Você sofre de transpiração precoce?

Dentro de seu posicionamento clássico, o Desodorante Axe agora faz uma campanha contra a “transpiração precoce”, em um trocadilho que lembra o principal fantasma da virilidade masculina. Com bom humor, o novo comercial do produto dá prosseguimento ao posicionamento associado à conquista sexual.

A mercantilização do ensino

Quando me tornei professor universitário, em 2001, o mercado de ensino estava em efervescência. A recente aprovação do Ministério da Educação de abrir centenas de estabelecimentos de ensino superior em todo país, associada a uma demanda reprimida pelo canudo, fez com que novas e antigas instituições prosperassem em seu volume de alunos.

A realidade agora é outra. A demanda reprimida diminuiu e predomina o fluxo normal de egressos do Ensino Médio. Inúmeros estabelecimentos de ensino fecharam as portas e agora polarizaram-se duas alternativas. De um lado, as chamadas instituições de grife, com grande seleção dos alunos entrantes e alto custo das mensalidades. Do outro, estabelecimentos com pouca exigência no ingresso e baixo custo em suas prestações.

Particulamente em relação a esta segunda alternativa do mercado, estamos testemunhando ações que revelam um verdadeiro mercantilismo na oferta universitária. Nesta semana, recebi um folheto de uma grande rede de ensino oferecendo dinheiro a quem indicar alunos para seu quadro discente. Chegamos ao vale-tudo universitário, o que me preocupa muito, pois se ao abordar um novo aluno as concessões chegam a tal nível, como serão então as exigências diárias de quem frequentará a cadeira na universidade?

O caminho talvez seja fazer como a Universidade Católica de Brasília, que conseguiu reduzir parte de seus custos sem abrir mão da qualidade de ensino. É verdade que a qualidade do aluno entrante nem sempre é a melhor, mas esforços pedagógicos estão sendo feitos para mudar este quadro.

O movimento nos inspira

Inspirado no jogo Kinect, a Ford Argentina lançou um novo comercial do veículo Focus, mostrando a interação de músicos portenhos com a noite de Buenos Aires. A ação criativa marco o lançamento da série Kinect Design, da montadora americana. A produção foi da Primo. Gostou? Tem mais um no mesmo estilo abaixo.

Está na hora de Muricy Ramalho virar palestrante

Ele foi tricampeâo brasileiro liderando a equipe do São Paulo (2006, 2007 e 2008), campeão nacional pelo Fluminense em 2010, além de conquistar seis torneios estaduais em São Paulo e no Rio Grande do Sul e uma copa Comebol. Isto sem falar no polêmico vice-campeonato de 2005 pelo Internacional de Porto Alegre. Com um currículo vitorioso assim, Muricy Ramalho já pode se aventurar no rentável mercado de palestras, ambiente já frequentado pelo outrora vitorioso Wanderley Luxemburgo. O atual técnico campeão da Copa Libertadores pelo Santos já é um exemplo de liderança vitoriosa, daquelas que toda empresa procura para alcançar seus resultados. Você não concorda?

Perspectiva de instalação de outlet premium movimenta a cidade de Alexânia

outlet premium

Em março, a General Shopping anunciou a inauguração do  Outlet Premium Brasília, shopping de descontos que reúnirá diversas grifes, na cidade de Alexânia, em Goiás. A região faz parte do importante eixo Goiânia – Anápolis – Brasília e fica a menos de uma hora da capital federal.

O shopping de desconto terá o mesmo conceito do Outlet Premium São Paulo, localizado na cidade de Itupeva. Com mais de 121.000 metros quadrados, o Outlet Brasília terá capacidade para abrigar mais de 80 lojas e 2.000 vagas de estacionamento.

Os outlets são centros comerciais de marcas de grife destinados a dar escoamento a coleções passadas, ofertando produtos com até 50% de desconto real.

O empreendimento será inaugurado em 2012, mas a notícia já movimenta o mercado imobiliário de Alexânia, que ainda tem bons preços para quem apostar na valorização dos imóveis até lá.

A mercantilização do sonho da casa própria

A comercialização de imóveis no Distrito Federal já chegou ao patamar praticado na cidade de São Paulo, ou seja, com total mercantilização do sonho da casa própria. As incorporadoras e corretoras do mercado imobiliário, de olho nos recursos do programa Minha Casa, Minha Vida, lançam mão dos mais diversos recursos promocionais utilizados no varejo moderno: folders, banners, cores vivas em materiais que retratam o sonho da casa própria e muita promessa de felicidade! A isso some-se a escala industrial da produção dos imóveis, a maioria no entorno do DF, área reconhecidamente sem segurança e de lenta valorização no mercado.

Além dos produtos voltados para o programa do governo, as construtoras miram o hiperconcorrido bairro de Águas Claras, bairro de classe média cujo maior apelo é a oferta do transporte via metrô. Diversos players do mercado já possuem espaços especiais para demonstração de seus produtos e fazem intensas ações promocionais aos finais de semana, como churrasco, brunchs e outros eventos. Como não poderia deixar de ser, o atrativo mercado já despertou a atenção e a instalação na cidade de grandes empresas do mercado.

Chegamos à era da mercantilização do sonho da casa própria, o compromisso financeiro mais importante para uma família. Todo cuidado é pouco para quem compra. As ofertas são muitas, mas construtoras comprometidas com a qualidade e a entrega do imóvel são poucas. Cuidado!

Intervenção urbana utiliza “carro cego” para conscientizar motoristas

 

Que dirigir bêbado no trânsito é perigoso, todo mundo sabe. O que ninguém imaginava é que a Hard Rock Café iria provocar uma ação tão incisiva para conscientizar os motoristas a evitar dirigir alcoolizados. Em Nova Delhi, Índia, a empresa patrocinou uma intervenção urbana que consistiu na circulação de um veículo “cego” pelas ruas da cidade. O veículo foi inteiramente revestido de plástico preto, com uma mensagem: “Dirigir embriagado é perigoso!”. No vídeo abaixo, você pode ter uma noção melhor da ação criada pela McCann Erickson na terra de Mahatma Ghandi.

Um sanduíche para cada boca

A rede McDonald’s elaborou uma interessante ação para a web. Trata-se da Burger Roulette, uma brincadeira com os videochats. Trata-se de um aplicativo para o Facebook, onde o usuário liga sua webcam e o software analisa as dimensões de sua boca. Em seguida, sugere o sanduíche ideal para ser saboreado pelo usuário. Divertido, não? A dica foi do Junão.

Nós no Bambu e o espetáculo “Ultrapassa”

O vídeo acima apresenta a  Cia. Nós No Bambu em seu espetáculo “Ultrapassa” , que aborda com humor as situações vividas por atletas de aventura. Sobre um grande cenário de bambu, nove intérpretes levam ao palco as adversidades do ambiente competitivo. De forma lúdica e dinâmica, o espetáculo trata o valor da vitória e o desgosto da derrota como faces de uma mesma moeda na arena da vida. Porque rir de si mesmo é parte indissociável da conquista! Saiba mais acessando o blog da companhia.

Como aprender a gostar de jazz

Você gosta de jazz? Se não, este post é para você. Aos 15 anos, passei a gostar de jazz, por acaso, apreciando uma denominada “Manuel, o audaz”, uma canção metade MPB, metade jazz, interpretada por Toninho Horta e Lô Borges (1979). Nesta canção, a parte instrumental é um solo maravilhoso do guitarrista americano Pat Metheny. A partir daí, passei a pesquisar mais sobre Horta e Metheny, exímios guitarristas, e surpreendi-me com a riqueza de suas obras. Mas como se faz para gostar de jazz? A maioria das composições de jazz moderno é composta por três momentos: apresentação do tema, improvisação e encerramento com o tema. Denomino tema a parte mais melódica e assimilável da canção, como se fosse o refrão de uma música cantada. Na improvisação, o músico mostra sua habilidade mecânica e criativa neste exercício. Está aqui a razão de que muitas canções deste ritmo tem grande duração. No encerramento, ele volta ao tema, acomodando nossos ouvidos após a ampla variedade de notas da etapa da improvisação. E qual é a graça do jazz? É apreciar o desempenho do músico, a criatividade na variedade das notas e os timbres dos  instrumentos. Deve-se evitar “ler” a música apenas como uma sequência sem sentido e sem vocal. É preciso “abrir a mente” para receber a canção. Esqueça, neste momento, as músicas cantadas às quais você se acostumou. Não compare a música de jazz com uma cantada. Analise-a de forma ímpar e você descobrirá um universo que até então  ignorava. Eu, particularmente, sempre gostei dos mais diversos ritmos, ma sou fã de jazz. E você?

Não dá pra controlar o Bob’s

Na quarta-feira passada, a rede Bob’s anunciou seu novo slogan  “Bob’s: não dá para controlar”. O novo posicionamento explora, com bom humor, a relação do público com a marca, destacando o sabor irresistível dos produtos da rede. Essa evolução no posicionamento é acompanhada também pelos planos de expansão do Bob’s e renovação de imagem da rede. Em 2010, a rede abriu 145 pontos de venda em todo o Brasil e, até o final de 2011, mais 200 estabelecimentos estão previstos, em um investimento de R$ 90 milhões. Desse total, cerca de R$ 17 milhões serão empregados pela rede na modernização de mais 120 unidades atuais, seguindo os novos padrões de layout. Também neste ano, a rede irá realizar forte investimento na área digital. O website da marca está sendo reformulado e buscará estreitar o relacionamento direto com o público, utilizando também as redes sociais e novas ferramentas, como o twitter.

O novo slogan, curiosamente, pode representar a passividade do Bob’s frente o crescimento do Giraffa’s, que chega aos 300 restaurantes em 2011. A rede brasiliense, depois que passou por uma consultoria de franchising, experimento um grande processo de expansão e disputa com a rede carioca a segunda colocação no mercado de fast food de sanduiches, embora eu particularmente não considere ambos como “fast food”, pois há relativa demora no atendimento do cliente.

De qualquer forma, as perspectivas são animadoras para a rede e o Bob’s corre atrás do tempo perdido. Boa iniciativa para um início de década.

Uso criativo do time-lapse em novo comercial da Volskwagen

Um dos recursos mais interessantes utilizados atualmente na publicidade é o time- lapse, que consiste na gravação por horas de uma imagem a partir de um único ângulo, para demonstrar um processo de mudança. Visando demonstrar reforçar o posicionamento de seus caminhões, segundo o qual estes são feitos sob medida para o consumidor, a VW utilizou o time-lapse de uma forma trabalhosa mas muito criativa. Veja o vídeo acima e divirta-se!

Gastar ou investir em merchandising?

Merchandising

Em meus contatos com empreendedores, tenho oferecido meus serviços de consultoria de ativação de varejo, especialmente ações de merchandising no ponto-de-venda. Tenho encontrado nestes uma receptividade à idéia, porém uma indisposição ao investimento em ações que priorizem a oferta de informações sobre produtos na loja.

Em post anterior, ressaltei a importância em se adicionar informações textuais e visuais na loja para facilitar o processo de decisão de compra do consumidor. Preocupa-me, particularmente, pequenos lojistas que vivem do seu trabalho mas permanentemente adiam seus investimentos, como se estes fossem simples gastos.  Acredito que tal postura é compatível apenas com o desejo de estagnar o negócio e vê-lo naufragar nas águas da cegueira e da frustração.

O empreendedor que adia investimentos em promoção acreditando apenas no seu trabalho do dia a dia desperdiça a chance de crescer com rentabilidade. O consumidor necessita ser paparicado e bem informado no processo de vendas. Ignorar isto é decretar uma data final para seu negócio.  Evitar investir quinentos reais, por exemplo, em cartazes que podem potencializar a venda de determinados itens de seu estoque é uma atitude medrosa e incompatível com o espírito empreendedor. Afinal, nem todo mundo tem uma boa equipe de atendimento para suprir carências promocionais.

Investir no ponto de venda é o mínimo que um lojista pode fazer.

Magazine Luiza adquire lojas do Baú da Felicidade

Nesta segunda-feira, o Magazine Luiza anunciou para compra das lojas  do Baú da Felicidade, do Grupo Sílvio Santos. A negociação envolve a soma de R$ 83 milhões e inclui 121 lojas em São Paulo, Minas Gerais e Paraná, além de 3 milhões de clientes que serão acrescentados à base de cartões da rede de varejo . A aquisição vem ao encontro dos objetivos estratégicos da companhia, reforçando sua presença nos mercados em que já atua… As lojas do Baú estão localizadas em pontos comerciais estratégicos, com foco na classe C, mesmo público-alvo das lojas do Magazine Luiza”, afirma a varejista em comunicado. Algumas lojas podem ser fechadas, vendidas, transferidas ou integradas a outras da rede para evitar sobreposição em determinadas praças.  Em 2010, as 121 lojas do Baú da Felicidade tiveram receita bruta de R$ 415 milhões, equivalente a R$ 9 mil por metro quadrado, enquanto as lojas físicas do Magazine Luiza faturaram R$ 14,2 mil por metro quadrado no período. Em novembro do ano passado, a descoberta de inconsistências no balanço do banco PanAmericano, também parte do Grupo Silvio Santos na época, levaram o empresário controlador a fazer um aporte de R$ 2,5 bilhões na instituição, desencadeando processo de venda de ativos do grupo.