Buscar a bola ou jogar bem?

 

 

Foto: Carlos Navarro

Quando criança eu gostava muito de jogar bola. Modéstia à parte, jogava bem. As partidas eram realizadas em campos de várzea ou na rua mesmo.

Quando eram muitos os participantes, dividiam-se as duas equipes participantes e quem sobrava, se quisesse jogar a próxima partida, assumia a tarefa de buscar a bola após cada chute de uma das equipes em direção ao gol.

Ninguém gostava de buscar a bola, mas quem assumia este papel tinha o direito de formar a próxima equipe a enfrentar o time vencedor. Para assegurar a participação no próximo jogo, não havia muitas alternativas.

A primeira era ganhar a disputa. O vencedor tinha o direito de continuar jogando a sequência de partidas.

A segunda era destacar-se entre os integrantes do time perdedor, o que chamaria a atenção do responsável pela formação da próxima equipe.

A terceira era ser o responsável por buscar a bola. A este cabia a primazia de formar a equipe a enfrentar os vencedores.

Estive pensando hoje nesta circunstância e associando-a ao mercado de trabalho.

Na vida, buscamos ser sempre os vencedores. Empenhamo-nos em nossa tarefa individual, buscando nos destacar, enquanto colaboramos com a equipe para alcançar um objetivo comum.

Quando o objetivo não for alcançado, pelo menos nosso nome deve ser lembrado para assegurarmos nossa continuidade na disputa. Caso contrário, só nesta ser aquele que busca a bola, esperando a próxima chance.

O que você prefere: ser o vencedor, destacar-se entre os perdedores ou “buscar a bola”?