Brasília ou Uniceub/BRB?

Ao decidirem patrocinar a equipe brasiliense de basquetebol, o Uniceub (Centro Universitário de Brasília) e o BRB (Banco de Brasília) sabiam que estavam fazendo um bom negócio. Afinal, herdar a equipe que já fora campeã brasileira de basquete trazia um grande potencial de exposição de ambas as marcas. Ao rebatizar a equipe (outrora “Universo”), porém, ambas as marcas passaram a conviver com uma dualidade. De um lado, as emissoras Globo e SporTV chamando a equipe simplesmente de “Brasília”. Do outro, o restante da mídia pronunciando o nome mercadológico do time, ou seja, “Uniceub-BRB”. Na semana passada, ao sagrar-se novamente campeã do NBB (Novo Basquete Brasil), o Uniceub BRB capitalizou o sucesso apenas pela metade, principalmente porque, no ginásio Nilson Nelson, o grito de guerra dos 18 mil torcedores presentes era “Brasília”, em forte identificação com a cidade que agora é pólo brasileiro de bola ao cesto. Eis um belo desafio para os profissionais de marketing de ambas instituições: unificar a percepção do público e da mídia sobre o nome da agremiação. Este é o lado complexo de quem adota o marketing esportiva como estratégia. O público não quer gritar marcas, mas sim nomes de clubes ou cidades. E agora?

Anúncios

Ação-surpresa da Heineken em decisão da liga européia provoca grande repercussão

Qual fã de futebol trocaria uma final da liga dos campões da Europa por um concerto de música clássica no mesmo horário do jogo? Esta foi a idéia da Heineken para gerar uma ação das mais inteligentes do marketing promocional atual. Utilizando “cúmplices” como namoradas, jornalistas e professores, a Heineken conseguiu um grande público para um conserto de música clássica cuja proposta era ser uma alternativa à decisão do futebol. Você iria ao concerto? Veja todo o case no vídeo acima e divirta-se! A dica foi do Marcelo Cherto e do Paulo Fodra.

Songs from a big chair: 25 anos de um clássico

No final de 1985, era lançado o segundo álbum de uma dupla de rock que faria muito sucesso: Songs from a big chair. Este era o título do então LP do Tears For Fears. Como sempre gosto de apontar aqui no blog, os 25 anos deste clássico merecem ser comemorados, pois, se não é a banda mais famosa, o Tears for Fears interpretou um dos maiores sucessos daquela década. O rótulo do som muitos chamam de sinthpop, new wave ou pop rock. No vídeo acima, você confere a presentação da banda em 2007, na Night of Proms, na Bélgica, com direito a acompanhamento de de orquestra. A tradução da letra segue abaixo:

Bem-vindo à sua vida / Não há volta / Mesmo enquanto dormimos /Nós encontraremos você / Comportando-se da melhor maneira /Dê as costas à mãe natureza / Todos querem governar o mundo / É o meu próprio projeto / É o meu próprio remorso / Ajude-me a decidir / Ajude-me a aproveitar / O máximo da liberdade e do prazer /  Nada dura pra sempre / Todos querem governar o mundo  / Há um lugar onde a luz não encontrará você / Dando as mãos enquanto as paredes desmoronam  / Quando isto acontecer, estarei bem atrás de você  / Tão contente por termos quase conseguido / Tão triste pois eles tiveram que enfraquecê-lo / Todos querem governar o mundo / ão posso suportar esta indecisão / Aliada a uma falta de visão / Todos querem governar o mundo / Diga que você nunca precisará disto /Uma manchete, porque acreditar nela? / Todos querem governar o mundo / Tudo pela liberdade e pelo prazer  /Nada dura para sempre / Todos querem governar o mundo

Impressão em pizza? Ma como?

Meu brother Junão estava vendo um site sobre fornecedores, outro dia, e se deparou com uma gráfica diferente em São Paulo. Trata-se da Art Center, que consegue imprimir em qualquer superfície (para deleite dos criativos).
Para divulgar a tecnologia, eles distribuíram mais de 400 pizzas “falsas” nas principais agências de propaganda de São Paulo. As “pizzas” foram feitas com massa de verdade e tiveram as superfícies impressas pela gráfica. Para reforçar a ação, criaram a Pizzaria “La Pizza”, com logotipo, design de embalagem, uniformes dos entregadores e adesivos na van de entrega. Além disso, cada embalagem de pizza trazia um código numérico que pode ser trocado por uma pizza, de verdade, na Pizzaria Brás, a mais antiga e tradicional de Sampa.

Que tal?

Cinemarketing traz inovações em sua sétima edição

Na quarta-feira, 25, ocorreu a sétima edição do Cinemarketing na UCB, uma exposição de empreendedorismo baseada no planejamento de marketing elaborada pelos alunos com base em uma empresa figurante em película de cinema. O evento, criado em 2004 pelo professor Elias Rodrigues de Sousa, trouxe, nestas edição, diversas inovações.

Pela primeira vez, o evento seguiu um tema, Alimentação. Todas as empresas retratadas pelos estudantes eram deste segmento de negócios. Com isso, o Bloco K do Campus I virou uma verdadeira praça de alimentação. Entre os filmes abordados, estavam Casamento Grego, Os Cafajestes, O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, Sem Reservas e Good Burger, entre outros.

Outra novidade foi a quantidade de participantes. Desta vez, a turma de Marketing I da manhã (13 alunos), juntou-se à do período noturno (27 alunos) na realização do evento. A turma de Marketing de Varejo, do curso de Tecnologia em Gestão Comercial (15 alunos) somou-se aos demais, proporcionado ao público 14 estandes para visitação. Com isso, Administração e Publicidade e Propaganda juntaram-se em um evento intercursos totalmente integrado.

A exposição, agora, ocorreu não mais de forma demonstrativa, onde as empresas apenas eram ambientadas pelos alunos. Desta vez, os estudantes foram estimulados a produzir os produtos e comercializá-los nos estandes, o que gerou sucessos como o grupo que representou o filme Good Burger. Tendo programado seu estoque para as quatro horas de realização do evento, o grupo já estava encerrando suas atividades com uma hora de exposição, com todos os produtos vendidos.

A outra novidade foi o caráter transdiciplinar do evento. Pela primeira vez, o Cinemarketing foi realizado junto com outro evento, a Fenut – Feira de Empreendedorismo em Nutrição. que, também abordando empresas alimentícias, ampliou a dimensão da oferta ao público. Os 32 alunos da disciplina Empreendedorismo e Consultoria Nutricional apresentaram 7 estandes com produtos inovadores.

No mais, a proatividade e criatividade dos alunos fizeram toda diferença. O resultado foi um grande público visitando e consumindo os produtos comercializados, expositores felizes com o resultado de seu trabalho, consumidores satisfeitos com o atendimento e os produtos oferecidos e um professor superfeliz. Valeu, turma!

Empreendedores da Fenut surpreendem com produtos diferenciados

Na noite de ontem, 25, a turma de alunos da disciplina Empreendedorismo e Consultoria Nutricional, cujos encontros se realizam no sábado pela manhã, promoveram a primeira edição da Fenut – Feira de Empreendedorismo em Nutrição. O evento compõe a atividade prática do Plano de Negócios que os estudantes apresentarão em seminário a se realizar na semana que vem.

O envolvimento dos alunos foi decisivo para o sucesso do evento, a começar pelo nome, escolhido em sala de aula. Após semanas plajenando e, literalmente, colocando a “mão na massa”, os 32 alunos apresentaram seus alimentos funcionais trazendo muita inovação.

Brigadeiro de mandioca, suco de abóbora com maracujá e minidrinks deliciosos sem álcool, entre outros, fizeram a alegria dos apreciadores da alimentação saudável. Além de consumir os produtos, os visitantes puderam receber informações nutricionais muito úteis.

O evento recebeu muitos elogios e, se Deus quiser, estaremos realizando mais uma edição no próximo semestre. Parabéns, queridos alunos!

Cinemarketing e Fenut: a certeza de estar no caminho certo

Ontem realizamos a sétima edição do Cinemarketing e a primeira versão da Fenut – Feira de Empreendedorismo em Nutrição.  A cada semestre, procuro realizar um evento para quebrar um pouco a rotina dos encontros em sala de aula. A noite de ontem me mostrou que estou no caminho certo. O Cinemarketing e a Fenut foram um sucesso, a julgar pelos comentários de alunos, visitantes e professores. Fiquei muito feliz com o envolvimento dos alunos, os verdadeiros responsáveis pela grandiosidade e qualidade dos eventos. Parabéns, queridos alunos! Nos próximos posts, relatarei como foi cada um deles.

Hoje tem Cinemarketing na UCB

Nesta quarta-feira, 25 de maio, de 19 às 22h30, no Bloco K da UCB (Campus I), os cursos de Comunicação Social e de Administração estarão promovendo a sétima edição do Cinemarketing, evento que consiste na apresentação de de planos de marketing de alunos de três turmas, totalizando 60 alunos.

Pela segunda vez, estaremos realizando esteve evento de forma intercursos (Publicidade e Propaganda/Tecnologia em Gestão Comercial) e, agora, em versão temática. Neste novo formato, o tema será Alimentação. Os alunos ambientarão empresas da área de alimentação figurantes em películas de cinema. A partir desta edição, o evento deixa de ser apenas demonstrativo e lúdico, passando a ser comercial. Os expositores revenderão seus produtos alimentícios, exercitando também, noções de empreendedorismo.

Entre os filmes representados, estarão Casamento Grego, Como se fosse a primeira Vez, A Garçonete, O Fabuloso Destino de Amélie Poulain e Sem Reservas, entre outros.

Você está convidado a visitar os estandes e saborar as iguarias que os filmes consagraram.

FENUT movimenta Campus I da UCB

Nesta quarta-feira, o curso de Nutrição estará realizando a primeira edição da Feira de Empreendedorismo em Nutrição – FENUT, em frente ao bloco K, de 19h às 22h30, no Campus I da UCB.

O evento compõe atividade da disciplina Empreendedorismo e Consultoria Organizacional e apresentará empreendimentos de alunos com produtos alimentícios e serviços de nutrição. Em 10 estandes, os alunos apresentarão suas concepções de produtos e serviços nutricionais, com uma variada gama de ofertas.

A julgar pela animação dos empreendedores, a Feira vai “bombar”! Apareça e alimente-se muuuuuito bem!

Empresa de entregas utiliza motoboys engravatados

As empresas prestadoras de serviço procuram inovar para agregar valor e fidelizar seus clientes. Exemplo disto é a Pacer Logística, que passou a adotar, nesta semana, o uso de roupa social por parte dos motoqueiros. A iniciativa visa criar empatia com o público da empresa de entregas, a maioria deles relacionados à advocacia. A idéia do diretor da empresa, é dissociar a imagem dos contínuos sobre rodas dos malcomportados motoboys. Na empresa, que no Rio de Janeiro e em São Paulo, os profissionais são chamados de motociclistas e passam regularmente por treinamento. Para estimulá-los a andarem devidamente trajados, a empresa os estimula com um salário 20% superior ao padrão do mercado.

Livraria de um livro só em Nova York

Insatisfeito com o processo de distribuição e promoção de seus livros, o escritor Andrew Kessler resolveu abrir uma livraria própria. A originalidade do empreendimento é que ele só vende uma única obra: o livro O Verão de Marte, um texto  onde relata sua experiência no projeto da Nasa que enviou uma sonda ao planeta vermelho. Além de original,  a idéia é recheada de bom humor. Isto porque Kessler coloca tabuletas divulgando “produtos em promoção”, “lançamento”, “pechincha”, expressões relacionadas a seu único livro. Uma reportagem publicada ontem no jornal Hoje, da TV Globo, apresenta o empreendimento de Kessler. Assista e divirta-se!

Sharp dá mais um salto de qualidade em sua tecnologia

Ao adquirir a tecnologia de televisão digital desenvolvida pela Westinghouse, nos EUA, a Sharp estava determinada a dedicar-se a uma tecnologia de qualidade que encantaria o mundo. Mais uma prova deste permanente investimento é a a TV de 85 polegadas, projeto desenvolvido em parceria com a NHK (emissora de TV), desenvolvida com a tecnologia batizada de Super Hi-Vision, com resolução bem maior do que as televisões mais potentes do mercado de hoje. Neste caso, esta foi feita com uma resolução de 7680 x 4320 pixels, com um total de 33MP, aproximadamente maior em torno de 16 vezes das HDTVs de hoje em dia. A tecnologia, porém, é limitada a telas maiores. Veja o vídeo acima e confira a qualidade 16 vezes superior às TVs digitais atuais.

Investimento permanente em treinamento e motivação é lucro. Investimento temporário é desperdício.

A cena é comum. O diretor da empresa convida os funcionários a participarem de uma palestra sobre motivação ou treinamento. O quadro funcional participa, acha maravilhoso e, por uma semana, trabalha motivado e melhor preparado para atender o cliente. Passado este período, tudo volta à rotina de antes. Os funcionários continuam carecendo de treinamento, mas o diretor da empresa não investe mais, até daqui a alguns anos, quando a rotatividade dos empregados e as novas técnicas o obrigam a fazê-lo novamente.

É necessário que as empresas entenduas duas realidades distintas. A primeira é que quando investem pouco ou quase nada em treinamento, perdem oportunidades e deixam de lucrar. A segunda é que quando passam a investir frequentemente experimentam ganhos cada vez maiores de produtividade. As empresas com melhor qualidade de vida e alto índice de treinamento são, invariavelmente, as mais lucrativas.

Como o varejo é dinâmico, as empresas não podem se dar ao luxo de oferecer treinamento apenas de vez em quando. Por lidarem com diversos produtos e serviços e grande rotatividade de funcionários, é necessário oferecer treinamento permanente aos funcionários. O caixa da empresa vai agradecer!

Não existe ponto comercial ruim, mas negócio certo no lugar errado

Ontem, ao passar por uma loja recém-inaugurada, deparei-me com uma faixa com a inscrição: “Queima total”. A loja revende colchões e está localizada em um dos acessos a um hipermercado de Taguatinga. Lembrei-me, então, de diversas lojas que abriram na cidade mas que não se sustentaram por muito tempo. Na verdade, menos de um ano. Algumas, menos de seis meses. Embora há que se considerar diversos fatores na gestão que podem determinar o insucesso, costuma-se atribuir ao ponto escolhido a principal razão. Em alguns casos, até concordo, mas há que se considerar a natureza do empreendimento a se estabelecer em um determinado ponto. No caso da loja de colchões, acredito que o ponto tenha sido mal escolhido por ser um local de circulação predominantemente automotiva. Naquele local, poucas pessoas circulam a pé. A exposição de colchões na loja fica prejudicada para quem passa apenas alguns segundos à frente do estabelecimento, por exemplo. Neste caso, o problema não é o ponto, mas sim, a natureza da loja. Na mesma rua, estabelecimentos de gastronomia e lazer deram certo, ao contrário de outros inúmeros segmentos comerciais que não obtiveram êxito.  Escolher o negócio adequado para um determinado ponto é um dos critérios fundamentais a serem considerados em um plano de negócios. Resumo da ópera: não existe ponto comercial ruim, mas sim negócio certo no lugar errado. Pense nisso!

Storytelling consolida-se como estratégia de marketing

Em tempos em que o relacionamento com o cliente faz a diferenç, estabelecer vínculos emocionais e uma necessidade para as empresas. Uma das formas de  envolver o cliente neste processo é utilizar o Storytelling.  Este conceito, aplicado inicialmente nos Estados Unidos e Inglaterra, ganha corpo no país como estratégia empresarial. Empresas como Coca-Cola, Nextel e Natura já vem adotando esta ferramenta.

Antes de iniciar uma estratégia baseada em Storytelling, as marcas precisam saber o que dizer e como fazê-lo. A falta de conhecimento sobre a ferramenta faz com que, no Brasil, poucas empresas explorem a fundo o seu potencial.  A principal mídia a veicular esta estratégia é a internet, pois este ambiente estabelece contato com os clientes e é favorável ao desenvolvimento de ações relacionadas à ferramenta, por incentivar as pessoas a se relacionarem com as empresas a partir da troca de experiências.

O caminho básico para a estratégia é estimular o cliente a relacionar-se com a empresa a partir de suas vivências com a marca, principalmente as experiências positivas. No caso de uma universidade, uma das formas seria estimular ex-alunos a relatarem sua experiência na instituição e seu sucesso profissional advindo de sua formação. O depoimento de alunos regulares também seria importante. Esta conexão da marca com seu público gera uma empatia maior e uma melhor receptividade às ações da empresa.