Clientes ajudam fotógrafo a conquistar mais clientes

De fotógrafo e de louco, todos nós temos um pouco. Mas o fotógrafo James Hodgnis propõe uma brincadeira para mostrar o verdadeiro valor do fotógrafo. É o projeto Crappy x Snappy, onde ele convida uma pessoa comum a tirar uma foto e, logo em seguida, ele também retrata o mesmo tem porém com seu talento fotográfico. O resultado é uma divertida brincadeira onde as diferenças ficam evidentes entre o fotógrafo amador e o profissional. A foto abaixo ilustra a proposta de Hodgins: a direita, a foto tirada por um fotógrafo amador, enquanto a da direita retrata a foto sobre o olhar do profissional. Que tal?

snapshot2

Você é o que você compartilha!

Esta é a provocação de Gil Giardelli, especialista brasileiro em redes sociais. Segundo ele, nossa natureza de mamíferos nos faz buscar viver em comunidade. Giardelli é defensor do ambiente livre das redes sociais, onde está acontecendo pequenas revoluções, entre elas no empreendedorismo. O vídeo acima apresenta o conceito de humanidade 5.0, a verdadeira revolução que estamos vivenciando. Vale a pena assistir para compreender esta nova realidade.

O imperativo da humanização das marcas

O Branding foi inventado pelos designers ingleses com a contribuição de acadêmicos norte-americanos como David Aker e Kevin Lane Keller. Os criadores descobriram que uma marca, além de um nome e um símbolo, necessitariam passar uma idéia, uma essência, uma promessa. Mais que buscar a estética da marca, a harmonia das letras ou qualquer outro simbolo, instituiram esse conceito onde a marca seria o retrato falado de da empresa e seus valores.

Isso foi uma verdadeira revolução no marketing. Mas quando o branding nasceu, ele mirava a comunicação no sentido de que a marca identificava e significava a organização e era muito mais utilizado como instrumento de imagem e marketing.

Porém, aquela nova promessa tinha que nascer dentro da empresa. Surgia o branding interno, mais amplo que o endomarketing. Este conceito evoluiu para a chamada Gestão da Cultura Interna. Quando isto ocorreu, percebeu-se que a marca, mais que representar produtos, idéias e atributos racionais, no fundo também representava o retrato humano da empresa. Felizmente, além desse conceito simples, começou o o movimento da responsabilidade social, uma evolução das ações de Relações Públicas institucionais voltadas para causas sociais.

As organizações, hoje, precisam se humanizar e este processo passa pelo resgate da essência da empresa, o propósito inicial que ela possuía antes mesmo de pensar em lucro, em um verdadeiro compromisso com a sociedade, a partir da sua visão e de seus valores. Ao respeitar seus colaboradores e obter a adesão deles aos seus propósitos nobres, a empresa passa a se humanizar, a partir de uma causa que ela defenda, dissemine e alcance. Este conceito não é novo, mas está conquistando os profissionais de marketing.

Ouvir Estrelas, por Olavo Bilac

Abaixo, um poema de Olavo Bilac que pode muito bem se aplicar a empreendedores e profissionais de marketing. Afinal, um pouco de erudição não faz mal e aguça os sentidos!

“Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-Ias, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto …

E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: “Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?”

E eu vos direi: “Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas.”

Como saber se seu negócio pode virar franquia

Na hora de expandir o negócio, muitos empreendedores optam pelo formato de franquia. A rapidez na expansão da rede -já que o investimento na abertura de uma unidade será do franqueado- e o lucro com o recebimentos de royalties e taxa de franquia são os maiores atrativos do modelo.

Segundo a ABF (Associação Brasileira de Franchising), em 2012 as franquias faturaram R$ 103,2 bilhões, alta de 16,2% em relação ao ano anterior. No mesmo período, 395 redes aderiram ao sistema de franchising.

Quando se entra para o franchising, o negócio não concorre apenas com o setor de atuação, mas também com as franquias em geral. Se um candidato a franqueado tiver R$ 300 mil, ele pode investir em qualquer marca. É preciso ser atrativo no valor de faturamento, no prazo para retorno do investimento e nos custos de instalação oferecidos.

Abaixo, encontram-se os requisitos para se tornar um franqueador.

a) Utilidade

b) Ter um diferencial, seja na qualidade, no preço, na rapidez ou na comodidade do cliente.

c) Período de experiência, por pelo menos dois anos, para testar sazonalidades, corrigir erros operacionais, testar o produto e comprovar que ele não é uma moda passageira.

d) Escolha do setor, estando atento ao número de concorrentes.

e) Apelo geográfico amplo, pois o produto não pode estar ligado a características locais, como clima e temperatura.

f) Operação padronizada, com manuais claros de procedimentos, além de treinamento para os franqueados.

g) Viabilidade financeira, vantajosa franqueados e franqueador.

h) Número de unidades, pois franquear só é vantajoso quando há volume.

 

Desenho animado retrata as últimas 5 décadas de História do Brasil

“Um drama épico que atravessa episódios marcantes da história do Brasil.” É assim que a produtora Gullane apresenta o longa-metragem de animação Uma história de amor e fúria.

O filme atravessa toda a história do país, começando antes mesmo da chegada dos navegantes portugueses. O protagonista, um guerreiro índio da tribo dos tupinambás, recebe a missão de lutar contra Anhangá, o deus da morte. Para tanto, se torna imortal e acaba testemunhando momentos marcantes da formação da nossa nação, como a Balaiada (1838-1841), revolta popular ocorrida no Maranhão, e a resistência armada contra a ditadura militar, na década de 1970.

O desfecho leva os personagens até o distante futuro, passado no ano de 2080, num Rio de Janeiro distópico, dominado por milícias. Dirigido por Luiz Bolognesi (roteirista de filmes comoBicho de sete cabeças), o desenho animado traz em seu elenco vozes de nomes consagrados: Selton Mello, Rodrigo Santoro e Camila Pitanga puxam a lista.

A estréia está prevista para sexta-feira, nos cinemas.

Pesquisa IBISWorld aponta negócios promissores para 2013

Embora aplicada ao mercado americano,  uma pesquisa promovida  pelo instituto IBISWorld indica quais são os setores mais promissores para quem vai deseja empreender. As tendências servem, pelo menos parcialmente, para o mercado brasileiro, sempre antenado com as novidades do exterior e com um público consumidor que sempre busca novidades.

Os negócios apontados como promissores são:

– Games para redes sociais – Este mercado deve crescer 31,9% em 2013, segundo o instituto.

– Venda de sapatos online – Com a confiança maior dos consumidores nas compras eletrônicas, o desejo do público feminino por sapatos deverá se converter em um aumento nas compras pela internet.

– Serviço de instalação para TV – O aumento na demanda por TV por assinatura, especialmente pela classe C, deverá demandar mais prestadores de serviços nesta área.

– Data room virtual – é uma espécie de arquivo de informações que permite armazenar e distribuir documentos. É uma nova tendência corporativa, especialmente em processos de fusões e aquisições.

– Agências de turismo – A busca cada vez maior por viagens nacionais e internacionais irá incrementar este setor em 2013.

– Serviços de tradução – Especialmente pelo maior intercâmbio internacional devido à Copa do Mundo, este setor irá demandar mais profissionais e empresas especializadas.

– Consultoria de Segurança em TI – Com mais negócios utilizando a web como suporte, a necessidade de garantir a segurança e integridade dos dados está na pauta das prioridades empresariais e irá assegurar mais negócios para aquele segmento.

– Computação forense – Um serviço que será cada vez mais essencial, juntamente com a consultoria de segurança em TI, será a de empresas dedicadas a investigar ataques aos bancos de dados.

CRM requer bom senso no desenho da plataforma

Investir no relacionamento com o cliente nunca foi tão importante e lucrativo. Isto já é um consenso entre os profissionais de marketing e  estes tem na plataforma CRM (abreviatura de Customer Relationship Management) o principal suporte tecnológico para viabilizar o estado da arte do marketing.

A partir da adoção do CRM, a empresa pode ter uma visão clara e atualizada dos dados relevantes do cliente, pode obter melhor retorno do investimento em marketing e vendas, melhora sua performance e desenvolve relações rentáveis, a partir da fidelização do cliente.

Infelizmente, tenho tido contato com soluções desenhadas pelas empresas inadequadas para a boa garimpagem de dados (datamining), principal recurso da plataforma. Isto ocorre porque as empresas não observam os principais requisitos para implantação do CRM, que são: definir o tipo de relação com os clientes, escolher a solução tecnológica adequada, treinar adequadamente os profissionais envolvidos e implementar da forma certa e no tempo certo.

É preocupante ver algumas empresas de renome investirem dezenas de milhares de reais em plataformas de CRM incompletas, sem customização ou sem interface agradável com os usuários do sistema. Acho incoerente uma empresa possuir verba suficiente para possuir um bom CRM e não realizar o investimento adequado para esta plataforma que pode ser a base de negócios da companhia. Afinal, há boas empresas fornecedoras do software com competência para ajudar o gestor a desenhar um CRM adequado para seus objetivos mercadológicos.

Resumo da ópera: O CRM atenderá a empresa em suas expectativas se for planejado com bom senso!

Mulher, sou forte mas não chego ao seus pés!

 

“Dizem que a mulher é o sexo frágil
Mas que mentira absurda
Eu que faço parte da rotina de uma delas
Sei que a força está com elas

Vejam como é forte a que eu conheço
Sua sapiência não tem preço
Satisfaz meu ego se fingindo submissa
Mas no fundo me enfeitiça

Quando eu chego em casa à noitinha
Quero uma mulher só minha
Mas pra quem deu luz não tem mais jeito
Porque um filho quer seu peito
O outro já reclama a sua mão
E o outro quer o amor que ela tiver
Quatro homens dependentes e carentes
Da força da mulher

Mulher, mulher
Do barro de que você foi gerada
Me veio inspiração
Pra decantar você nessa canção

Mulher, mulher
Na escola em que você foi ensinada
Jamais tirei um dez
Sou forte mas não chego aos seus pés”

(Erasmo Carlos)

Mais uma filha se forma na UCB

Ontem foi um dia especialíssimo. Pelo segundo ano consecutivo, vejo mais uma filha formada.
Ano passado, Nathália Rodrigues formou-se em Engenharia Ambiental.
Desta vez, Laura Rodrigues formou-se em Ciências Biológicas pela Universidade Católica de Brasília, enchendo-nos de orgulho e felicidade, em uma cerimônia simples, bem organizada, recheada de alegria, amizades e saudades. Como leitora do juramento das profissões, Laurinha esbanjou segurança, simpatia e comprometimento acadêmico, assim como ao longo de toda sua jornada na UCB.
Mais um ciclo de nossa história com a UCB se encerra, trazendo a esperança de novas experiências e muito sucesso. Tão ou mais importante que desempenhar meu papel de pai foi o permanente acompanhamento de minha esposa, Gilcéia Rodrigues de Sousa, que sempre esteve junto às nossas filhas, principalmente nas noites em que eu atuava como professor da Universidade. Obrigado, Amorzão!
Hoje, compartilho com todos os amigos e parentes este momento especial, com a certeza de que o mesmo Deus que sempre protegeu nossas filhas também lhes reserva um belo caminho profissional e pessoal. Que venham os novos desafios, pois elas estão preparadas!