a Marina Kaye.

A canção fala da luta de Soprano para vencer na vida, com passagens como

“Tudo é possível quando você sabe quem você é.
Tudo é possível quando assume quem você é.
Agora olhe para mim e contemple meu sacrifício no topo do meu Everest”.

A música vale pelo talento da letra de Soprano e a bela voz de Marina Kaye no refrão:

“Eu fiz minha escalada na vida, escondendo, e lutando pelo que que quero.
Eu não tinha ninguém ao meu lado, apenas o meu pão, a minha fome e minhas lágrimas.
Eu sei, eu sei, eu sei
Eu sei, eu sei, eu tenho que lutar, lutar
Lutar, lutar por quem eu sou
E eu vou.”

Aprecie e diga o que você achou da música e do clipe.

Ministério da Saúde entra no universo dos games para falar com jovens

Com o conceito “É nessa fase que você fica mais forte”, a campanha estreia com o filme em uma linguagem que mistura o mundo real com o mundo dos games, em 8 Bits e 3D, para contar a história da aventura de dois jovens que fogem dos vírus para encontrar uma unidade de saúde e se vacinarem.

A locução é do embaixador da campanha, o famoso Youtuber dos games, Zangado. Adolescentes poderão assumir o controle da aventura ao baixar o jogo para mobile, Detona Vírus, onde enfrentarão vilões dentro do corpo humano, recebendo a cada nova fase, conteúdos importantes sobre à saúde e a importância de tomarem as vacinas.

Como o principal ponto de contato entre os jovens e o Ministério da Saúde serão as plataformas digitais, teremos a Websérie com 4 episódios na linguagem Minecraft no canal do também Youtuber Fê Batista e uma ativação com os principais atletas de E-sport do país, competindo entre si no Detona Vírus.

A campanha é assinada pela agência brasiliense Fields360.

Inspirarte, uma plataforma para artistas irados!

Website oferece conteúdo para inspirar artistas

Website oferece conteúdo para inspirar artistas

A Faber-Castell lança a plataforma Inspirarte: um ambiente digital, onde apaixonados por arte, profissionais ou amadores, encontram uma curadoria de conteúdos para inspiração, capacitação e compartilhamento de arte.

O Inspirarte apresenta técnicas, estilos, dicas e ideias “faça você mesmo” (DIY), sempre relacionados ao universo das artes, como caligrafia, lettering, desenhos, ilustrações, entre muitos outros.

A plataforma reúne os principais conteúdos disponíveis na web, organizados e apresentados de uma maneira rápida e intuitiva, para artistas amadores ou profissionais possam se inspirar e descobrir novas técnicas e estilos. Desta forma, é possível aprimorar técnicas já utilizadas e descobrir novas formas de criar e produzir.

Para ter acesso ao conteúdo do Inspirarte, basta acessar o endereço www.inspirarte.art.br. A partir daí, o usuário terá um perfil próprio na plataforma e acesso aos conteúdos separados por categorias, podendo escolher, de forma intuitiva, o tema que deseja visitar e se aprofundar. Todo usuário também pode publicar criações de sua autoria em sua própria galeria virtual e acompanhar as atualizações de todos os artistas que segue, em um ciclo de compartilhamento contínuo.

 

Nivea continua investindo no marketing cultural. Agora é a vez do rock!

nivea

Uma das formas de aproximar uma marca de seu público é o marketing cultural. É o que faz a Nivea, empresa nacional de cosméticos, que anualmente tem promovido shows de música popular brasileira para posicionar-se no mercado.

Neste ano, as cantoras Pitty e Paula Toller, o cantor Nando Reis e a banda Os Paralamas do Sucesso foram escolhidos para a edição 2016 do projeto Nivea Viva, que desta vez não homenageará um artista, mas um gênero: o rock brasileiro.

A turnê apresentará os maiores hits do rock nacional, fazendo um passeio pela história do gênero no país.

A turnê tem início em Porto Alegre (3/4) e segue para Rio de Janeiro (10/4), Recife (30/4), Fortaleza (15/5), Salvador (22/5), Brasília (5/6) e São Paulo (26/6). Os locais das apresentações ainda não foram confirmados.

O projeto homenageia um artista a cada ano e reúne músicos nacionais para turnê ao redor do país, sempre com shows gratuitos. Em 2015, o homenageado foi Tim Maia, com turnê de Criolo e Ivete Sangalo, que rendeu inclusive um disco de estúdio com a dupla.

Também já foram tema de turnê Tom Jobim (2013), Elis Regina (2012) e o próprio samba (2014).

A direção musical este ano é de Liminha, com direção geral de Monique Gardenberg.

Pat Metheny, muito prazer musical!

Você já ouviu trechos de suas músicas em comerciais ou em reportagens de TV.

Seu nome é Patrick Bruce Metheny, músico natural de Lee’s Summit, Estado do Missouri, Estados Unidos, nascido em 1954 e que aos 8 anos se iniciava ao trompete, trocando-o pela guitarra aos 12.  Sou fã confesso deste guitarrista de jazz-fusion desde meus 15 anos.

O que tenho de idade Metheny tem de carreira. O músico possui um estilo próprio de executar seu instrumento, do qual tira improvisos com virtuose e melodia. É impossível não gostar de suas músicas, pois seus acordes soam familiares e agradáveis aos ouvidos até de quem não aprecia jazz.

Idolatrado por músicos de jazz e rock, o guitarrista e violonista já gravou dezenas de álbuns tanto em versão solo quanto com sua banda, o Pat Metheny Group, onde, ao lado do tecladista Lyle Mays, provocam uma miríade de timbres que nos deixa em dúvida se determinado som é de guitarra, de teclado ou de trompete.

No vídeo abaixo, o músico interpreta “And I Love Her”, dos Beatles, com seu estilo inconfundível.

Ouça o som de Pat Metheny e aprecie sem moderação!.

 

Linda Huber e seus desenhos a lápis

Utilizando apenas um lápis, ela desenha maravilhas.

Ela é Linda Huber, estadunidense do Brooklin (NY), 51 anos. Linda revela que gasta de 20 a 80 horas para realizar cada trabalho, a partir de fotografias. Tanto tempo dedicado a uma obra só poderia produzir um trabalho de muita precisão. Suas obras são utilizadas em publicidade, livros e websites.

“Eu não desenho o que vejo, mas o que conheço!”, revela Linda.

A qualidade das obras tem a ver com o nome da designer, não?

Ainda há espaço para o vinil?

Dias atrás, estive na Livraria Cultura e, surpreendentemente, deparei-me com versões em vinil de discos como o remasterizado Triller, de Michael Jackson, que completou 25 anos em 2008, e um atualíssimo álbum da cantora Amy Winehouse. Lá estavam eles, há 56 reais de minhas mãos. Não os levei, mas fiquei contente em ver que a indústria fonográfica ainda oferece este formato, pois meu toca-discos continua em pleno uso em minha residência, embora utilize bastante os CDs e arquivos MP3.

Acredito que ainda há espaço para o vinil, até porque é uma mídia de certa forma exclusiva e não pirateável fisicamente. No Brasil, a prensagem de discos já foi aposentada, mas no Exterior ainda há um bom número de títulos disponíveis no mercado.

A foto abaixo mostra um modelo de toca-discos que contém player de Cd acoplado, como adaptação aos novos tempos. A verdade é que o vinil ainda tem vez, porém de forma cada vez mais nostálgica!

E você, ainda gosta de ouvir músicas em vinil?

toca-discos

Iannis Kiourannis e a poesia grega

O ano era 1986. Estava na aprazível cidade de Coromandel, no Triângulo Mineiro, na residência de meu tio Hélio, quando tive contato com um jornal chamado Coromandel Notícias.

O jornal é daqueles com algumas notícias e muito oba-oba abordando autoridades, socialites e outras personalidades do município. Porém, entre uma notícia e outra, me deparo com poesias de um autor grego que até então não tinha conhecimento: Iannis Kiourannis. Fiquei surpreso: o que um poeta grego estava fazendo no Coromandel Notícias? Li com atenção as quatro poesias e fiquei encantado com a valorização da liberdade que o poeta grego encaminha seus textos.

Algumas passagens: “Meu coração não é de pedra/tampouco é negro o coração que meu vida!”. Outra: “Se me obrigarem a me esconder do sol/Pereço em sua luz!” A poesia de Kiourannis seduziu-me, mas tal qual a sereia que deixa seu canto e submerge no mar, atraindo para a morte sua vítima, aquelas poesias ficaram apenas na memória. Não tive o cuidade de guardar a página com os textos.

Nunca mais tive contato com a poesia de Kiourannis. Busquei em vão suas obras nas livrarias da época. Agora, com a Internet, continuo minhas buscas, mas o Sr. Google não ajuda muito. Fui vítima do canto da sereia, fiquei com gosto de “quero mais”, e corro o risco de perecer sem ter um novo contato com a luz de Kiourannis.

Jean Michel Jarre se reinventa com “Electronica”

A dinâmica dos novos tempos vem exigindo dos artistas modernos uma permanente reinvenção. Este é o caso do tecladista e arranjador francês Jean Michel Jarre, um dos pioneiros da música eletrônica nos anos 70 e que vem, década após década, surpreendendo e se adaptando à cena musical do momento.

Decidido a dar uma nova roupagem à sua música, Jarre convidou diversos artistas com quem se identifica para produzir o novo álbum intitulado “Electronica”, onde apresenta o resulta de uma pesquisa produzida com gente do quilate de Vince Clarke, Armin van Buuren, Pete Townshend, Moby, Tangerine Dream, John Carpenter, Little Boots e muitos outros.

Assista o trailer e confira a qualidade do resultado. Você vai se surpreender!

 

O que é juvenóia?

O canal VSauce produziu um vídeo muito legal abordando a “Juvenóia”, ou o medo exacerbado que os adultos possuem das novidades que “influenciam” a vida dos jovens.

Sabe quando você acha que os jovens não sabem de nada e que sua geração é que soube viver e que sabe de tudo? Pois é a razão disto ocorrer que Michael Steven nos apresenta neste vídeo de média duração: nenhuma geração é melhor que outra.

Recomendo!

Fotos aquáticas de tirar o fôlego

Enric

O fotógrafo espanhol Enric Gener produziu uma série de imagens subaquáticas surpreendentes.As fotos foram feitas no período de três anos nos litorais do México, da Austrália e do Mediterrâneo.

Gener se diz um “amante do mar” que aproveita seu tempo livre para nadar e mergulhar com sua câmera. Ele diz que as imagens são especiais para ele, já que o remete a diferentes épocas de sua vida.

E você, o que acha?

Adrian Macdonald e a pureza da infância

Morador de uma área rural da Jamaica, Adrian McDonald tem paixão em fotografar plantas e animais.
Em uma dessas sessões, nosso artista se encantou com a inocência e a simplicidade de diversas crianças brincando perto de sua casa.
Com autorização dos pais, Adrian decidiu não perder um minuto de cada momento inesquecível dos pequenos. O resultado se transformou em um maravilhoso trabalho que você confere clicando na foto abaixo!

AdrianMacdonald

 

Merchandising em filmes é estratégia cada vez mais eficaz para posicionamento

Eurobo

Já se foi o tempo em que um computador denominado Hal dominava uma nave espacial e colocava o poder humano sobre as máquinas em cheque. O computador, na época, era um merchandising da IBM, multinacional superpoderosa. Os autores do merchandising no filme, um taboo para a época, utilizaram o nome como mensagem subliminar, uma vez que as letras alfabéticas subsequentes de cada componente do nome convergia para o nome da multinacional.

Vieram os anos 80 e filmes como Blade Runner passaram a estampar marcas de forma futurista, transformando o merchandising em nova fonte de receita para os estúdios e uma estratégia de marketing que passou a ser considerada por grandes marcas.

Na década atual, o merchandising faz parte da trama e até do nome dos personagens. No filme Eu, Robô, estrelado por Will Smith, o mocinho contracena com um humanóide cibernético mais avançado do que os fabricados em série. O nome do robô era simplesmente… Sony! Genial, não?

A estratégia de inserir merchandising em filmes consolida a idéia já disseminada de que as marcas devem estar não apenas em blocos publicitários, mas dentro do conteúdo, de forma a “invadir” de forma mais fácil e eficaz a mente do consumidor.