The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore

Prezados leitores, apresento o genial “The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore”, vencedor do Oscar de Melhor Curta-Metragem de Animação. Espero que gostem!

Anúncios

Substituição na Via Embratel

O mercado de TV por assinatura foi marcado em 2011 pelo surgimento da OI TV, a partir da nova regulamentação que permite a oferta daquele produto pelas empresas telefônicas.

Já o ano de 2012 começa com a informação de que a Via Embratel, cuja marca até hoje não foi muito assimilada pelo target, será substituída pelo lançamento da Claro TV.

Provavelmente, a estratégia de lançamento da nova empresa (ou nova marca, apenas) ocorrerá com novas ofertas. Vamos aguardar!

O que seriam das férias sem as aulas?

O texto abaixo é de autoria do meu amigo colorado Gianlucca Favarini, que ganhou um concurso de redação do jornal Zero Hora, de Porto Alegre. O texto é muito oportuno para refletir neste período de volta às aulas.

“Durante o ano letivo só existem dois dias maravilhosos: o primeiro e o último. O primeiro pelo reencontro com os amigos (e para dar uma olhada nas novas coleguinhas). E o último porque no dia seguinte começam as férias (se você não ficar de recuperação, lógico). E pensando sobre as vantagens – algumas nem tão vantajosas assim –  fiz uma lista com as diferenças entre estar sentado à beira do mar e sentado em uma sala de aula procurando o valor de X:
Na escola, você aprende a fórmula de Bhaskara. Na praia, você aprende a fórmula para ficar bronzeada (gurias) ou para não ficar queimado (guris). Na escola, você faz provas de marcar. Na praia, quem marca é o biquíni nas gurias (e as bermudas nos guris, mas isso não fica bonito, atraente e sensual). Na escola, você aprende anatomia. Na praia, você observa a anatomia desfilando de fio-dental. Na escola, você aprende que não existe vida por geração espontânea. Na praia, você aprende que se não lavar a louça, a vida vai surgir na sua pia sem explicação. Na escola, você consulta a tabela periódica. Na praia, você consulta a tabela de preços dos picolés. Na escola, você aprende orações subordinadas e coordenadas. Na praia, você aprende a oração para pedir a São Pedro que não chova.
Agora me pergunto o que seriam das férias sem as aulas. É como imaginar o Inter sem o Grêmio ou uma rodinha sem o chimarrão. Não dá. Eles se completam. Mas a gente só dá valor quando perde, não é mesmo? Ou vai dizer que você nunca se pegou dizendo “que saudade das aulas” em meio às férias? O contrário nem preciso comentar, é rotineiro. Por mais que eu afirme que a praia é melhor (momento final para puxar o saco), reconheço a importância da escola, principalmente na formação de cidadãos. Ou seja, resumindo tudo: na escola a gente aprende a sentir saudade da praia. Na praia, a gente aprende a sentir saudade da escola.”

A visão da Coca-Cola sobre os processos de comunicação nos próximos anos

Este é um intressante vídeo legendado para uso educativo. Jonathan Mildenhall, Vice-Presidente de Estratégia Global de Publicidade e Excelência Criativa da Coca-Cola, apresenta em Cannes 2011 o Projeto “Conteúdo 2020”. De forma prática e criativa, o executivo apresenta as modificações da função comunicação no marketing da era da cultura de convergência.

Um músico que se reinventa a cada década!

Ontem abordei neste blog a obra de Jean Michel Jarre e ele cada vez nos surpreende mais! Afinal, como pode um músico inovador dos anos 70 inaugurar a era dos megashows nos anos 80, ajustar-se ao som techno nos anos 90, criar novas experiências sonoras nos 2000 e começar esta década flertando com a música eletrônica, da qual ele é um dos pais, ao lado de grupos como Kraftwerk e outros. Ufa! Chega de papo, caros facers: curtam o vídeo acima, intitulado Teo & Tea e vejam se não tenho razão.

Music for supermarkets: o mais famoso manifesto de um músico

Em 1983, o músico francês Jean Michel Jarre produziu um álbum único, intitulado Music for Supermarkets. O que é peculiar nesta obra é que apenas uma pessoa no mundo possui uma cópia do disco em vinil. Isto porque Jarre leiloou a única cópia por 69.000 francos e destruiu a matriz. O disco foi criado para uma exposição de arte intitulada “Orrimbe Show”. Jarre ainda realizou uma audição de Music for Supermarkets no Hotel Drouot, em Paris.

O músico decidiu destruir a matriz do álbum, em um protesto contra a indústria fonográfica.  Em 6 de julho de 1983, Jean-Michel Jarre provoca um rebuliço ao colocar em leilão a única cópia de seu novo álbum Music for Supermarkets, no Hotel Drouot Auction House em Paris e ter as chapas destruídas em presença de um oficial de justiça.

O LP foi por muito pouco tempo um dos mais procurados itens por colecionadores da história. Entretanto, para dar possibilidade a um grande público de ouvi-lo, o disco inteiro foi transmitido pela rádio RTL (segundo fontes, Jarre teria ido à Rádio Luxemburgo AM, com a fita matriz do álbum), com Jarre lançando/tocando/transmitindo as músicas do disco dizendo: “Pirateie-me” (ou “Copie-me”) – segundo outras fontes, ele pediu aos fãs que pirateassem o disco.

No vídeo acima, você sente um pouco da atmosfera da obra inédita, com áudio de baixa qualidade captado em transmissão radiofônica.

Rain and tears, por Demis Roussos

Esta música tem “apenas” 40 anos e foi composta quando o cantor grego Demis Roussos ainda integrava o Aphrodite’s Child, grupo do qual também fazia parte o maestro e arranjador Vangelis. Para comemorar seus 40 anos de carreira, Roussos gravou este clipe com sua música mais conhecida. Quem viveu aquela época vai curtir. Quem não viveu, vai se surpreender e emocionar, pois a música evoca muitos sentimentos, apesar do título melancólico.

Bicicleta vira carrinho de bebê e vice-versa. Isto é design!

No vídeo acima, você confere o lançamento da empresa holandesa Taga que combina a diversão de uma bicicleta com a funcionalidade de um carrinho de bebê. A proposta da empresa é unir pais e filhos em uma experiência agradável. A conversão de bicicleta para carrrinho e vice-versa dura poucos segundos, de forma muito prática. Isto sim é design bonito e funcional.

Rolling in the deep, por Simone Mariano

Simone Mariano é uma artista brasiliense com quem tive o prazer de conviver como professor no último semestre, no curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Católica de Brasília. Como sou fã de Adele e de Simone Mariano, sugiro que assistam esta combinação em uma primorosa interpretação de Rollind in the Deep.