Tendências do consumo para 2013, segundo o Tredwatching

A TrendWatching apresentou na quarta-feira dia 28, uma pesquisa apontando as 10 principais tendências de consumo para 2013.  São elas:

1 – Presumer e custowners
Participação cada vez mais expressiva das ações de crowdfunding. “Os consumidores vão abraçar ainda mais formas de participar do financiamento e (pré) lançamento de novos produtos e marcas”, diz o relatório. Um exemplo é a ZaoZao, marca de Hong Kong voltada para amantes da moda. Ela pré-lança seus produtos, angariando fundos para iniciar a produção.

2 – Emerging
Com a força dos mercados emergentes e a situação delicada vivida pela economia européia, empresas de países como Brasil, China e Índia começarão a desenhar estratégias de Marketing com foco em outros mercados emergentes, como Turquia ou África do Sul. E o caminho inverso também é verdadeiro.  A brasileira Amazonas Sandals anunciou planos para abrir uma loja na China no início de 2013. A marca usa matéria-prima bruta de árvores seringueiras do Brasil e a borracha de suas sandálias são feitas com 80% de material reciclado.

3 – Mobile Moments
As pessoas passarão cada vez mais tempo conectadas via dispositivos mobile, utilizando seus smartphones e aparelhos celulares em todos os momentos. Para aproveitar esta tendência, as empresas devem apostar em produtos, serviços e experiências que permitam a adotarem naturalmente um estilo de vida “multi-hiper-tasking”. Um exemplo é a Jana, plataforma que permite aos usuários de telefones celulares em países em desenvolvimento participarem de pesquisas de mercado por meio de SMS em troca de prêmios, como minutos para ligação. Como resultado de sua parceria com operadoras de telefonia celular, o serviço atende quase 3,5 bilhões de pessoas em mais de 100 países.

4 – New Life Inside
O consumidor será cada vez mais exigente em relação a produtos e serviços sustentáveis, indo além do conceito de reciclagem. A ideia é que as empresas criem itens que possam ser adaptados e reutilizados em outros momentos e com novas funções.  Por isso o nome New Life Inside, pois os produtos, além de sua função principal, ganharão uma nova “vida” com outra função, evitando o descarte.

5 – Appscriptions
O exercício da medicina estará cada vez mais ligado às tecnologias digitais. Aplicativos para smartphones e tablets substituirão exames, avaliarão as condições do paciente e serão capazes de monitorá-los a distância. Os aplicativos médicos serão parte do receiturário do profissional de saúde, assim como os remédios. Em junho de 2012, o fundo do governo australiano “National Prescribing Service” lançou o Antibiotics Reminder. O aplicativo gratuito permite que pacientes criem alertas para lembrá-los de tomar a sua medicação, rastrear quando foi tomada e manter um diário de monitoramento.

6 – Celebration Nation
Os produtos e serviços globais dividirão espaço para marcas que tragam no seu DNA elementos com simbolos e culturas regionais. O relatório de tendências aponta que os mercados emergentes exportarão mais produtos que representam seus valores históricos e culturais. Um exemplo é a NE-TIGER, considerada primeira grife de luxo chinesa, que é conhecida pelos seus designs étnicos inspirados em uma mistura Oriente/Ocidente.

7 – Data Myning
Os dados disponibilizados na web não serão estratégicos apenas para as marcas. Os consumidores também farão o caminho inverso, obtendo maior controle e fazendo melhor uso dos seus próprios dados. Este indivíduo dará preferência por marcas que usem esta informação proativamente para oferecer benefícios reais para o seu estilo de vida ou economia de dinheiro.

8 – Again Made Here
Em 2013 haverá um ressurgimento da produção local em diversos países. No mês de outubro, a plataforma líder de impressoras 3D Shapeways abriu a sua primeira Fábrica do Futuro na cidade de Long Island, em Nova York. A fábrica terá capacidade para produzir de três a cinco milhões de objetos anualmente.

9 – Full Frontal
As marcas não podem ter nada a esconder. Empresas de todos os setores serão cada vez mais pressionadas a mostrar de forma proativa que estão dentro das normas legais e éticas. Um dos casos mais emblemáticos para ilustrar esta tendência é que o McDonald’s começou a divulgar informações calóricas de seus lanches nos menus dos seus restaurantes e nas janelas dos drive-thru no Brasil e nos EUA . Ao mesmo tempo, a marca deu início à campanha “Favoritos abaixo de 400 calorias” para promover lanches leves como o sanduíche McFish e o EggMcMuffin.

10 – Demanding Brands
A última das 10 tendências elencadas pela consultoria pode ser considerada como uma evolução do conceito de servile brands (marcas servis). As companhias adotarão também um caminho inverso, exigindo que os seus consumidores contribuam com projetos e ações ligadas à sustentabilidade. O Vitória Futebol Clube usou deste recurso para promover a sua campanha de doação de sangue. Em julho deste ano, quando apresentou os novos uniformes dos jogadores, o clube surpreendeu a mídia: apesar de suas cores serem preto e vermelho, as camisas estavam com listras pretas e brancas. Fãs de todo o país foram encorajados a doar sangue para que a cor vermelha voltasse aos uniformes, o que aconteceu progressivamente durante o campeonato.

(Fonte: Mundo do Marketing)

Loja grátis chega ao Brasil

O consumidor entra na loja, analisa, pega o que tem vontade e sai sem pagar pelo produto. Esse novo conceito varejista, que tem como moeda a opinião do consumidor, finalmente chega ao Brasil depois de ser sucesso em países como Japão, Espanha e Estados Unidos.  A primeira loja brasileira desse segmento, a Clube Amostra Grátis, será aberta no próximo dia 11, na Vila Madalena, em São Paulo. No mês seguinte, no dia 29, começa a funcionar, também na capital paulista, nos Jardins, a Sample Central.

A estratégia é a seguinte: indústrias da área de alimentos, bebidas, cosméticos, higiene, vestuário e até de eletroeletrônicos expõem seus produtos que, na maioria, ainda não chegaram às prateleiras do grande varejo. O consumidor leva para casa, experimenta e dá sua opinião. As novidades de eletroeletrônicos, porém, terão de ser “provadas” na loja.  Nas duas lojas, o interessado deverá fazer o cadastro on-line e pagar uma taxa, que será única, de R$ 50, na Clube Amostra Grátis e anual, de R$ 15, na Sample Center. Depois o associado recebe uma carteirinha que dá acesso livre às próximas visitas e já pode consumir os produtos. Na Sample Central, o cliente terá direito a levar até cinco produtos por visita, que devem ser previamente agendadas. Já na Clube Amostra Grátis, são cinco itens por mês.

Em contrapartida, responderá a um questionário sobre cada produto utilizado, apontando defeitos, qualidades, pontos positivos, prós e contras. Na verdade, é uma pesquisa de mercado para as empresas participantes, e elas pagarão às lojas por essas informações. Em vez de investir R$ 60 mil em uma pesquisa de mercado tradicional, o empresário tem um “feedback” dos produtos de uma forma mais barata.

O investimento na loja, na Vila Madalena, será de R$ 2 milhões. A expectativa de faturamento anual é de R$ 3 milhões. Algumas marcas, como Nestlé, Telefônica, Locaweb, Plantronics, Góoc e Grupo Berton (área de cosméticos), aderiram ao Clube Amostra Grátis.

A Sample Central, que investiu R$ 4 milhões no negócio, não revela as marcas que estarão disponíveis. Mas o gerente geral da empresa, o publicitário João Pedro Borges, adianta que haverá 150 produtos diferentes na loja a cada visita do associado, que já são 4.000.

Dentre as opções de maior valor agregado para levar para casa estão calçados, bolsas de praia e adesivos decorativos de parede. Produtos de menor preço, como cremes hidratantes e xampus, além de refrigerantes, massas e sucos, também estão entre as opções.

Mesmo estreando um mês e meio depois no mercado, o gerente da Sample Central diz não temer a concorrência. O estabelecimento será uma franquia da rede internacional que leva o mesmo nome e nasceu em julho de 2007, em Tóquio.

“Optamos por abrir uma franquia para nos beneficiar do know-how de um sistema que já tem aprendizado de três anos. As visitas à nossa loja são agendadas para garantir que os produtos não acabarão, que as pessoas serão bem atendidas e para evitar filas”, explicou.

O publicitário explica que o modelo de negócios da loja grátis está associado a uma nova estratégia de marketing: o “tryvertising”, expressão resultante da junção das palavras inglesas “try” (experimentar) e “advertising” (propaganda).

Segundo ele, no “tryvertising” a pessoa escolhe o que deseja testar e, exatamente por ter escolhido previamente, a divulgação boca a boca ou nas redes sociais tende a ser muito mais eficiente e positiva. No caso da loja em Tóquio, 76% das pessoas que experimentam o produto se tornam consumidoras efetivas quando esse item chega ao mercado, afirma.

“Somos uma ferramenta de marketing que alavanca as vendas nas redes varejistas. Nós não vendemos nada”, define.

(Fonte: Folha de São Paulo)

Fecomércio oferece curso de vitrinismo e outras opções interessantes

O Instituto Fecomércio está oferecendo interessantes opções de cursos, nas seguintes áreas: gestão de projetos, liderança e motivação, oratória, técnicas de vendas e negociação, rotinas trabalhistas, administração financeira, gestao de pessoas, redação oficial, atendimento ao cliente, secretariado executivo, relações interpessoais, líder coach, recrutamento e seleção de pessoas por competência, gestão e melhorias de processos, matemática financeira, marketing empresarial, Lei 8.666, administração de estoque e logística e formação de preço de venda, além de cursos na área de informática. Destaco, especialmente, o curso de vitrinismo, o qual acho imprescindível para os profissionais de marketing atualizarem seus conceitos de visual merchandising. Mais informações pelo telefone 3962-2025 ou pelo site www.cursosif.com.br.

UCB e outas universidades federais lançam a revista Esferas

É sempre uma grande satisfação comunicar a produção acadêmcia aos leitores deste blog.

Desta vez gostaria de comunicar o lançamento da ESFERAS – Revista Interprogramas de Pós-Graduação em Comunicação do Centro-Oeste, concebida e editada pelos Programas de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília -UnB, Universidade Católica de Brasília – UCB, Universidade Federal de Goiás – UFG e Universidade Federal do Mato Grosso do Sul – UFMS.

A primeira edição está disponível em versão impressa, mas também em versão online, no link portalrevistas.ucb.br/index.php/esf/issue/current

Hilton Carvalho: morre mais um pioneiro de Brasília

Há uma semana atrás faleceu o empresário Hilton Carvalho, fundador do Grupo HC, onde trabalhei no período 1993-2000.

Hilton era um pioneiro da Capital Federal. Veio para Brasília em 1957, onde constituiu família e e, m 1964, inaugurava a primeira loja HC Pneus. No início dos anos 90, já com 13 autocentros, decidiu empreender como construtor, criando a HC Construtora. Hoje, com muitos edifícios construídos e quase 50 lojas HC Pneus, o Grupo HC conta com mais de seiscentos funcionários, comandados por seus filhos Hilton Crispim (o Hiltinho), Sebastião e Aluízio.

O Fundador do grupo deixa boas lembranças como pai de família dedicado e empresário comprometido com princípios éticos. Um exemplo de pioneiro que deixou sua marca na cidade.

Indústria, comércio ou indústria & comércio?

A característica singular do Distrito Federal o torna um local atrativo para as mais diferentes atividades econômicas.

A vocação original da região está na área de serviços, onde o serviço público predomina. Nas últimas décadas, houve uma grande ênfase no incremento da atividade comercial, com a consolidação dos espaços com shoppings centers e hipermercados, além da setorização de logradouros, como a Rua das Farmácias (102 Sul), a Rua da Informática (207 Norte) e a Rua das Elétricas (109 Sul).

Na última década, o Governo do Distrito Federal incentivou a ocupação das denominadas Áreas de Desenvolvimento Econômico (ADEs) por diversas indústrias, com lotes a custo baixo e incentivos fiscais.

O que se constata, hoje, porém, é que a verdadeira vocação da região é híbrida, ou seja, indústria e comércio. Isto ocorre porque muitos empresários que originalmente constituem-se como indústria passam também a implementar lojas para revender seus produtos. O contrário também ocorre, com empresas de comércio passando também a produzir alguns dos produtos que comercializam. Em busca de aproveitar as possibilidades negociais que surgem, um número cada vez maior de empreendedores adotando este modelo híbrido.

Exemplificando: uma empresa de armários modulados revende e fabrica seus produtos, o mesmo acontecendo com padarias, serralherias e empresas de confecções.

Este modelo híbrido de atividade comercial é saudável ou não para a economia e a identidade locais? A economia é dinâmica e só o tempo mostrará os reais benefícios daquela decisão empresarial.

Black Friday: uma data promocional que veio pra ficar

O Black Friday é uma data promocional criada pelos americanos para estimular a antecipação das compras de Natal. A idéia é oferecer descontos atrativos para distribuir a curva de vendas de forma mais equilibrada entre novembro e dezembro. No Brasil, o Black Friday possui um site (blackfriday.com.br), que agrega as informações das ofertas de todas as empresas que aderem a este projeto. A primeira empresa a adotar a estratégia no país foi o Grupo Pão de Açúcar, com o site do Extra. Neste ano, a rede estendeu as ofertas para as lojas físicas na data de hoje.

O nome da ação é uma analogia à melhoria das vendas dos comerciantes neste período, ou seja, estar no preto significa evolução no desempenho comercial, ao contrário de “estar no vermelho”. Para o comércio brasileiro, o projeto é positivo, pois antigamente novembro era um mês onde os consumidores não gastavam muito, por estarem esperando chegar o mês do Natal. Acredito que o Black Friday veio pra ficar. Alguém duvida?

A influência dos blogs na formação de opinião do consumidor

É cada vez mais comum que os consumidores busquem nos mais diversos blogs informações sobre os produtos que desejam consumir. Em muitas ocasiões, acabam contratando aqueles que são bem recomendados pelos blogueiros. Acredito que, embora isto realmente ocorra, a influência dos blogs é relativa, pois a confiabilidade do blogueiro deve ser significativa junto ao seu público. Quando a opinião daquele é fundamentada, os leitores tendem a confiar mais. O tempo de experiência do blogueiro com seu público também conta muito para sua credibilidade.

A publicidade espontânea gerada pelo blogueiro pode ser considerada marketing digital? Acredito que pode ser considerada marketing digital se for uma tática estruturada por uma empresa de marketing que atenda aos interesses dos fornecedores e se relacione bem com os blogueiros. Uma empresa experiente em marketing digital certamente saberá lidar sutilmente com estes influenciadores da opinião pública para que consigam atingir os fins para seus anunciantes.

Deve-se observar, porém, que os blogueiros tendem a recomendar o que experimentaram ou ouviram dos relatos de experiências de pessoas próximas. Evidentemente que um blogueiro pode “manipular” suas opiniões para atender a barganhas comerciais que lhe tragam vantagens, mas estará colocando sua reputação em risco. A tentação financeira pode ser grande, pois há empresas que procuram os donos de blog tanto para influenciá-los quanto para negociar com eles explicitamente o seu apoio ao produto da organização.

A internet consolidou-se como fonte de informações e é natural que as pessoas busquem informações da forma mais imediata, que é acessando rapidamente sites em seu computador, sem depender fisicamente de ninguém para se informar. Mas não creio que este nível de confiança das pessoas nos blogs aumente, pois muitos usuários de web já perceberam que é possível fraudar opiniões na internet, principalmente com ações de seeding, do qual falarei nas próximas semanas.

Por fim, é importante que as empresas monitores a opinião dos usuários de web sobre seus produtos e serviços, pois comentários negativos podem se multiplicar na rede e atingir fatalmente uma determinada marca. Dependendo do segmento ao qual a empresa pertence, o “estrago” pode ser considerável e rápido. Portanto, cuide bem de sua marca na web.

7 dicas para operar bem uma franquia

1) Identificar-se com o negócio – Comece sempre com esta pergunta: Você, como cliente, compraria o produto/serviço desta marca? Outro ponto, pense também que, não adianta você procurar um negócio no qual você detestaria trabalhar ou que não tenha afinidade. Quando o franqueado tem afinidade com o “business”, ele tem mais motivação no seu dia a dia, gera menos stress no trabalho, e oferece um melhor atendimento a seu cliente.

2) Obter referência de franqueados existentes – Antes de tomar qualquer decisão de investimento em uma franqueadora, obtenha dados de outras unidades franqueadas, sobre aceitação do produto no mercado, e a forma de trabalho da franqueadora. Visite uma franquia existente.

3) Fazer a Avaliação Financeira do Negócio – Antes de tomar sua decisão de investimento, não esqueça de analisar a planilha com a viabilidade econômico-financeira da franquia que o franquedor lhe apresentará. Atenção especial na despesa de aluguel e condominio, pois estas terão um peso maior no total de suas despesas e ainda por cima são despesas fixas. Veja qual é a venda mínima necessária para atingir seu ponto de equilíbrio. Faça um estudo com no mínimo 3 cenários para suas vendas: ruim, médio e bom, e analise se em todos eles você consegue cobrir suas despesas.

4) Dispor do capital necessário para o empreendimento – Quando for investir na abertura de uma franquia, faça um correto dimensionamento do capital necessário para a operação. Veja se o valor da franquia desejada é compatível com suas disponibilidades. Você precisará de uma quantia para as “luvas do ponto comercial”, instalações, taxa de franquia, capital de giro, e ainda dispor de uma reserva financeira para cobrir seus gastos pessoais no início do negócio. Existem financiamentos para abertura de novas franquias, porém se o valor do empréstimo em relação ao montante de recursos total necessário for alto, poderá inviabilzar o negócio. Faça bem as contas pois você terá que pagar mês a mês o valor das parcelas do principal + juros, que deverão caber dentro do orçamento da franquia.

5) Avaliar bem o “ponto” – Avalie a localização de onde será a loja: Veja quem são as lojas que estão próximas, se há fluxo de pessoas constante durante o dia, se o seu produto é compatível com os consumidores do shopping ou da localidade. Caso o ponto oferecido seja em um shopping novo ou recém inaugurado, mesmo que você tenha tomado os cuidados acima, o risco será maior pois até a sua consolidação você poderá enfrentar um ambiente de vendas fracas e amargar prejuízos.

6) Capacitar-se gerencialmente – Se você quiser abrir seu próprio negócio, lembre-se: Você será o gestor financeiro, administrativo, marketing e de recursos humanos. Faça um curso de gestão, desenvolva competências nestas áreas. Você com certeza terá que enfrentar problemas de administração de capital de giro, motivação de equipe, gerenciamento de conflitos, gestão de vendas.

7) Obedecer ao velho ditado: “O olho do dono engorda o porco”, não pense que por ser uma franquia de uma marca já conhecida o seu negócio andará sozinho. Muito pelo contrário, um investidor em franquia para ser bem sucedido precisa estar focado, se dedicar à gestão, viver o dia a dia de seus clientes, e motivar sua equipe.

Dica de sites para auxiliá-lo a organizar seu home office

Mais de 4 milhões de pessoas trabalham em casa, segundo o principal órgão governamental de estatísticas. Para auxiliá-lo em seu home office sugerimos alguns sites interessantes. Confira:

Harvest – organiza equipes de trabalho, clientes e faturamento

Cashboard – ajuda a controlar o tempo, estimativas e palicação de faturamento

TimePanther – auxilia a gerenciar o tempo, definir tarefas, dividir projetos e calcular recitas disponíveis

Evernote – organiza suas ideias off-line e permite ter acesso a tudo online, tudo isso em um grande banco de dados

Smartr –  organiza contatos mesmo sendo de redes diferentes, como redes sociais, emails e telefones

Free time – analisa sua agenda e mostra as possibilidades de tempo livre

Remember the milk – calendário de lista de tarefas online.

Aplicativo do Hospital das clínicas auxilia usuários a montar prato saudável

O  Hospital das Clínicas, de São Paulo, em parceria com o InCor (Instituto do Coração), lançou esta semana o programa Meu Prato Saudável, disponivel no site e em aplicativo para celular.

Para assegurar que todos os nutrientes essenciais ao organismo estejam presentes no seu dia a dia, o Meu Prato Saudável apresenta, de forma visual e facilitada, as porções de alimentos que compõem a pirâmide alimentar, instrumento gráfico adotado pelo Brasil para mostrar os diferentes grupos de alimentos.

Nos próximos anos, o programa será implantado no Rio e em Minas Gerais. Já nas escolas, a proposta entrará por meio do Meu Pratinho Saudável, dirigido às crianças de até 12 anos.

Uma bela iniciativa, não?

10 sites para auxiliar a encontrar trabalho free-lancer

Buscar alternativas para complementar a renda é uma necessidade cada vez maior frente ao custo de vida atualmente praticado nas cidades, principalmente nas metrópoles. Mas por onde começar a buscar oportunidades que permitam um melhor controle sobre sua vida profissional? Eis 10 sites que ajudarão a começar a empreitada. Confira abaixo:

ComunicaGeral – oferece oportunidade para freelancer, programador, web designer, profissionais de comunicação, marketing, design gráfico, internet e tecnologia.

Escola Freelancer – site conta com diversas matérias para ajudar o freelancer, como por exemplo “Como criar um portfólio online em 7 passos”, “As maiores dificuldades na gestão de tempo e como superá-las”, entre outras.

Freela.com.br – reúne diversas oportunidades de áreas variadas.

Busca Freelas – uma rede social voltada para freelancers.

Prolancer – oportunidades nas áreas de design e criação, fotografia e audiovisual, publicidade e marketing, redação e conteúdo e web e desenvolvimento.

Freelancenow – um espaço para freelas e empresas se encontrarem.

Trampos.co – o site tem uma área especial para anúncio de trabalhos freelancers.

GetNinjas – um espaço para encontrar e anunciar os mais variados tipos de trabalho.

Freelance Web designer – site voltado para profissionais da área.

Shoe Boxed – este é para quem já está trabalhando como freelancer. Ajuda a organizar os papeis, como recibos, pagamentos e documentos.

Programa oferece aulas digitais e interativas para professores e alunos

Pesquisa recente informa que 19 instituições educacionais do Rio de Janeiro, ligadas à plataforma de aulas digitais Educopédia, apresentam notas bimestrais com melhorias de 20% a 30% em comparação às escolas da rede municipal.

Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, o projeto conta com material de suporte aos professores, planos de aula e jogos pedagógicos, atingindo cerca de 75% das escolas da rede. Outro levantamento avalia que grande parte dos alunos credita a melhora nas notas por conta do projeto.

A Educopédia, criada pela Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, é uma plataforma de aulas digitais online. A plataforma, cujo conteúdo foi produzido por cerca de 300 professores da própria rede quer tornar o ensino mais atraente e mobilizador para crianças e adolescentes, além de instrumentalizar o professor. São aulas de todas as disciplinas, do 2º ao 9º anos do Ensino Fundamental.

A Educopédia pode ser acessada de qualquer computador com conexão à internet pelo endereço eletrônico www.educopedia.com.br. As atividades incluem planos de aula de todas as disciplinas, de acordo com as orientações curriculares da Secretaria Municipal da Educação. O programa oferece uma opção rápida e fácil para professores que desejam integrar tecnologias à suas aulas. As disciplinas estarão divididas em 32 aulas digitais, que correspondem às semanas do ano letivo.

(Publicado originalmente no site Catraca Livre)

Dez conselhos para se tornar um bom profissional

A revista Forbes listou dez conselhos para se tornar um melhor profissional. Dentre as condições estão ser mais organizado e concentrado, chegar cedo e ter mais humildade. Confira:

Organização – E-mail, mensagens de texto, redes sociais e outras diversas formas de comunicação podem se tornar um desafio para a carga de trabalho. Priorize os itens urgentes, elimine o lixo e coloque as questões menos urgentes em segundo plano. Além disso, verifique a sua caixa de e-mail a cada meia hora.

Multi-tarefa – Deixe de ser multi-tarefa. Pessoas que realizam diversos trabalhos ao mesmo tempo não prestam tanta atenção quanto aqueles que mantêm um fluxo de trabalho mais ágil.

Coloque-se no lugar do chefe – Descubra o estilo do seu chefe, de modo que você possa imaginar o que ele está procurando em um empregado. Fazer uma série de perguntas a ele que o ajudem a conhecê-lo irá ajudar a ficar um passo à frente aos demais.

Contatos – Estabeleça fortes relações com os colegas de sua área e com pessoas que possam ajudá-lo. O pessoal da tecnologia da informação, os seguranças e o pessoal da limpeza provavelmente absorvem muito mais sobre a sua empresa do que você imagina. Com isso, pode-se construir a sua própria coalizão.

Concentração – O quinto conselho é sobre concentração. Se concentre e ouça o seu chefe, mas também preste atenção aos seus colegas e subordinados. Às vezes falamos demais, mas ouvir o que os outros dizem pode ser ainda mais útil.

Chegue Cedo – Quinze minutos podem fazer a diferença. Se você pode chegar mais cedo, estará um passo à frente das tarefas do dia. Você poderá recompensar mais tarde com um intervalo maior no almoço ou uma saída mais cedo.

Relaxe – Ficar longe do escritório pode fazer com que você pense melhor no próximo projeto. Tirar férias pode lhe dar uma sensação de controle, propósito e oferecer uma maneira para expandir horizontes culturais.

Clareza – Tenha clareza e a precisão no trabalho. Segundo a publicação, um e-mail não vai transmitir a mesma sutileza de uma ligação ou uma visita, principalmente se for relacionado a uma demissão.

Preparação – Investigue e se prepare antes de realizar qualquer tarefa. Não tome o tempo do seu chefe à toa. Antes de uma reunião, por exemplo, ensaie suas estratégias e objetivos.

Humildade – Tente ser humilde. Os conselhos parecem encorajá-lo para uma auto-promoção, mas o melhor é descrever suas realizações de forma simples e sem enfeite.