Vale a pena fazer um curso de coaching?

coaching

Fazer coaching vale a pena, mas é preciso critério na escolha da instituição formadora

Muitos amigos e parentes tem me perguntado se vale a pena fazer um curso de coaching.

Resolvi conversar com profissionais da área e pesquisar sobre o tema, tendo encontrado um artigo que trouxe muitas contribuições a esta reflexão, o qual cito ao final desta matéria.

A seguir, resumo os principais aspectos que colhi na pesquisa:

  1. O Coaching é uma ferramenta de grande potencial de desenvolvimento humano e representa uma nova carreira e negócio.
  2. É possível ter uma alta renda sendo coach.
  3. Bons coachs ganham bem, mas a média do que se cobra uma sessão fica entre R$ 100,00 e 150,oo, patamar semelhante a de psicólogos.
  4. É preciso ter outros conhecimentos acadêmicos e culturais além desta formação, bem como experiências profissionais sólidas.
  5. É preciso gostar de lidar com pessoas, de entender sobre comportamento humano, de entender sobre negócios e empresas, e de gostar da profissão de desenvolvedor do potencial humano e dos resultados das organizações.
  6. A maioria da carga horária dos cursos oferecidos é insuficiente para uma boa formação. É preciso ficar atento ao volume real de horas oferecido pelos formadores.
  7. Desconfie de cursos que oferecem formação em 7 dias, mesmo com carga horária intensiva. Isto não é aconselhável, pedagogicamente falando.
  8. Muitas empresas de formação utilizam expressões de impacto como Sociedade, Instituto, Federação, Academia, Associação, para induzir o público e a mídia sobre sua seriedade. Utilizam-se deste artifício para parecerem órgãos representativos e não simples escolas de curso livre, o que na verdade são.
  9. É importante conferir a idoneidade de parcerias internacionais que conferem um caráter desta natureza ao curso formador. Nem sempre uma empresa de fora é séria o suficiente para chancelar um curso livre no Brasil. Além disso, a certificação é para o curso, e não para o aluno.
  10. Para formar outros coachs, não basta fazer o curso de coach, mas também um curso de aperfeiçoamento, como pós-graduação, por exemplo.
  11. Há associações sérias , de portas abertas a profissionais Coaches que demonstrem capacidade e qualidade profissional, e que passem na avaliação de credenciamento, além é claro de se disporem a pagar a anuidade. As mais sérias, normalmente, possuem algum tipo de funil para avaliar o mérito do aluno ser acolhido por elas.
  12. Outra maneira de “valorizar” a formação é dizer que após a conclusão em todos os módulos de coaching você pode fazer mais 90 horas de um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) e obter uma pós-graduação. Por ser o Coaching uma profissão ainda não reconhecida pelo Ministério do Trabalho e o MEC não aprovar nenhum curso superior ou de pós-graduação naquela área, o valor deste TCC pode ser questionável como passaporte para o diploma de pós-graduação. Mesmo assim, se desejar uma pós-graduação em coaching, investigue o histórico e a estrutura do instituto formador, principalmente o corpo de professores.
  13. O coaching é um serviço para pessoas com alto grau de evolução e conhecimento, cultura e experiência corporativa e que querem efetivamente saber mais e contribuir para o crescimento das demais pessoas, das empresas e organizações, com ética e congruência.
  14. O mercado de formação de Profissionais Coaches tem se pautado por dinheiro e volume, o custo de uma formação inicial na área é altíssimo, em torno de R$ 5.500,00 por no máximo 80 horas aula (o que justifica investir de R$ 30.000,00 a R$ 80.000,00 mensais no Google para divulgação das formações), e quem quiser efetivamente conhecer e ter mais recursos técnicos e profissionais como Coach tem que obrigatoriamente fazer mais cursos e formações na área, o que pode elevar este investimento a mais de R$ 21.000,00 caso resolva-se fazer uma formação em Master Coach ou muito mais caso resolva-se fazer uma formação fora do país, ou seja, realmente internacional.
  15. Embora se forme cerca de 100 Coaches por mês no Brasil, e com certeza mais de 4000 coaches já atuam no país, o fato é que uma pequena porcentagem efetivamente exerce o coaching profissionalmente, e menos ainda que vivem exclusivamente do Coaching.
  16. Embora o conteúdo e professores sejam bons, o foco financeiro dos formadores faz que com a gestão de cursos rápidos e com grande quantidade de alunos pode prejudicar a adequada aprendizagem das técnicas e da filosofia da área. Aqui esta o “nó”, o gargalo dos cursos de formação, tempo para assimilação e compreensão efetiva.
  17. Se perguntarmos a qualquer formando dos cursos de Coaching o que acharam de sua formação dificilmente ouviremos queixas, muito, mas muito mais provável ouviremos elogios, o investimento é alto. Além disso, as técnicas de alto impacto comportamentais usadas nos treinamentos presenciais, que realmente promovem autoconhecimento e novas percepções, além de oportunizarem insights muito interessantes, muitas vezes mascaram a qualidade da formação, não em termos das ferramentas e sessões ensinadas, mas em termos da absorção real do conhecimento necessário para realmente entender e aplicar o processo de coaching.
  18. Seja, se você fizer uma pesquisa entre os formados das diversas “instituições” formadoras perceberá que todas as formações são excelentes, pois pouquíssimos formandos teriam a coragem de citar falhas ou deficiências, quando muito estes formandos comentam isso entre si, mas jamais com o mercado. Podemos ressaltar que uma das coisas que as “instituições” formadoras de coaching não falam em seu marketing, mas muitas vezes falam no último dia de aula de suas formações, é que em média apenas 2% dos formandos irão realmente se tornar um profissional Coach. É um ponto a se refletir.
  19. coaching é muito mais do que apenas uma nova profissão, é uma filosofia de vida e profissional, pois com sua aplicação pode-se incrementar e potencializar qualquer área pessoal e profissional em que atuamos, assim como nas empresas que atuamos, ou seja, é uma ferramenta que agrega valor ao que fazemos, potencializa resultados, fortalece o trabalho em equipe, alinham objetivos e valores.
  20. É preciso abrir novas perspectivas e analisar o coaching on line, um tendência muito forte no mundo e a área que mais cresce. Uma das possibilidades é o Mix ou Blender, mistura de Coaching presencial com coaching à distância (coaching a distância pode ser feito on line via Skype, telefone ou webconference, jamais via CHAT ou e-mail que são apenas ferramentas de apoio), com muitas vantagens. O Coaching a distância é tão ou mais efetivo que o presencial, muitas pessoas se sentem mais seguras e mais a vontade para se exporem através deste meio. As instituições tradicionais pregam o coaching on line e ao mesmo tempo não fornecem ao aluno que efetivamente aprenda esta prática.
  21. Coaching não é terapia, é reflexão, feedback e ação, e desta maneira cabe ao Coach ser um apoio e fornecedor de ferramentas para o crescimento e execução de ações e resultados e objetivos de seu coachee (cliente).
  22. Para quem pretende ser Coach, se não tiver disciplina e comprometimento, independente do tipo de formação que defina fazer, esta escolhendo a profissão errada.
  23. Infelizmente, os institutos formadores não disseminam aos futuros Coaches o “como” comercializar seus serviços, o “como” atuar na área e ter perspectivas de mercado, e de como fazer esta transição, e muito menos se preocupam em disseminar o coaching como uma filosofia de vida, tanto pessoal como profissional, pois o intuito é atrair mais alunos através do chamariz de grandes ganhos financeiros.
  24. Existem formações mais longas que dão até uma semana de curso sem que o aluno pague para que ele sinta a metodologia, o processo e os resultados antes de se decidir a fazer efetivamente a formação. Mas poucas fazem isso neste mercado, mesmo porque ao analisarmos bem em uma semana ou oito dias a maioria dos cursos existentes já acabaram de dar a sua formação, ou seja, neste prazo de oito dias as pessoas já se tornaram Coaches, rápido, muito rápido.  O máximo que oferecem é: Se em meio dia ou um dia de curso você não gostar do que viu pode desistir e ter o investimento já feito de volta. Só que neste meio tempo você já gastou com passagens, hospedagens, alimentação, negociou no trabalho alguns dias de folga para fazer o curso, etc., acha mesmo que consegue desistir e deixar de ir até o final?
  25. Quer conhecer uma formação, quer experimentar, quer ter uma aula gratuita sem compromisso, desfaça-se de preconceitos e ideias sem comprovação, experimente, pesquise, informe-se, seja crítico, e defenda seus direitos de ter o melhor valorizando seu tempo e seu investimento.
  26. É imprescindível que os Coaches completem uma formação com total conhecimento, maestria e confiança nas técnicas e processos de coaching para que efetivamente a profissão e o processo de coaching sejam valorizados e reconhecidos por quem realmente interessa: O mercado.
  27. Se deseja seguir a carreira de coach, saiba que o mais importante é que você atinja seus objetivos e encontre o que procura, sempre, sentindo-se realizado e feliz. Sucesso!

Fonte: (Ricardo Gameiro – Administradores.com)

12 comentários sobre “Vale a pena fazer um curso de coaching?

  1. Ola Elias!
    como que você está ?

    Estou exatamente na duvida em fazer algum curso de coach e este seu texto me ajudou muito a pensar e a refletir sobre esta minha escolha e ate mesmo os possíveis cuidados que irei ter ao escolher um curso.
    Tenho de fato muito interesse em poder conhecer mais sobre este campo de atuação e quem sabe poder atuar nele .

    muito bom texto parabéns!

  2. Sem dúvida o coach é uma profissão que vem crescendo no mercado. Porém é sempre bom ressaltar que nunca há de haver falta de emprego ao bom estudante, trabalhador, profissional, etc… Pois o bom coacher sabe que se quer ser reconhecido no mercado de trabalho é difícil, ele necessariamente precisa fazer cursos que possam ajudar em seu processo de aprendizado como coacher. Ex : Psicologia é um bom requisito para ampliar sua vida profissional coacher, aprendizado de línguas estrangeiras, muitos livros abordando conhecimentos para se entender o coach, e outras… Todo coacher profissional sabe que aquela alegria ao terminar de explicar os ensinamentos aos alunos é muito bom e por isso ele exerce esta profissão. Além do mais, o bom coacher sempre ganhará bem!
    Concorda comigo Elias ?

    • Concordo, Pedro. Admiro o trabalho de coaching e defendo esta profissão, embora não a exerça. Apenas não defendo cursos oportunistas que pregam que basta cumprir o conteúdo programático em poucos dias para ter sucesso na profissão. Fazer um bom curso e aperfeiçoar com outras habilidades e áreas, com certeza, contribuirão para o aprimoramento e o sucesso do coacher. Um grande abraço!

  3. Prezado Elias, bom dia!
    Muito interessante seu post. Se me permite, gostaria de perguntar a você se teria indicações a fazer a respeito de empresas idôneas e que realmente possam agregar valor a um profissional que está buscando a profissão de coach.

    Desde já agradeço.
    Um forte abraço.

    • Olá, Gabriel. Que bom que gostou do texto! Por experiência pessoal, embora não tenha feito o curso, tenho um amigo professor que desenvolve um trabalho muito sério em Brasília. Trata-se do Homero Reis (http://homeroreis.com/). Vale a pena dar uma olhada. Sugiro que veja também a resposta que dei no post abaixo, comentado pelo Bruno Belini, onde dou outras dicas.
      Um grande abraço e obrigado por acessar meu site!

    • Olá, Bruno, tudo bem?
      A princípio, não posso opinar sobre estas empresas por não ter tido experiências com elas. Por vivência no passado, posso indicar a Homero Reis, de Brasília. O Homero desenvolve um trabalho muito sério na área de coaching ontológico. Ele foi meu colega no Uniceub e já tive acesso ao conteúdo do curso dele.
      Caso queira outra dica, sugeriria pesquisar se instituições de renome possuem curso de formação naquela área, como FGV, IBMEC, USP e outras, pois o que você irá desembolsar em um curso de coaching é quase o valor de uma pós-graduação nestas empresas. Fazendo nelas, usufruiria da grife do diploma, do network e provavelmente teria garantia de qualidade. Será que ajudei? Um grande abraço e obrigado por acessar meu site.

  4. Elias, gostei bastante da explicação. Me surgiu uma dúvida. O coaching trabalha em várias áreas, não apenas em empresas, então, a metodologia apresentada abrange as outras áreas ou há uma formação para cada área (px: pessoal, esportivo, moda, etc.)

    • Olá, Breno!
      O coaching trabalha onde houver espaço com pessoas necessitando de orientação e acompanhamento em sua atividade, seja em empresas, seja junto a pessoas físicas, diretamente. É apenas uma questão de definição de nicho onde onde o profissional atuará.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s