PDF-Mags.com oferece revistas para consulta gratuita na Web

A dica de hoje é o site PDF-Mags.com. Este ambiente oferece links para milhares de revistas que podem ser baixadas de graça por PDF. Uma das principais funcionalidades é que você pode buscar as revistas pelos assuntos de que mais gosta. O site oferece muitas referências sobre as últimas tendências de design, moda, arquitetura, fotografia e ilustração, entre outros temas. Para os diretores de arte, um prato cheio! Confira!

Penalty à la Calvente. Criatividade é isso aí!

No dia 24 de julho, o jogador Ezequiel Calvente, em partida da Eurocopa Sub-19, marcou um gol a partir de uma cobrança de pênalti com toque de criatividade. O gol ajudou a Espanha a vencer a Itália pelo placar de 3 a 0. O pênalti à la Calvente promete causar polêmica, a exemplo da paradinha. De qualquer forma, é um bom exemplo de como a criatividade nos ajuda a enfrentar os desafios.

A educação segundo Tião Rocha

Tião Rocha é seu nome, Sebastião é apelido. Antropólogo (por formação acadêmica), educador popular (por opção política), folclorista (por necessidade), mineiro (por sorte) e atleticano (por sina). É assim que se apresenta o Fundador do Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento – CPCD, organização não governamental sem fins lucrativos, criada em 1984, em Belo Horizonte/MG. Este mineiro de fala mansa e bem-humorado esteve na última sexta-feira no Congresso Nacional de Educação Católica, em Brasília, apresentando a Teoria da Roda, uma de suas várias tecnologias educacionais propostas a partir da vivência com a cultura popular. Utilizando os saberes da cultura local, Tião Rocha propõe uma inversão no processo educacional tradicional, em que as dificuldades estruturais são superadas a partir da própria sabedoria da população. Foi assim que ele alavancou financiamentos para levar a diversas regiões do país a cultura e a educação. Impressionou-me a simplicidade e o pensamento revolucionário do educador. Assista ao vídeo acima e veja a proposta de Sebastião Rocha e encante-se!

Ayrton Salvanini celebra 40 anos da comunicação pela palavra

Mambembe é um conceito simples e que não retrata adequadamente o perfil de Ayrton Salvanini. Ele é, na verdade, o que poderíamos chamar de legítimo empreendedor do teatro: ator, cantor, diretor e produtor. Aos 63 anos, Salvanini consagra-se como um dos mais completos profissionais de teatro do país, completando 8.000 apresentações de seus 12 monólogos. São 40 anos de carreira levando cultura aos mais diversos espaços: teatros, escolas, igrejas e outros. A fórmula do empreendedor é simples: pesquisar personalidades da literatura e da história a fundo e retratá-los em monólogos. Seus espetáculos, assim, tornam-se uma boa diversão, mas acima de tudo, são didáticos. O que  é admirável é sua técnica para decorar mais de 40 páginas por espetáculo e seu talento para representá-las com personalidade, paixão e fidelidade. Conheci Ayrton nos anos 80, quando tive contato com os monólogos “Hitler”, “Sermão de Pe. Antonio Vieira” e “Meu Tio, o Iauaretê” (de Guimarães Rosa). Desde então, virei fã deste ator que bem poderia estar sendo melhor aproveitado pela televisão. Mas Salvanini não pára com seus empreendimentos. O mais recente é o musical “Vinícius de Moraes”, o qual tive a oportunidade de assistir na quarta-feira passada, 21, na abertura do Congresso Nacional de Educação Católica, em Brasília. Para mim, fora uma surpresa, pois a programação não informava o espetáculo. Acompanhado do violonista Zeza do Amaral, Salvanini resgata parte da obra do poeta, “retrata o encontro do homem com a emoção”. O envolvimento da platéia é total e o resultado, cativante. Em conversa com o ator após o espetáculo, Salvanini revelou que seu maior prazer é celebrar a literatura e a história pela palavra, pela comunicação verbal, algo pouco valorizado no mundo atual da TV, da multimídia e da internet. Longa vida para Salvanini!

O sonho, por Clarice Lispector

Sonhe com aquilo que você quer ser, porque você possui apenas uma vida e nela só se tem uma chance de fazer aquilo que quer. Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E esperança suficiente para fazê-la feliz. As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas. Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos. A felicidade aparece para aqueles que choram. Para aqueles que se machucam Para aqueles que buscam e tentam sempre. E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passaram por suas vidas. (Clarice Lispector)

De volta às aulas

Ontem foi dia de voltar às aulas, após 3 semanas de recesso na UCB. Aproveitei o tempo para descansar e curtir mais a família. A partir de hoje, volto a postar diariamente neste blog. Nos últimos 3 dias, estive participando do Congresso Nacional de Educação Católica, em Brasília. Nos próximos dias, estarei falando um pouco sobre as lições importantes que ficaram deste evento para a carreira docente.

Volks lança Vento com ação de guerrilha

A Volkswagen apresentou nesta terça-feira (6), na Índia, o novo Vento. “É o primeiro carro desenhado e fabricado para a Índia”, diz Christian Klingler, diretor da montadora. Para o lançamento, a montadora pendurou o veículo na fachada de um prédio em Nova Délhi. O carro será vendido com motor 1.6, em versões a diesel e a gasolina, e com câmbio automático ou manual. O objetivo da Volks é alcançar de 8% a 10% dos consumidores locais de carros de passeio, um mercado que deve chegar aos três milhões de veículos em cinco anos. A montadora acenou ainda com a possibilidade de iniciar a produção de motores no país, conforme o crescimento da demanda. O Vento chegará às lojas no último trimestre deste ano e é o sétimo carro da Volks a ser comercializado na Índia. A empresa já vende o Beetle e o Polo, entre os compactos, os sedãs Phaeton, Passat e Jetta e o utilitário Touareg.

Como pensar como empresário e, ao mesmo tempo, agir como profissional de marketing?

 

Não, não vou dar a resposta completa, pois não a tenho. Mas proponho a reflexão e dou algumas pistas para ajudá-lo a entender a cabeça dos gestores modernos.

Estou de recesso da universidade e desenvolvendo meus projetos de consultoria de marketing. Na vivência do dia-a-dia, sempre tenho convivido com duas questões relevantes.

A primeira diz respeito a como pensar como empresário, no sentido de pensar nos resultados e na gestão da empresa. Procuro sempre entender o lado de quem me contrata. Afinal, investir em marketing é importante mas envolve um certo investimento que deve ser ponderado. Sempre preocupados com todos os fatores envolvidos na gestão de seu negócio, a postura dos empresários é, normalmente, conservadora. Porém, o extremo conservadorismo pode prejudicar os resultados desejados. Aí é que entra a segunda questão: agir como profissional de marketing.

Como sou um especialista na área, busco os melhores resultados propondo a utilização das melhores técnicas. Como ocorre em todo planejamento, inicio por um diagnóstico da empresa, elaboro um relatório e apresento as propostas de ações mercadológicas. Na maioria das vezes, os empresários concordam com o diagnóstico mas esbarram nos custos das ações. Aí entra a negociação.

É preciso ser criativo e, ao mesmo tempo, racional, para atender a necessidade de reduzir custos sem comprometer resultados. Infelizmente, na maioria das vezes, os empresários preocupam-se mais com os custos do que com os resultados. Como eles raciocinam nesta tomada de decisão?

A primeira conclusão que cheguei é a de que os custos são o único fator controlado pelo empresário, razão pela qual ele exerce este controle. A segunda constatação  é de que o empresário acredita que entende tão bem de marketing quanto eu. De fato, o empresário entende melhor o seu negócio do que o consultor. Ponto. Anos de experiência na área comercial lhe dão esta confiança, assim como meus 25 anos de experiência e permanente atualização asseguram que conheço mais marketing do que o empresário.

Eis um embate com o qual permanentemente tenho que lidar.  Afinal, é o desafio da profissão e do processo da venda de serviços, não?