Um bom exemplo de promoção condicionada

Jet

A loja de veículos Federal Way, no noroeste dos EUA, realizou uma campanha inusitada e vitoriosa: a empresa prometeu realizar 12 sorteios de 35 mil dólares para o público caso o Seatle Seahawks evitasse que o New York Giants marcasse um ponto sequer. Para participar da promoção, não era necessário adquirir veículo na concessionária, mas quem optasse por adquirir um ganhava 100 cupons para o certame.

A promoção repercutiu positivamente na região e o resultado da partida de futebol americano refletiu a motivação dos atletas para a partida: os Seahawks venceram os Giants por 23 a 0, angariando simpatia para a equipe e, de quebra, para a concessionária, que realizou os sorteios prometidos.

Precavida, a revenda de veículos havia feito um seguro no valor de 420 mil dólares. Afinal, o seguro morreu de velho, não é mesmo?

 

Carinho inspira carinho

Por entender a importância do cuidado, do afeto e do carinho na formação das crianças, a Johnson & Johnson conduziu, em parceria com uma escola infantil de São Paulo, uma atividade lúdica junto aos seus alunos, com idade entre quatro e cinco anos. O objetivo da iniciativa era observá-los ao trazerem para a sala de aula os exemplos de carinho e cuidado que recebem em casa.

Certo dia no final de novembro, as crianças foram informadas de que a mascote da instituição, um macaco de pelúcia, estaria doente.

Por meio da instalação de câmeras na sala de aula e dos olhos do brinquedo, foi possível observar a reação das crianças ao lidar com a situação e cuidado que tiveram com a mascote.

A importância da iniciativa é reforçada pela pesquisa encomendada pela Johnson & Johnson ao IBOPE que mapeou a importância do carinho para os brasileiros e deu origem à campanha CARINHO INSPIRA CARINHO™.

O estudo ouviu mais de duas mil pessoas de diferentes classes sociais, gêneros e regiões do país e concluiu que, embora o carinho seja mais importante do que o dinheiro, 28% da população brasileira afirma nunca ter recebido carinho na vida.

(Fonte: Revista Exame, 13/12/13)