Dictionarist: uma ferramenta versátil para tradução

Dictionarist é uma ideia exclusiva para web, pois permite é um dicionário que permite o acesso a uma palavra com o mesmo significado em várias línguas.

Usar este serviço on-line é bastante simples. Basta procurar o termo e esperar até que o Dictionarist conclua a busca. Serão exibidos resultados para todas as línguas nas quais o programa encontrar correspondentes em seu banco de dados – mas sem uma ordem definida.

Outra boa ferramenta do Dictionarist é a possibilidade de escutar a pronúncia das palavras. Ao lado de cada palavra buscada, aparece um ícone em forma de autofalante: clique nele e escute a pronúncia.

Dictionarist permite buscas em português, inglês, francês, alemão, chinês (tradicional e simplificado), coreano, grego, albanês, russo, italiano, turco, espanhol, holandês e japonês. Porém, o banco de dados do programa ainda é insuficiente e com pronúncias de sotaque duvidoso.

Mesmo assim, vale a pena conhecer esta ferramenta que pode ser útil até para a atividade de branding, especificamente na área de naming.

Anúncios

Atendimento pós-venda: despesa ou investimento?

Uma das principais questões que discuto no atendimento diário que realizo a empresários é sobre a viabilidade de um atendimento pós-venda. Afinal, esta técnica de gestão é uma despesa ou investimento.

Do ponto de vista de custo, o serviço pós-venda é, de fato, uma despesa que se acrescenta ao processo de venda, reduzindo, em um primeiro instante, a margem de lucro da empresa. Porém, há que se considerar que a implantação e o desenvolvimento de uma equipe, com os instrumentos adequados, pode gerar um retorno financeiro garantido por melhorias no serviço e pela fidelidade do cliente.

Com a maior competitividade no mercado, o atendimento pós-venda torna-se um diferencial para as empresas e um novo ponto de contato com seus clientes. Além disso, a interação maior entre a companhia e seu consumidor permitirá o aprimoramento de seus serviços, maior satisfação ao cliente e mais vendas.

Aos empresários resta conscientizar-se sobre as vantagens em adotar-se esta técnica de gestão. Podemos concluir que o atendimento pós-venda é, sim, um investimento, quando devidamente estruturado e gerenciado.

Brinde no copo ativa amizades no Facebook

“A Budweiser acaba de lançar uma ação para dar um upgrade aos famosos brindes de amizade. Trata-se do “Buddy Cup”, espécie de copo que vem com um chip integrado ao Facebook. Cada vez que o portador encosta o copo em outro buddy cup (também com o chip), os dois automaticamente se tornam amigos na rede social. A agência Africa criou o conceito, já a parte tecnológica foi desenvolvida pelo estúdio de inovação digital Bolha.

O objetivo da ação é aumentar a interação entre os consumidores de Bud em eventos da marca, como festas, shows e festivais. O próximo passo será estender a ação para a plataforma de patrocínios da Bud. Veja como funciona:”

(Fonte: Meio&Mensagem)

 

Máquina de pegar brinquedos gigante no aniversário do Cartoon Network

O canal de TV por assinatura Cartoon Network, especializado em desenhos animados, resolveu fazer uma ação diferente para comemorar seu aniversário, instalando uma máquina de pegar brinquedos gigante em um shopping para provocar uma divertida interação da marca com seu público-alvo.

O resultado foi muito alegre e surpreendeu quem passava pelo shopping. Na brincadeira, pais e filhos trabalhavam em dupla para pegar o melhor brinquedo. Assista e divirta-se!

Pela criação do IVPOM

pesquisa

A cada dia surgem as mais diversas pesquisas de opinião e de mercado. A mídia, particularmente, adora divulgar o resultado destas pesquisas. Mas uma questão fica no ar: terá sido a pesquisa realizada de forma isenta e conforme as melhores práticas científicas?

Para dar mais credibilidade às mesmas, proponho a criação do Instituto Verificador de Pesquisas de Opinião e Mercado – IVPOM, o qual seguiria dinâmica semelhante ao IVC – Instituto Verificador de Circulação, órgão que audita a mídia impressa.

Funcionaria assim: as empresas de pesquisa seriam filiadas àquele instituto, o qual seria mantido por contribuições anuais. Auditores do IVPOM teriam acesso à documentação das pesquisas do instituto e também acompanharia, aleatoriamente, a aplicação dos questionários, atestando, ao final, a correta formulação, aplicação e tabulação dos dados.

Tal como ocorre com o IVC, o IVPOM certificaria o processo de pesquisa dos institutos, auferindo-lhes mais credibilidade e, consequentemente, maior adesão das mais diferentes organizações aos seus serviços.

Mercedes-Benz lança Classe A no passinho do volante

A Mercedes-Benz demonstrou ousadia na campanha do novo modelo do Classe A. O comercial tem como trilha sonora o hit do funk “Passinho do volante”, de MC Federado & Os Leleks.

No canal do Youtube, a montadora explica: “Nada melhor do que poder girar o volante de um lado para o outro e contar com toda a segurança do novo Classe A: tecnologias como o Steer Control e Adaptive Brake garantem precisão e estabilidade mesmo em condições de pista molhada”.

Mais um anúncio que aproveita o hit do momento.

Reality Show pretende revelar o novo Steve Jobs

Fundador da Atari e primeiro patrão de Steve Jobs, Nolan Bushnell se uniu ao empreendedor brasileiro Ricardo Bellino – fundador da School of Life – para lançar um concurso/reality show de empreendedorismo em busca de jovens com ideias tão criativas e inovadoras quanto as do falecido fundador da Apple.

Batizado como Finding The Next Steve Jobs (Encontrando o Próximo Steve Jobs) – mesmo nome de um livro recém-lançado por Bushnell, o projeto vai selecionar 10 candidatos para participar de um treinamento de 111 dias em Miami, nos Estados Unidos.

Para participar do concurso, os aspirantes a gênio precisam doar uma quantia de qualquer valor através do site When You Wish, além de produzir um vídeo de inscrição com 3 minutos de duração. O prêmio, caso a pessoa ultrapasse as eliminações semanais e seja eleito o vencedor, é de 1 milhão de dólares em investimentos para o projeto que pretende desenvolver.

Quer saber mais? Confira o vídeo de lançamento do Finding The Next Steve Jobs, da School of Life Academy.

Sebra lança aplicativo para idéias de negócios

Para quem está em dúvidas sobre que tipo de negócio abrir, vale a pena baixar o aplicativo Ideias de Negócios, desenvolvido pelo Sebrae. Disponível no Facebook e na AppStore gratuitamente para Ipad e Iphone, o programa tem 438 opções de negócios diferentes, com detalhes sobre o funcionamento destas empresas.

Cada um dos tipos de empreendimento vem com detalhes do que é mais apropriado em termos de localização, equipamento necessário, dados do mercado e números de capital de giro e investimento. As informações variam conforme o que o empresário pretende para a empresa.

Lançado em dezembro, o Ideias de Negócios já foi baixado por mais de 4 mil pessoas. O programa conta ainda com um ranking dos melhores negócios, feito a partir de votação dos usuários. Até agora, os líderes são escritório de contabilidade, carrinho de cachorro-quente, agência de viagens e turismo, adega, imobiliária, adaptação de veículos para deficientes físicos e padaria.

Que tal alugar um amigo como cicerone?

Pessoas que viajam acabam se tornando reféns de grandes filas em volta de museus ou se vêem presas em um chatíssimo city tour. Isso porque, na maioria das vezes, elas não têm boas indicações de moradores locais sobre programas alternativos e menos “cilada para turista”.

Mas um novo projeto propõe uma solução interessante para isso. O “Rent a Local Friend” incentiva, literalmente, que viajantes aluguem um amigo local por algumas horas e façam com ele programas divertidos e pouco conhecidos por turistas em sua cidade.

O vídeo abaixo explica em detalhes este empreendimento superinteressante.

Impressões de um francês sobre o Brasil

Olivier Teboul, francês, 29 anos, mudou para Belo Horizonte há um pouco mais de um ano. Abaixo, você pode conferir as observações curiosas e bem-humoradas deste gaulês sobre nossos hábitos:

– Aqui são umas das minhas observações, as vezes um pouco exageradas, sobre o Brasil. Nada serio.

– Aqui no Brasil, tudo se organiza em fila: fila para pagar, fila para pedir, fila para entrar, fila para sair e fila para esperar a próxima fila. E duas pessoas ja bastam para constituir uma fila.

– Aqui no Brasil, o ano começa “depois do Carnaval”.

– Aqui no Brasil, não se pode tocar a comida com as mãos. No MacDonalds, hamburger se come dentro de um guardanapo. Toda mesa de bar, restaurante ou lanchonete tem um distribuidor de guardanapos e de palitos. Mas esses guardanapos são quase de plastico, nada de suave ou agradável. O objetivo não é de limpar suas mãos ou sua boca mas é de pegar a comida com as mãos sem deixar papel nem na comida nem nas mãos.

– Aqui no Brasil todo é gay (ou ‘viado’). Beber chá: e gay. Pedir um coca zero: é gay. Jogar vólei: é gay. Beber vinho: é gay. Não gostar de futebol: é gay. Ser francês: é gay, ser gaúcho: gay, ser mineiro: gay. Prestar atenção em como se vestir: é gay. Não falar que algo e gay : também é gay.

– Aqui no Brasil, os homens não sabem fazer nada das tarefas do dia a dia: não sabem faxinar, nem usar uma maquina de lavar. Não sabem cozinhar, nem a nível de sobrevivência: fazer arroz ou massa. Não podem concertar um botão de camisa. Também não sabem coisas que estão consideradas fora como extremamente masculinas como trocar uma roda de carro. Fui realmente criado em outro mundo…

– Aqui no Brasil, sinais exterior de riqueza são muito comuns: carros importados, restaurantes caríssimos em bairros chiques, clubes seletivos cujos cotas atingem valores estratosféricas.

– Aqui no Brasil, os casais sentam um do lado do outro nos bares e restaurantes como se eles estivessem dentro de um carro.

– Aqui no Brasil, os homens se vestem mal em geral ou seja não ligam. Sapatos para correr se usam no dia a dia, sair de short, chinelos e camiseta qualquer e comum. Comum também é sair de roupas de esportes mas sem a intenção de praticar esporte. Se vestir bem também é meio gay.

Gostou? Leia mais no artigo completo publicado no side Fodecast.

Lykke Li: Inspiração para as redes sociais

Lykke Zachrisson é uma cantora sueca de apenas 28 anos que está fazendo sucesso com a música “I Follow You”. Filha de mãe pintora e pai músico, morou em Portugal por 5 anos.

Convivendo com culturas diferentes (Portugal, Nepal, marrocos e Índia), mudou-se para Nova York, onde gravou músicas com Kanye West e Santigold. Hoje ela vive em Estocolmo, saboreando o sucesso de “Possibility”, incluída na trilha sonora de “Lua Nova”, da saga Crepúsculo.

No vídeo abaixo, você aprecia a música atual de trabalho da cantora nas rádios. Pelo refrão da música, o hit poderia ser utilizado em campanhas publicitárias do Facebook ou do Twitter, não acham?