Felicidade relativa, por Mário Quintana

“A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.
E quanto ao amor? Ah, o amor… não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade.Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.
Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.
Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.”

A máquina da amizade

No dia da amizade, a agência Ogilvy, da Argentina, criou uma ação onde promove a amizade para ganhar duas coca-colas ao solicitar uma na máquina de refrigerante. A ação criativa gerou um comercial onde mostra a sintonia da marca Coca-Cola com um valor sempre atual: a amizade. Veja e divirta-se!

Sensibilidade nas lentes de Érika Muniz

Érika e um de seus registros: o que o coração sente, a lente registra

Sua primeira máquina foi uma Polaroid e desta convivência nasceu o gosto pelo registro de pessoas, paisagens, sentimentos, momentos cotidianos ou especiais. Érika Muniz é uma aluna que tive o prazer de conviver em sala de aula. No curso, dedicou-se à fotografia e chegou a estudar este tema em Nova York, em uma das maiores escolas de fotografia do mundo, a International Center of Photography. Hoje dedica-se a fotografar bebês, pois para ela, “fotografar bebês é, simplesmente, registrar a vida em seu sentido mais puro”. Até o dia 28/02, Érika estará expondo suas obras na biblioteca da Universidade Católica de Brasília. Acesse o site da fotógrafa e aprecie seu trabalho. Vale a pena!

Beijos não são contratos, por Shakespeare

“Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes, não são promessas. E comeca a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quao boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem da vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa – por isso, sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a ultima vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai, é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama com tudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!”

(William Shakespeare)

Nova loja da Cimfel em Taguatinga

Está previsto ainda para semestre a inauguração de mais um home-center da Cimfel, grande player do mercado de materiais de construção de Brasília. A localização para o empreendimento será o setor QSG, próximo à Universidade Católica de Brasília. A nova loja será maior que a localizada no setor de indústrias (SIA)  e gerará cerca de 350 empregos. A empresa, dirigida por João Batista de Brito Machado, egresso da UCB, pretende atender melhor a grande Taguatinga, deixando a loja do SIA para o centro de Brasília. A Cimfel iniciou suas atividades com o antigo modelo de atendimento \”balcão e vendedor\”, na cidade-satélite de Ceilândia, Distrito Federal, há 20 anos. Hoje, opera no ramo de home center – amplo ambiente interno, grande número de produtos expostos, conceito de auto-serviço e oferta intensiva de produtos e serviços.

Internacional lança campanha de sócios ancorado pela Libertadores

América Trivermelha é o nome da nova campanha concebida pela NovaCentro Publicidade, de Porto Alegre, para alavancar o quadro de associados do Internacional Sport Club, atual campeão da Copa Libertadores da América. Utilizando torcedores recrutados em promoções na Internet, a agência produziu um comercial resgatando a história de sucesso do clube na década passada. Que tal?

8 razões para não amar a operadora Oi

Quando a operadora de telefonia Oi adquiriu a Brasil Telecom, estava convicto de que estavam fazendo um mau negócio. Afinal, uma empresa que reforçou sua marca com boas iniciativas, como a portabilidade numérica, não merecia assumir logo um dos mais deficientes serviços de atendimento ao cliente do país.

Desde o dia 30 de janeiro, aguardo a transferência do número de minha residência antiga para o novo endereço. Depois de tanto esperar e de tanto ligar para o 10314, joguei a toalha e desisti de contar com o número antigo.

Aproveito para enumerar 10 razões pelas quais não recomendo a ninguém esta operadora:

1) Porque estou a 15 dias sem internet pelo simples fato de que solicitei portabilidade do novo endereço para o atual.

2) Porque os atendentes não registraram  o primeiro pedido de portabilidade, o que fiquei sabendo apenas uma semana depois.

3) Porque a operadora não cumpre o prazo estipulado para a portabilidade.

4) Porque a empresa instala um número provisório e tenta nos forçar a ficar com ele.

5) Porque mesmo registrando novamente um pedido de portabilidade a empresa protela os prazos e desrespeita a Anatel.

6) Porque esta novela nos faz ligar várias vezes e tratar o assunto com atendentes que necessitam rever sempre o histórico para nos dar qualquer informação.

7) Porque não há nenhuma alçada superior da operadora para resolver problemas não resolvidos pelos atendentes.

8) Porque a operadora limita-se a nos recomendar esperar para que “o sistema” processe o pedido no tempo hábil (“hábil” para eles, é claro!)

Esta é a minha colaboração para que os caros leitores pensem bem antes de procurar a portabilidade numérica. Em tempo: na data de hoje, ainda não consegui resolver o assunto.

Ronaldo se despede do futebol e abraça o marketing

Marca forte ele tem. Exemplo ele é. Mas jogador de futebol ele deixa de ser a partir de ontem. Ronaldo Nazário “Fenômeno” despediu-se ontem da carreira de futebolista. Agora irá se dedicar à sua empresa de marketing esportivo, onde empresaria atletas como Anderson Silva e Neymar. Certamente, irá alavancar belos contratos a partir de seu personagem notório, o jogador de futebol que venceu as adversidades e colecionou belos resultados em sua carreira. O jogador deixará saudades. O profissional de marketing, apenas inicia seu trabalho. Bem-vindo ao clube do marketing, Nazário! E obrigado pelas alegrias que nos destes no esporte.

De volta às aulas, de volta ao blog

Hoje retomo minhas atividades docentes na Universidade Católica de Brasília. Neste semestre, estarei ministrando Marketing I, Marketing Especializado, Marketing de Varejo, Políticas e Legislação em Comunicação e Empreendorismo. São 10 turmas (7 presenciais e 3 virtuais). Depois de quase 2 meses de férias, é hora de retomar a lousa com muita disposição e entusiasmo. Tempo também de retomar os posts no blog. Amanhã tem mais!