Catarse aplica o crowdfunding com sucesso

Em post anterior, abordei o financiamento coletivo proporcionado pela técnica crowdfunding. Hoje apresento-lhes o site nacional Catarse, que ajudou diversos artistas e empreendedores a viabilizar novos projetos, como a revista Tupigrafia, que existe desde 2000 e que vem se viabilizando através desta nova modalidade de colaboração.

Anúncios

Pequenos empreendedores descobrem o crowdfunding

De forma bem simples, crowdfunding é o termo utilizado para designar as iniciativas de financiamento colaborativas. Traduzindo para o português seria algo como “financiamento pela multidão”. A ideia é que várias pessoas contribuam, com pequenas quantias, de maneira colaborativa, a viabilizar uma ideia, um negócio, um projeto. Analisemos um bom exemplo de crowdfunding.

No começo de 2009, Emyle James começou a filmar as manifestações realizadas por ativistas ambientais ao redor do Reino Unido, documentando um ano de ações, começando em uma reunião do G-20 em Londres.

Com mais de 300 horas gravadas, Emily precisava financiar a pós-produção de seu filme de 75 minutos, ou seja, precisava de £20,000. Para levantar esse dinheiro, resolveu criar um site e apostar no crowdfunding!

O objetivo era arrecadar em 20 dias, 20 mil libras, e para isso criaram diferentes faixas de incentivos. Por exemplo, quem incentivasse com £10 receberia uma link para download do filme antes de ser lançado, quem contribuísse com £75 ganharia uma cópia do DVD e 2 ingressos para ver o filme no cinema, entre outros.

O crowdfunding é a evolução do mecenato e pode viabilizar projetos aparentemente onerosos para um empreendedor com uma boa idéia na cabeça e pouco dinheiro no bolso.

Pesquisa da Secom auxilia planejadores de comunicação

A Secretaria de Comunicação da Presidência da Repúblico disponibiliza aos planejadores uma importante ferramenta para o seu dia-a-dia. Trata-se da pesquisa “Hábitos de Informação e Formação de Opinião da População Brasileira”. No documento, produzido pelo instituto Meta, é retratada a realidade de consumo de informação por parte de moradores de todas as regiões brasileiras. Baixe o documento aqui.

Um sonho de carro

O imaginário masculino é povoado de sonhos: boa música, boa comida, lugares paradisíacos e belas mulheres. Para atingir este targete, a Kia produziu um comercial criativo para anunciar um de seus veículos. Em uma superprodução, a modernidade do carro é exposta utilizando os objetos de desejo masculino. Que tal?

Só a propaganda coloca Messi na seleção brasileira!

A empresa de telefonia celular UniverCell resolveu inovar em suas campanhas publicitárias na Índia e já cria um buzz na web. Com o slogan “mantenha seu número, mude sua operadora”, a companhia resolveu mudar a nacionalidade de três jogadores e ‘deu’ um belo presente ao técnico Mano Menezes. Na campanha, Lionel Messi aparece vestido com o tradicional número 10 às costas, mas trocou as cores da Argentina pelas da seleção brasileira.
Se ‘ganhou’ um excelente reforço, o Brasil também ‘perdeu’ uma opção para o ataque, já que, na campanha, Luis Fabiano veste o número 9 nas cores da Espanha. O curioso é que o centroavante, atualmente no São Paulo, nunca teve uma oportunidade com Mano Menezes como técnico da seleção.
Já a Argentina perde Messi, mas ganha em troca outro excelente nome: Cristiano Ronaldo ‘deixa’ Portugal e leva a sua camisa 7 para as cores azul e branca.

Torcedores criativos criam seta indicativa para o gol

Torcedores de um time de futebol alemão em crise resolveram usar a criatividade para ajudar a por fim no momento ruim da equipe. Depois de verem o Magdeburg, time da 4ª divisão, ficar semanas sem marcar um único gol, seus torcedores resolveram levar setas ao estádio para indicar onde o time deveria marcar. Deu certo, em parte. A equipe marcou, mas perdeu a partida por 2 a 1. Mais semiótico, impossível, não?