O que você anda lendo?

Ontem descobri o site Skoob. A fonética engana. Não se trata do desenho animado, mas, sim, da palavra Books lida de trás para frente. O ambiente é uma interessante coletânea de sinopses sobre os mais diversos livros. Em cada um, o leitor pode atribuir sua nota, montando, assim, um ranking das publicações. Você diz o que está lendo, o que já leu e o que ainda vai ler, seus amigos fazem o mesmo e, assim, todos compartilham as opiniões e críticas. Ao se cadastrar, você se torna um skoober, depois adiciona seus livros à estante. A partir daí as coisas começam a ficar mais divertidas, pois você pode interagir com os outros skoobers.

Besouro estréia hoje

Hoje estréia o aguardado filme “Besouro”, de João Daniel Tikhomiroff. O filme conta a história do mítico capoeirista baiano que se opôs à escravidão no Recôncavo Baiano na década de 20. O filme, que mistura aventura, romance e misticismo, teve suas cenas de ação gravadas com a ajuda do chinês Huen Chiu Ku. Ele é responsável pelas cenas de artes marciais de filmes como “Kill Bill” e “O Tigre e o Dragão”. O projeto chega às telas com a qualidade do diretor consagrado de filmes publicitários que tem agora sua primeira incursão em longa-metragem. O filme tem um blog interessante, que conta a trajetória da película. O site da fita não fica atrás, trazendo diversas informações e imagens sobre esta nova produção do cinema brasileiro. Veja o trailer e vá sem pestanejar à sala de projeção mais próxima!

Abril utiliza páginas digitais para experimentação de suas revistas

ExperimenteAbril

A tecnologia de páginas digitais da empresa Digital Pages é a novidade da Editora Abril para oferecer a experimentação de seus produtos aos potenciais assinantes. Em endereço específico, a empresa oferece, mediante um breve cadastro, a possibilidade do internauta acessar gratuitamente algumas páginas da revista que escolher dentre o portifólio da editora. A nova modalidade de degustação é mais uma tática da empresa para incrementar sua base de assinantes e, assim, captar mais anúncios. Acesse e confira!

Como é que ninguém havia pensado nisso antes?

Foto: AFP

Estou na fila. A empresa japonesa Masunaga apresentou ontem, 27/10, em Tóquio, um par de óculos que obriga os jogadores de videogames e internautas a piscar. O objetivo da novidade é evitar o olho seco, um sintoma comum quando o fã de tecnologia fica muito concentrado diante da tela. Os sensores do produto são acionados quando o usuário fica cinco segundos sem piscar – quando isso acontece, a lente embaça. Preço não foi divulgado. (fonte: globo.com)

Vem aí o Woodstock tupiniquim

Joel Rosanman, Michael Lang e John Roberts (já falecido), produtores da primeira edição de Woodstock

Joel Rosanman, Michael Lang e John Roberts (já falecido), produtores da primeira edição de Woodstock

Em post de 15/08/09, registrei que o lendário Festival de Woodstock completara 40 anos. Pois bem. Eduardo Fischer, presidente do Grupo Totalcom, vem envidando esforços no sentido de realizar no próximo ano a versão brasileira do histórico festival. Par isto, ele já se reuniu com os produtores Joel Rosenman e Michael Lang, além dos herdeiros de John Roberts. O trio foi responsável pela organização do evento em 1969, que marcou época ao unir música, contracultura e pacifismo. Fischer já realizou algumas reuniões com seu staff para organizar o Woodstock brasileiro. Ainda sem data e atrações definidas, a versão brasileira será a primeira fora dos Estados Unidos, onde já ocorreram remakes em 1994 e 1999. Já estou preparando o bolso para o evento!

Admirável mundo plagiado

A professora Silvia Zampar, em seu blog Tudibão,  em post de ontem, publicou uma matéria que promove uma importante reflexão sobre o compromisso do publicitário com a originalidade. O título é: “IESB = Comerciais onde o “plágio” é tradição”. Talvez seja hipocrisia falar em publicitários com idéias 100% originais. Há os que alegam que copiam homenageando os originais. Mas no caso dos comerciais daquele instituto, creio que exageraram nas homenagens. Além disso, quem ministra o ensino de Publicidade com ênfase na criação publicitária e utiliza uma das melhores agências do DF deve primar pela originalidade, não? Ou meu ponto de vista está ultrapassado?

Yes, nós temos Aston Martin. E também Ferrari, Lamborghini etc.

O Brasil entrou, definitivamente, na rota das grandes marcas de automóveis. Após o desembarque oficial de Pagani Zonda, Spyker e Lamborghini, entre outras, agora é a vez da inglesa Aston Martin chegar ao país.  A primeira concessionária da marca na América Latina será inaugurada em fevereiro de 2010, logo depois do carnaval. A loja será instalada na Avenida Brasil, em São Paulo. Neste ano, a mesma via ganhou uma concessionária com arquitetura arrojada da Ferrari/Maserati.  A meta da revenda é vender 30 unidades por ano. O importador pretende trazer todos os modelos da linha, inclui o sedã-cupê Rapide (foto), com motor V12 e duas toneladas de peso. Os veículos custarão a partir de R$ 700 mil.

Quanto cobrar pelo serviço de design gráfico?

Design

Hoje vi no Blog da Tamiris, aluna do curso de Jornalismo da UCB, um interessante post sobre a tabela de preços da ADEGRAF (Associação dos Designers Gráficos do Distrito Federal) e do Brasil.  A proposta da tabela é facilitar a precificação dos serviços dos profissionais de design gráfico. Afinal, quem já não passou por aquela situação do tipo “faz um preço legal por conta da nossa amizade, tá?” Pois é. Tá na hora de praticar preços dignos da qualidade do profissional, não acham?

Computador corinthiano: segmentação é isso!

Está sendo lançado agora, pela manhã, pelo Sport Club Corinthians,  Magazine Luiza e a Positivo Informática “um produto exclusivo que irá movimentar a nação corinthiana”. Esta é, certamente, uma estratégia de marketing arrojada de um clube que, cada vez mais, alavanca seus negócios com estratégias de marketing adequadas ao seu target. A julgar pela grande massa corinthiana, alguém duvida do sucesso do lançamento?

Os deuses da empregabilidade não me deixaram trabalhar na Encol

Encol

Em 1996 eu  já atuava no segmento de construção civil. Por sugestão de meu cunhado Aloisio, entreguei meu curriculum a ele, que encaminhou para o departamento de marketing da Encol, na época a principal empresa do segmento. Em 1990, havíamos trabalhado juntos na campanha de Francisco Soares a deputado distrital. Sua cortesia rendeu uma entrevista com Gina, Diretora de Marketing, que na época pretendia implantar uma divisão de marketing direto na Encol. O trabalho desenvolvido era, para mim, o estado da arte em marketing imobiliário. Fiquei entusiasmado com a proposta, mas Gina deixou claro que a contratação ainda dependia da implementação da nova divisão. Resumindo: a vaga era minha, mas teria que esperar. No problem. Alguns meses se passaram e nenhuma novidade surgiu relativa àquele emprego. Em novembro de 1997, a Encol entrou em processo de concordata. Em 1999, a empresa faliu, deixando 792 edifícios inacabados e milhares de pessoas sem o sonho da casa própria. Os deuses da empregabilidade que acreditava terem me abandonado, na verdade me protegiam.

Blog da Tecnisa: informações úteis sobre o universo imobiliário

Ambiente da empresa foi o primeiro blog corporativo brasileiro.

Ambiente da empresa foi o primeiro blog corporativo brasileiro.

Os blogs são ferramentas cada vez mais utilizadas pelas empresas para estreitar o relacionamento com seus clientes.  Um bom exemplo disso é o Blog da Tecnisa, uma das imobiliárias de maior sucesso em São Paulo. Com uma filosofia de marketing que busca fidelizar seus clientes, a Tecnisa disponibiliza, também um podcast, aplicativo i-phone e está presente em todas as redes sociais.  As informações do blog não se limitam ao mercado, mas também a temas do dia-a-dia do cliente, como supermercado, administração financeira e outros. Vale a pena conhecer este blog.

Eco4Planet: Um mecanismo de busca ecologicamente correto

 
 
 
 

Ecoplanet: tecnologicamente eficaz e ecologicamente correto.

Ecoplanet: tecnologicamente eficaz e ecologicamente correto.

 

Está disponível na Web uma ferramenta de busca chamado eco4planet, com a mesma tecnologia e qualidade de busca do Google.  As novidades incluem um plantio de árvore a cada 50.000 consultas (o portal informa o número de mudas atingido). Além disso, o fundo preto da tela, que a princípio gera estranhamento, acaba por descansar os olhos e economizar 20% da energia do monitor (as práticas responsáveis quase sempre acumulam  vantagens). Conheça esta iniciativa e divulgue!

Update: Em 28 de outubro, a  leitora Priscila esclareceu que a iniciativa do Ecoplanet não é do Google, mas, sim, de um grupo de amigos brasileiros preocupados a questão ecológica. Em post específico do site do EcoPlanet, há uma explicação entre a relação entre o projeto e o Google e alguns percalços que ela vem percorrendo.

Viaje na Viagem: por dentro do melhor emprego do mundo (ou não)

A provocação foi de Mariza Tavares e Roberto Nonato, da CBN, em entrevista a Ricardo Freire, editor do guia Quatro Rodas. Para os jornalistas, a torcida do flamengo e a maioria dos leigos, a profissão de Ricardo pode parecer, à primeira vista, o melhor dos empregos. Isto porque ele e sa equipe viajam por todo País, visitando lugares, praias, hotéis, atrações turísticas e tudo de bom que tem no Brasil. E ainda ganham para isso. Na entrevista, porém, Freire deixou claro que a atividade é estressante, por necessitarem recolher o máximo de informações em um tempo cada vez menor. “A gente trabalha 24 horas por dia”, revelou Ricardo, que começou a entrevista “chorando”, ao dizer que ao ser contratado, disseram-lhe que jamais se casaria, pois o profissional fica na estrada o tempo inteiro. Família? Há pouco tempo para isso, mas ninguém melhor que o próprio Ricardo para revelar os prazeres e os dissabores da atividade. Acesse o blog dele, o Viaje na Viagem, e surpreenda-se!

A UCB em minha vida

DiadoProfessor

Em 2005, fui o segundo colocado no concurso de redação pelos 10 anos da Universidade Católica de Brasília. Hoje, Dia do Professor, e perto de ver a instituição completar 15 anos, aproveito para tornar público o depoimento de atuar como docente em uma instituição que respeito e onde me sinto respeitado.

São 6 horas de uma manhã primaveril, o dia mal clareou e acordo com um meigo sorriso ao meu lado e a certeza de que amo e sou amado. Sinto-me especial.

Desperto minhas filhas, que rapidamente se arrumam, enquanto planejo meu roteiro diário. Tomamos um gostoso café e, por volta de 7 h, embarcamos rumo à UCB. No trajeto, colocamos a conversa em dia, os desejos, os problemas e a expectativa para o fim-de-semana. Sinto-me pai.

Minutos depois, estacionamos em frente ao bloco K. Sinto-as felizes por seguirem o caminho que escolheram. Minhas pupilas já estão na Universidade. Inteligentes como são, serão as melhores alunas do “pedaço”, diz minha suspeita intuição paterna. Ao vê-las em direção aos colegas, lembro-me de meus jovens alunos, que sabem o que quer e vão atrás dos seus sonhos. Imagino-as amanhã formadas e realizadas profissionalmente. Sinto-me esperançoso.

Estaciono meu 1.0 num espaço destinado a todo tipo de cilindrada docente. Ponho meu crachá, pego minha pasta e caminho em direção à sala dos professores.  No percurso, ouço o som dos pássaros, usufruo o visual reconfortante do verde e a brisa matutina que me inundam de ânimo. Trabalho embaixo do cone de aproximação dos aviões. O som das aeronaves não é tão agradável como os quero-queros, andorinhas e outros companheiros alados, mas já não me incomoda mais. O celular toca, e uma voz familiar pronuncia um sincero e apaixonado “Eu te amo”. Sinto-me entusiasmado.

Na sala dos professores, cumprimento os colegas e, antes do relógio apontar as 8 h, discutimos os desvios da política, a fascinação da Internet, o novo livro daquele autor. Troco idéias com a colega que me acolheu no curso, a “culpada” por minha presença na casa. Admiro os bons colegas e mentalizo fluidos positivos. Na caixa postal do pc, uma mensagem do diretor do curso lembra-nos a pauta da reunião de amanhã, uma boa oportunidade para ver os companheiros, trocar experiências, conhecer as novidades e até ouvir desabafos. Sinto-me irmão.

É hora de aula. Abro a porta, vejo olhos brilhantes aguardando as novas lições. Olhos de quem acordou bem disposto e outros de quem não dormiu o suficiente. Durante o encontro, constato: nosso aluno é diferenciado e digno do melhor empenho docente. Alunos que querem usufruir tudo que a Universidade lhes oferece. Estamos no mesmo time e quero-os vitoriosos. Sinto-me responsável.

No intervalo, os corredores abrigam sorrisos, esperanças, namoros e amizades. Fila para a xerox, uma boquinha na lanchonete, um livro na biblioteca, uma corrida no caixa eletrônico. É hora de organizar o trabalho da semana e, também, de programar a balada. Sinto-me jovem.

Nesta univer-cidade, somos cidadãos interessados em fazer o melhor a cada dia pelo bem comum do saber, descobrindo e estimulando todos a descobrir novos caminhos. Sentimo-nos desbravadores.

À tarde, uma pausa para a vida. Vou ao médico, preparando-me para fazer uma cirurgia. Faço consultas, exames e lembro-me do plano de saúde da instituição. Sinto-me amparado.

À noite, um outro perfil de aluno me espera, gente que trabalha durante o dia e que dedica seu residual de energia para dar o melhor de si nos estudos. Ao final da aula, um aluno me procura para orientá-lo sobre como resolver um problema pessoal. Sinto-me confidente.

No trajeto, de volta para casa, depois de um dia intenso, revejo minha alma gêmea e minhas filhas. Ao fechar a janela do quarto, olho para o céu, vejo as estrelas e sinto-me parte do universo, parte de uma universidade, parte de uma família. Sinto-me estelar. Sinto felicidade!